Vítor Bento ouvido na Comissão de Inquérito no caso BES

RTP / Flickr

Vítor Bento, o novo presidente do BES

Vítor Bento, ex-presidente do Novo Banco

O ex-presidente do Novo Banco, Vítor Bento, explicou esta terça-feira aos deputados que recebeu com surpresa o convite de Ricardo Salgado para lhe suceder na liderança do BES, tendo aceitado devido ao apoio expresso do Banco de Portugal (BdP).

“A 30 de junho recebi o convite inesperado de Ricardo Salgado para presidir ao Banco Espírito Santo (BES). Tinha acabado de ser conhecido o grande sucesso do aumento de capital e o quadro que me foi descrito – e não estou a revelar nada que não seja público – foi que o banco tinha um problema de exposição ao Grupo Espírito Santo (GES), mas que estava contido“, afirmou o responsável na audição da comissão de inquérito parlamentar ao caso BES.

Vítor Bento sublinhou que contactou logo no dia seguinte o Banco de Portugal e que lhe foi garantido que os prejuízos estavam contidos dentro da almofada de capital que o banco dispunha e que o problema em Angola estava a ser tratado pelas autoridades portuguesas e angolanas. E que lhe asseguraram que, se o banco viesse a ter problemas de capital, estaria disponível a linha de recapitalização pública, constituída em 2011, quando Portugal recorreu ao apoio financeiro da troika.

O gestor aceitou o convite numa ótica de “desafio patriótico”, segundo o próprio, realçando que lhe foi “prometido” o apoio por parte do Banco de Portugal. “Fiquei convencido que tinha pela frente o desafio de recuperar a confiança”, afirmou, acrescentando que pensava que, em caso de necessidade, a linha pública de 12 mil milhões de euros estava disponível para ser utilizada, “tal como foi por outros bancos”.

Bento contou que, depois de ter obtido o “apoio explícito” do Crédit Agricole, acionista de referência do BES, decidiu aceitar o convite, mas com condições. “Só assumiria funções após serem divulgadas as contas do primeiro semestre, até porque não fazia sentido apresentar resultados que não sabia explicar e teria como base de partida as contas do semestre validadas pelos auditores”, disse.

Por essa altura, Bento já tinha iniciado contactos para formar a equipa de gestão do BES. “Tive várias recusas de profissionais competentes que não se quiseram arriscar nesta aventura”, confidenciou, realçando que conseguiu contratar dois “grandes profissionais”, José Honório e João Moreira Rato, para a sua equipa.

Segundo Bento, a 10 de julho “as condições agravaram-se” depois de ser conhecida a exposição real do BES ao GES. “Começou assim uma grande pressão para que a minha entrada no banco se processasse o mais rapidamente possível”, revelou, sublinhando que a 14 de julho a sua equipa aceitou assumir funções.

“Em pouco tempo, verificou-se que nenhuma das condições em que aceitámos o desafio se concretizou. O problema de Angola não estava resolvido e a linha de recapitalização pública não estava disponível para ser usada pelo banco”, assinalou.

A comissão de inquérito arrancou a 17 de novembro e tem um prazo de 120 dias, que pode eventualmente ser alargado. Os trabalhos têm por intuito “apurar as práticas da anterior gestão do BES, o papel dos auditores externos, as relações entre o BES e o conjunto de entidades integrantes do universo GES, designadamente os métodos e veículos utilizados pelo BES para financiar essas entidades”.

Será também avaliado, por exemplo, o funcionamento do sistema financeiro e o “processo e as condições de aplicação da medida de resolução do BdP” para o BES e a “eventual utilização, direta ou indireta, imediata ou a prazo, de dinheiros públicos”.

A 3 de agosto, o Banco de Portugal tomou o controlo do BES, após a apresentação de prejuízos semestrais de 3,6 mil milhões de euros, e anunciou a separação da instituição em duas entidades: o chamado banco mau (um veículo que mantém o nome BES e que concentra os ativos e passivos tóxicos do BES, assim como os acionistas) e o banco de transição que foi designado Novo Banco.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Já foram assassinadas 30 mulheres este ano, metade por violência doméstica

O Observatório das Mulheres Assassinadas (OMA) contabilizou 30 mulheres assassinadas entre 1 de janeiro e o dia 15 de novembro, 16 das quais em contexto de relações de intimidade, um valor abaixo das 21 registadas …

Netanyahu terá visitado Arábia Saudita (e reunido com Mike Pompeo e o príncipe herdeiro em segredo)

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, terá viajado no domingo em segredo à Arábia Saudita para se encontrar com o príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman, divulgaram esta segunda-feira vários meios de comunicação de Israel. De acordo …

Arguidos no processo da queda da árvore na Madeira vão a julgamento

O Tribunal da Comarca da Madeira decidiu, esta segunda-feira, após a fase de instrução, levar a julgamento os dois arguidos no caso da queda da árvore no Funchal que, em agosto de 2017, provocou a …

Ausência de máscara na via pública dá multa a pelo menos 7 pessoas por dia

Entre 28 de outubro e 16 de novembro, a GNR e a PSP aplicaram 825 coimas por incumprimento relativo ao uso de máscara, sendo que mais de 130 foram por falta dela na via pública. De …

França cria "crime de ecocídio" para punir danos graves ao ambiente

A ministra da Transição Ecológica, Barbara Pompili, e o ministro da Justiça de França, Eric Dupont-Moretti, anunciaram a criação do "crime de ecocídio", que visa prevenir e punir os danos graves ao ambiente. Ao Journal du Dimanche, explicaram …

BCE reitera que retoma económica só em 2022 (e "enfraquecida")

Para Philip Lane, economista-chefe do Banco Central Europeu, a vacina traz uma perspetiva para o final do próximo ano e para 2022, mas não para os próximos seis meses. O economista-chefe do Banco Central Europeu (BCE), …

Ventura notificado para apresentar defesa em processo por discriminação

A Comissão para a Igualdade e contra a Discriminação Racial (CICDR) notificou André Ventura para apresentar a sua defesa na sequência de alegadas declarações de carácter discriminatório em relação à etnia cigana no Facebook. A comissão …

UNICEF prepara maior operação da história para administrar dois mil milhões de vacinas

A UNICEF anunciou hoje que está a analisar a logística de transporte de cerca de dois mil milhões de vacinas contra a covid-19 para 92 países e que esta será a maior operação internacional da …

China deteta surtos em três cidades e impõe bloqueios e milhões de testes

As autoridades chinesas estão a testar milhões de pessoas, a impor bloqueios e a fechar escolas depois de vários casos do novo coronavírus transmitidos localmente terem sido diagnosticados nos últimos dias, em três cidades. À medida …

Joe Biden escolhe Antony Blinken para secretário de Estado

O Presidente-eleito escolheu Antony Blinken - um dos seus assessores mais antigos e mais próximos de Joe Biden - para o cargo de secretário de Estado, decisão que ainda terá de ser validada pelo Senado …