Trump ameaça paralisar Governo se não houver dinheiro para o muro

Jim Lo Scalzo / EPA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

O Presidente norte-americano, Donald Trump, ameaçou esta sexta-feira travar um acordo orçamental que permitiria evitar a paralisação das instituições federais do país, por este não prever financiamento para construir o seu desejado muro na fronteira com o México.

Na terça-feira, o Senado aprovo com uma maioria esmagadora (93-7) uma lei orçamental que abrange vários departamentos governamentais, incluindo o da Defesa, acompanhada de uma medida que prolonga até 7 de dezembro o financiamento de outras administrações federais em que o consenso será mais difícil de obter.

Os republicanos esperavam assim adiar o “espinhoso” debate sobre a imigração clandestina e a construção de um muro na fronteira dos Estados Unidos com o México até depois das decisivas eleições legislativas intercalares de 6 de novembro, em que correm o riso de perder a maioria nas duas câmaras do Congresso.

Resultado de um raro acordo entre republicanos e democratas, a lei orçamental e a medida protetora do funcionamento do Estado federal parecem estar no bom caminho para uma aprovação em tempo recorde, com a votação agendada para a próxima semana na Câmara dos Representantes, onde os republicanos estão também em maioria.

Mas Donald Trump deve promulgar os diplomas para que estes possam entrar em vigor e, numa mensagem publicada nesta sexta-feira no Twitter, o Presidente norte-americano deu a entender que não está pronto a fazê-lo.

“Eu quero saber onde está o dinheiro para a segurança na fronteira e para o MURO nesta lei de financiamento ridícula e de onde é que ele virá depois das eleições intercalares”, escreveu o Presidente norte-americano.

“Os democratas estão a bloquear a Aplicação da Lei e a Segurança na fronteira. OS REPUBLICANOS DEVEM FINALMENTE IMPOR-SE!”.

Os membros do Congresso têm até 30 de setembro à meia-noite para aprovar o orçamento para 2019 e evitar uma paralisação parcial da administração federal (’shutdown’) por falta de financiamento. Nos Estados Unidos, o novo ano fiscal começa a 1 de outubro.

A lei aprovada na terça-feira no Senado destina 674,4 mil milhões de dólares (cerca de 572 mil milhões de euros) à Defesa, ou seja, mais 19,8 mil milhões (16,8 mil milhões de euros) que o orçamento de 2018.

Em março, Trump dizia já ter conseguido o financiamento necessário para começar a construção do muro. “Consegui 1.600 milhões de dólares (quase 1.300 milhões de euros) para começar o muro na fronteira sul, o resto chegará”, afirmou.

A Administração de Trump propôs-se a gastar 18 mil milhões de dólares (14,94 mil milhões de euros) para construir o muro, a promessa e bandeira eleitoral de Trump.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Na Colômbia, há um "arco-íris líquido" que é descrito como a 8ª maravilha do mundo

Escondido nos confins da Serra da Macarena, na Colômbia, está o rio Caño Cristales. De dezembro a maio, o curso de água é como outro qualquer, apesar de estar rodeado de um dos ecossistemas mais …

Com uma nova interface neural, a telepatia já é possível

Uma equipa internacional de cientistas deu um passo adiante no desenvolvimento de interfaces neuronais para propor uma interface que envolve a transferência de informação entre as pessoas diretamente. As interfaces cérebro-computador podem melhorar as habilidades individuais …

Bombeiros profissionais ameaçam deixar de prestar serviço voluntário nas corporações

Os bombeiros voluntários das associações humanitárias admitem deixar de prestar serviço voluntário nas corporações, caso a Liga dos Bombeiros Portugueses continue por concluir o acordo coletivo de trabalho, que está em negociação há mais de …

Baleia encontrada morta nas Filipinas com 40 quilos de plástico no estômago

Uma baleia foi encontrada morta na sexta-feira, na costa sudeste das Filipinas, com 40 quilos de plástico no estômago, informou a imprensa local. O cetáceo, uma baleia-bicuda-de-cuvier, apareceu na sexta-feira à beira-mar no município de Mabini, …

Macron convoca reforços após novos confrontos de coletes amarelos

A nova manifestação de "coletes amarelos", no sábado, registou distúrbios violentos na capital francesa. Como resposta, o presidente francês Emmanuel Macron convocou um reforço das forças de segurança. O dia de sábado marcou mais um protesto …

Pedidos de nacionalidade portuguesa aumentaram 50% em dois anos

Nos últimos dois anos, o número de pedidos de nacionalidade portuguesa aumentou cerca de 50%, avança o jornal Público esta segunda-feira. Se em 2016 foram 117.629 os cidadãos estrangeiros que pediram a nacionalidade portuguesa, em 2018 …

Não há democracia na Coreia do Norte? "É uma opinião", diz Jerónimo

Jerónimo de Sousa evitou classificar o regime de Kim Jong-un em termos "de ser ou não ser" uma democracia. A Coreia do Norte é ou não uma democracia? "É uma opinião", respondeu Jerónimo de Sousa. Numa …

Afinal, o esparguete à bolonhesa não existe

Quando se trata de refeições italianas clássicas, a maioria das pessoas pensa em pratos simples como uma pizza Margherita, lasanha e esparguete à bolonhesa. Contudo, segundo Virginio Merola, presidente de Bolonha, em Itália, o esparguete à bolonhesa …

Javalis tomaram o lugar dos coelhos. "Muitos animais estão doentes"

Para já, não há perigo de saúde pública, mas os javalis carregam doenças que podem passar a outros animais. Se antes se matavam mil coelhos, abatem-se agora 10 javalis. Jacinto Amaro, presidente da Fencaça - Federação …

Maduro prepara reestruturação do Governo venezuelano

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pediu aos ministros do seu Governo que ponham os seus cargos à disposição, a fim de impulsionar uma "reestruturação profunda" do Executivo. O anúncio foi feito este domingo através do …