/

Família do trabalhador atropelado na A6 vai pedir mais de um milhão a Cabrita

17

Tiago Petinga / Lusa

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita

A família de Nuno Santos, o trabalhador de 41 anos que morreu após ter sido atropelado pelo carro onde seguia o ministro Eduardo Cabrita, vai pedir uma indemnização de mais de um milhão de euros ao governante, considerando que é “o responsável” pelo acidente.

O advogado da família, José Joaquim Barros, revela à revista Visão que vai “pedir em tribunal uma indemnização razoável, o que, num caso como este, tem de ser sempre superior a um milhão de euros“.

O acidente ainda está a ser investigado, para apurar responsabilidades. Mas o advogado culpa Cabrita pelo que aconteceu, embora não fosse ele ao volante, mas o seu motorista.

“Responsabilizo quem, nos termos da lei, é realmente o responsável. Em termos de responsabilidade pelo risco, a lei não responsabiliza exactamente o condutor, mas sim quem tem a direcção efectiva do veículo. O que, neste caso, significa que é o chefe daquela comitiva, ou seja, o ministro Eduardo Cabrita”, considera José Joaquim Barros na Visão.

Nuno Santos, de 41 anos, era a única fonte de rendimentos da família que inclui duas filhas menores.

O homem foi atingido pelo carro onde seguia Eduardo Cabrita na auto-estrada, durante trabalhos na via. Ele era um dos trabalhadores envolvidos nessas obras e não se conhecem as circunstâncias do acidente, nem tão pouco a velocidade a que seguia o carro.

A viúva e as filhas da vítima estão, neste momento, a receber uma pensão provisória de 700 euros que é paga pela seguradora. A Segurança Social ainda não terá prestado qualquer apoio à família.

Na altura do acidente, Cabrita tinha prometido “agilizar os mecanismos legais de apoio previstos nestas circunstâncias”.

  ZAP //

17 Comments

  1. Qual era o rendimento do trabalhador e qual a posição da viuva e filhas? Qual vai ser o rendimento delas?
    Para obter milhões jogo no Euromilhões.
    Normalmente fico pasmado com a facilidade em que em Portugal, o Estado se livra da ‘Responsabilidade’, que aliás é um flagelo nacional.
    Agora ir a procura de um responsável assim, é tão fácil como acusar um futebolista de violação. O cheirinho do dinheirinho desperta os advogados que recebem 50% ou mais.

  2. Com a fuga de responsablidades, e não ir sequer ao funeral da vitima que morreu porque ele ia em urgencia….

    Acho muito bem que pague, do bolso dele, e o que não puder pague o estado, como dizem acima todos nós.

    Só ha dinheiro para tachos na TAP, e similares…

    CHEGA

  3. Como é que eles dizem ? A Lei é igual para todos , hahahaah.
    Como é que é possível um tipo com as responsabilidades que tem , continuar a ocupar o cargo depois de um escândalo destes ?
    É por estas e por outras que os portugueses cada vez mais se afastam dos políticos, das eleições . Que nojo

    • Mas pior ainda é que este ministro é um acumulador de escândalos e incompreensivelmente é mantido em funções pelo 1º ministro, algo haverá por detrás que só daqui a alguns anos quando já não fizer mossa em nenhum deles se descobrirá.

  4. Se bem conheço o que é a normalidade nestes casos, o morto, por irresponsabilidade, vai ter de indemnizar o ministro e pagar o conserto do carro. Coitada da viúva, pode pedir os milhões que quiser porque não vai ver um cêntimo!!!?

  5. Podemos comentar como entendemos !……….. Mas muito pouco ou nada se sabe sobre as circunstancias do acidente. Desde o lamentável caso, a C.S informou que foi aberta uma investigação, a minha pergunta é “en que deu” a famosa investigação ???…….Quem são os actores deste caso ????….Quem era o motorista?… ( foi ouvido) por a P.J ?……..Certo é que no limite, é un caso de acidente do trabalho causado por terceiros ( cujos sabemos a Identidade de por menos Um), nada transpira sobre o resultado da investigação !…..mas enfim ….trata-se do Sr. Ministro !…fosse outro alguém estou convicto que o desfecho seria diferente !

  6. Primeiro seja qual for a quantia será sempre muito pouco para uma vida humana, segundo não têm que ser os contribuintes a pagar e sim o responsável!

  7. A Brisa já afirmou que o carro circulava a mais de 200 km/h, o Cabrita sabe o que fez, o motorista também, o Primeiro Ministro também sabe o que o Cabrita e o motorista fizeram, o Presidente da República também sabe o que o Cabrita e o motorista fizeram, onde está justiça?
    Estamos entregues à maldade de quem elegemos para governar os destinos da nação.
    Estamos entregues à falta de vergonha de quem elegemos para governar os destinos da nação.
    Estamos entregues à falta de sentimentos de quem elegemos para governar os destinos da nação.
    O que será que nos falta mais?

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.