Transferência do Infarmed “ameaça saúde pública” em Portugal e no mundo

Universidade Lusíada de Lisboa / Flickr

Maria do Céu Machado, presidente do Infarmed

A presidente do Infarmed, Maria do Céu Chamado, alertou esta terça-feira que uma deslocalização da instituição pode ser uma “ameaça à saúde pública” em Portugal e também no mundo.

Ouvida na comissão parlamentar de Saúde, a propósito de uma eventual deslocalização da autoridade do medicamento português de Lisboa para o Porto, anunciada pelo ministro da Saúde, a responsável deixou também duras críticas a um relatório pedido pelo Governo, que considerou superficial e opinativo.

As conclusões do relatório do grupo de trabalho nomeado pelo Governo para apreciar a deslocalização do Infarmed — Autoridade do Medicamento de Lisboa — para o Porto foram divulgadas na última semana de junho.

Esta terça-feira, no Parlamento, a responsável do Infarmed criticou duramente o documento, disse não entender os benefícios da deslocalização e alertou para perigos para a saúde pública, para custos e para perda de credibilidade do Infarmed e de Portugal.

Maria do Céu Machado começou por dizer que o facto de mais de 90% dos trabalhadores do Infarmed não quererem ir para o Porto não é por “birra” mas pelos custos pessoais, familiares e financeiros que a mudança acarreta.

E depois, respondendo aos deputados, disse que “obviamente” com a perda de trabalhadores vai haver perda de produtividade e isso é uma ameaça à saúde pública em Portugal, mas também no resto do mundo, porque há muitos medicamentos pelos quais o Infarmed é responsável durante todo o ciclo de vida.

“Somos um país de referência na avaliação de medicamentos, quando o país é responsável por uma avaliação é responsável por esse medicamento. Se estivermos dois ou dois anos e meio num processo de deslocalização”, a quebra de atividade pode por “em risco” a segurança desse medicamento, o que levaria “a um problema” para todos os países da Europa e de outros países fora da Europa, avisou.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

    • Se você trabalhasse no Porto; se o Infarmed estivesse, supostamente, instalado no Porto; se uma cambada de incompetentes o quisesse transferir para Lisboa, você transferiria toda a sua família, casa, modo de vida, custos, etc., cantando e rindo, n’é??? Pois… Há poucos como você em Portugal. Os meus sinceros parabéns!

      • É sempre bom ver que os seus interesses pessoas se sobrepõem ao interesse da nação. Vá dizer isso aos professores, aos médicos, aos enfermeiros e a muitos profissionais que não migraram mas sim emigraram! Os meus parabéns ao seu egoísmo!
        Como disse e repito: tudo para a capital e o resto do país que vá para o carvalho, perdão, que se f%&#

  1. Sou dos que não aceitam que Portugal seja Lisboa e o resto do país paisagem.
    Sou a favor de que a criação de novos organismos públicos e/ou de novas empresas privadas, sempre que tiver de acontecer, não tenha lugar na capital nem na sua área metropolitana, mas que leve os seus responsáveis a reflectir sobre a importância da descentralização e da situação de despovoamento do nosso interior.
    No caso do INFARMED, instituição internacionalmente reconhecida, sediada e sedimentada em Lisboa, onde funciona bem, não faz sentido transferi-lo para a cidade do Porto ou para qualquer outra região do País.

  2. Para apreciarmos esta brilhante decisão não podemos esquecer que se deveu ao facto de a Agência Europeia do Medicamento não ter passado de Londres para os o Porto o que deixou Rui Moreira particularmente amofinado. E então que as imaginativas e brilhantes cabeças governativas, num impulso genial, mandam os seus trabalhadores emalar a trouxa e aí vai Agencia para as margens do Douro. Os custos inerentes? são trocos. O desarranjo na vida dos seus especializados trabalhadores? interessa pouco ou nada. O peso e posicionamento que a Instituição tem na área? vale zero. Trata-se de uma de uma decisão política e como tal os prejuízos que advierem serão suportados pôr todos que produzem riqueza
    Tudo isto se deve ao facto de não se planear a vida do País como um todo sem olhar a capelinhas e interesses difusos que até agora não nos aproximaram dos primeiros.
    Todos os “Moreiras” das autarquias exigem e bem que os governos olhem para o País como um todo e não apenas para o Litoral. Aliás os portugueses que tanto gostam de viajar e então os políticos upa! upa! não sabem sequer copiar ao verem a forma como os Países Europeus mais avançados, não deixaram cair as regiões que mudaram as indústrias e os serviços, não permitindo a criação de zonas socialmente deprimidas e abandonadas,

RESPONDER

Imagens de satélite indicam que Irão começou construções em instalação nuclear

Imagens de satélite divulgadas esta quarta-feira mostram atividades na instalação nuclear iraniana de Natanz, um dia depois de inspetores da Agência Internacional de Energia Atómica confirmarem que o Irão iniciou a construção de uma central …

"Salvadores brancos". Organização vai acabar com as viagens de celebridades a África

A organização Comic Relief vai deixar de enviar celebridades como Ed Sheeran ou Stacey Dooley para fazerem filmes promocionais em países africanos após decidir que a abordagem reforça estereótipos ultrapassados sobre “salvadores brancos”. Além de acabar …

Tragédia no Canal da Mancha. Quatro migrantes morreram em alto mar após Governo rejeitar rota segura

De acordo com as autoridades francesas, quatro migrantes - incluindo duas crianças de cinco e oito anos - morreram ao tentar chegar ao Reino Unido de barco através do Canal da Mancha. O pequeno barco …

Detidos 21 suspeitos de desviarem fundos para financiar Puigdemont na Bélgica

A operação da polícia espanhola contra o alegado desvio de fundos públicos para financiar as despesas do ex-presidente regional catalão Carles Puigdemont fugido na Bélgica resultou hoje em 21 detidos ligados ao movimento independentista na …

Ativista detido depois de tentar retirar uma escultura indonésia do Museu do Louvre

Mwazulu Diyabanza foi detido na semana passada em Paris, depois de tentar retirar uma escultura indonésia do Louvre. O ativista congolês disse que a ação foi parte de um protesto para que os museus europeus …

Proteção Civil do Porto já pediu recolher obrigatório e recomenda novo estado de emergência

A Proteção Civil do distrito do Porto já avançou com o pedido ao Governo de recolher obrigatório para a região. Marco Martins sugere ainda o regresso ao estado de emergência. Marco Martins, responsável pela proteção Civil …

Exames nacionais de 2021 mantêm normas excecionais criadas no anterior ano letivo

Os professores vão voltar a contabilizar, na classificação dos próximos exames nacionais, apenas as respostas às perguntas obrigatórias e àquelas em que o aluno tenha melhor pontuação, à semelhança das normas excecionais aplicadas no ano …

PSD-Madeira critica preços "pornográficos" e "obscenos" nas viagens da TAP no Natal

O PSD-Madeira voltou nesta quarta-feira a criticar os preços praticados pela TAP nas viagens para a região, referindo que na época do Natal chegam a atingir 1.143 euros, e considerou os valores “pornográficos” e “obscenos”. “São …

Autarca de Roma revela que máfia italiana planeou um ataque contra si e a sua família

A presidente da Câmara de Roma, Virginia Raggi, revelou que grupos do crime organizado planearam matá-la e a sua família porque ela os estava a atacar em partes da capital italiana que dominam. Aos 37 anos, …

OE2021. "Quem vota contra quer outro modelo ou desistiu de melhorar o SNS", diz Temido

A ministra da Saúde, Marta Temido, sustentou esta quarta-feira que os partidos que vão votar contra o Orçamento do Estado para 2021 querem outro modelo de sistema de saúde ou desistiram de melhorar o SNS. Numa …