Afinal, Costa não deixa de fora nenhum cenário para o Novo Banco

Tiago Petinga / Lusa

António Costa e Mário Centeno

António Costa e Mário Centeno

O primeiro-ministro recusou antecipar cenários sobre o Novo Banco e defendeu que o Governo evitou que este banco ficasse agora “entre a espada e a parede”, conseguindo mais um ano de prazo para uma solução.

Novo Banco

Estas posições foram assumidas por António Costa esta terça-feira, no final de uma reunião com o Grupo Parlamentar do PS, depois de interrogado sobre a situação do Novo Banco.

“Este é o tempo que o Banco de Portugal tem para avaliar as propostas que recebeu e tomar as decisões que julgar melhores. Não conhecemos as propostas, mas, quem sabe, até pode haver uma excelente proposta que resolva já, até de uma forma saudável para todos, os problemas relativamente ao Novo Banco”, disse.

Confrontado com declarações proferidas pelo ministro das Finanças, Mário Centeno, de que o Novo Banco poderia ser alvo de um processo de liquidação caso não seja vendido até agosto de 2017, o líder do executivo invocou a legislação aplicável a este caso e considerou que Mário Centeno afirmou apenas “aquilo que resulta da lei”.

Mas António Costa procurou sobretudo não antecipar cenários relativamente ao Novo Banco, frisando que “agosto de 2017 não é hoje“.

“Estamos em julho de 2016, ponto”, disse.

Questionado se a atuação do Governo, sobretudo na sequência das declarações de Mário Centeno, não está a colocar o Novo Banco entre a espada e a parede, o primeiro-ministro recusou essa perspetiva, contrapondo que quem fez isso “foi quem o quis vender à pressa antes das eleições e desvalorizou-o, fracassando na venda – e quem não tratou sequer de aumentar o prazo disponível para vender o banco”.

“Quem tratou de obter um ano suplementar para que houvesse uma solução para o Novo Banco foi o atual Governo, tendo em vista, precisamente, evitar que ficasse entre a espada e a parede, havendo mais tempo para se encontrarem soluções. Até agora, este Governo não teve qualquer intervenção relativamente ao Novo Banco”, sustentou.

Em relação ao Novo Banco, o líder socialista reiterou a tese do Governo de que nenhuma alternativa é excluída.

“Temos mais um ano, até agosto de 2017, para se apreciar as diferentes soluções alternativas. É prematuro dizer que chegaremos a agosto de 2017 sem qualquer solução. Se assim for, a solução está prevista na lei e não tem nada de novo”, frisou.

Ou seja, insistiu António Costa, “não há nenhuma razão para em julho de 2016 estar-se a antecipar um cenário do que pode acontecer em agosto de 2017, quando ainda há um ano pela frente e há muito trabalho que pode e deve ser feito para encontrar boas soluções para um ativo que é muito importante”.

“O Novo Banco é banco que tem valor, tem clientes, uma rede, funcionários e negócios, e que não deve ser assim desvalorizado”, acrescentou.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Carlos Moedas "tem uma costela liberal". IL pondera apoio ao candidato à câmara de Lisboa

O líder da Iniciativa Liberal (IL), João Cotrim de Figueiredo, disse que Carlos Moedas, candidato à câmara de Lisboa apoiado pelo PSD, tem um "perfil liberal", mas que o partido precisa de perceber projeto do …

Primeiro-ministro da Arménia acusa militares de tentativa de golpe de Estado

O primeiro-ministro da Arménia referiu-se hoje a "tentativa de golpe de Estado" depois de o Estado Maior ter pedido o afastamento do governo num contexto de protestos por causa da derrota no último conflito com …

EUA condenam Coreia do Norte a indemnizar militares torturados em 1968

A Justiça dos Estados Unidos (EUA) condenou Pyongyang a indemnizar em 2,3 mil milhões de dólares (cerca de dois mil milhões de euros) os tripulantes de um navio da Marinha norte-americana, que foram capturados e …

Ex-gestores do Novo Banco seguem para Banco do Fomento e para CGD

Os gestores Vítor Fernandes e Jorge Freire Cardoso, que saíram do Novo Banco em divergência com a estratégia da Lone Star, vão desempenhar as funções de presidente do Banco de Fomento e de administrador na Caixa …

EUA acusado de prometer contrapartidas a Cabo Verde pela extradição de testa-de-ferro de Maduro

O antigo juiz espanhol Baltasar Garzón, que coordena a defesa de Alex Saab, detido em Cabo Verde e considerado testa-de-ferro do Presidente venezuelano Nicolás Maduro, acusou na quinta-feira os Estados Unidos (EUA) de prometerem contrapartidas …

Bispo italiano sugeriu a padre que pagasse 20 mil euros a vítima de pedofilia

O bispo católico de Como, em Itália, afirmou ter sugerido a um jovem padre suspeito de pedofilia que pagasse 20 mil euros à suposta vítima para encerrar uma investigação interna ao caso ocorrido numa residência …

Governo reforça financiamento de projetos LGBTI com 50 mil euros

O Governo vai reforçar em 50 mil euros o financiamento de projetos de organizações que atuem na defesa dos direitos das pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans e intersexo (LGBTI), anunciou o gabinete da secretária de …

CDS pede ao Governo "um plano de desconfinamento controlado, à inglesa"

Francisco Rodrigues dos Santos quer que o Executivo apresente um plano de desconfinamento que permita a retoma da atividade de alguns setores. Esta sexta-feira, o presidente do CDS-PP insistiu na necessidade de o Governo apresentar um …

Para os idosos que estão em lares, visitar a família sem isolamento poderá acontecer em maio

A CNIS estima que, com todos os idosos residentes em lares vacinados, maio possa ser o mês da libertação depois de mais de um ano de pandemia, confinamentos e restrições apertadas. DGS diz que orientações …

UE retalia e declara chefe da missão venezuelana "persona non grata"

A União Europeia (UE) decidiu, esta quinta-feira, declarar a chefe da missão venezuelana em Bruxelas persona non grata, respondendo ao anúncio feito por Caracas de dar 72 horas à embaixadora comunitária para abandonar o país. "Por …