/

A larva de besouro é o novo amendoim. União Europeia aprova primeiro inseto comestível

2

A larva de besouro tornou-se o primeiro inseto a ser considerado seguro para consumo humano pela agência de segurança alimentar da União Europeia (UE).

A conclusão dos cientistas da agência de segurança alimentar da União Europeia (UE), após um pedido da empresa francesa de produção de insetos para alimentos, Agronutris, deve levar à aprovação em toda a UE dentro de meses da larva de besouro como um produto adequado para prateleiras de supermercados e cozinhas em todo o continente.

De acordo com o jornal britânico The Guardian, os principais componentes do inseto são proteína, gordura e fibra, oferecendo uma fonte de alimento potencialmente sustentável e com baixa emissão de carbono para o futuro. Quando seco, o inseto tem um sabor semelhante ao amendoim.

Por outro lado, as larvas podem não ser aconselháveis ​​para todas as pessoas. Quem tem alergia ao camarão e à poeira pode sofrer uma reação aos insetos.

As larvas podem ser consumidas como aperitivo e apresentam uma variedade de sabores. Alternativamente, o inseto pode ser transformado num ingrediente, como farinha para uma sobremesa.

“Esta primeira avaliação de risco da EFSA de um inseto como novo alimento pode abrir caminho para a primeira aprovação em toda a UE. A nossa avaliação de risco é uma etapa decisiva e necessária na regulamentação de novos alimentos, apoiando os formuladores de políticas na UE na tomada de decisões com base científica e garantindo a segurança dos consumidores”, disse Ermolaos Ververis, um oficial científico da agência.

Para os principais participantes da indústria de insetos como alimentos, o potencial dos seus alimentos ricos em proteínas foi prejudicado pela falta de aprovação em toda a UE. Os produtos estão proibidos de venda em França, Alemanha, Itália e Espanha, entre outros países europeus.

Os reguladores britânicos, holandeses, belgas, dinamarqueses e finlandeses decidiram que a diretiva da UE não se aplica a produtos de origem animal usados ​​para alimentação. Porém, em 2018, uma nova lei da UE estipulou que os pratos à base de insetos exigiriam autorização para novos alimentos, colocando a indústria de alimentos para insetos no corredor da morte.

Os produtos permaneceram disponíveis nesses países como resultado de um período de transição para permitir que as empresas que já produziam alimentos de insetos operassem até receber a sentença final.

Alimentos à base de insetos há muito são vistos como parte da solução para reduzir a emissão de gases de efeito de estufa na produção de alimentos. Houve 15 aplicações para produtos alimentícios à base de insetos. Os quatro nos estágios finais do processo da EFSA são grilos adultos frescos e secos, gafanhotos e besouros conhecidos como cascudinhos.

A partir do momento da publicação do parecer da EFSA, a Comissão Europeia tem sete meses para apresentar uma proposta de autorização, a qual irá a votação pelos Estados membros.

  Maria Campos, ZAP //

2 Comments

  1. Comam vocês! Agora querem-nos enfiar todo o barrete e mais algum! Vão lá ver se os senhores do PAN e os vegans querem essa porcaria…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.