Tecnologia usada na Lua adaptada para encontrar bombas antigas na Terra

Uma tecnologia usada na Lua para detetar crateras de meteoros foi adaptada para encontrar crateras de bombas por explodir no Camboja.

Durante a Guerra do Vietname, os Estados Unidos lançaram cerca de 3 milhões de bombas no Camboja, embora muitas delas não tenham explodido e, ainda hoje, continuem enterradas no país. Isto pode ser muito perigoso caso uma delas seja detonada acidentalmente.

No entanto, um novo modelo de inteligência artificial, que utiliza imagens de satélite de alta resolução, pode acelerar a procura destas bombas e salvar vidas, escreve o Inverse.

Um estudo publicado, esta semana, na revista científica PLOS One, explica como os investigadores criaram um algoritmo para detetar automaticamente estas crateras nas imagens de satélite. Basicamente o que os investigadores fizeram foi ajustar um modelo que diagrama crateras de meteoros na Lua para identificar bombas na Terra.

Os cientistas explicam que as crateras de bombas passam por vários níveis de erosão, ao contrário das crateras de meteoros. Além disso, as crateras de bombas são relativamente mais pequenas, tendo entre 3 e 12 metros de diâmetro. Isto faz com que sejam mais difíceis de encontrar do que as crateras de meteoros, que podem ter 3.000 metros de diâmetro.

Para piorar a situação, as crateras de bombas podem apresentar uma forma irregular e incomum devido à erosão e a outros fatores. Os investigadores tiveram de adaptar a tecnologia utilizada na Lua para ter em consideração esta diferença.

Ainda assim, o Inverse explica que o método acusava alguns falsos positivos. Como tal, foi necessário analisar as imagens de satélite usando o conhecimento base de características comuns em crateras de bombas de forma a excluir os falsos positivos.

Com este novo modelo, os autores do estudo alegam que a eficácia da deteção de crateras de bombas aumentou 160%. Esta tecnologia pode ser de extrema importância para as sete organização a trabalhar atualmente para encontrar bombas e minas por explodir no Camboja.

Angola é também um país muito afetado pelo problema das minas por explodir, com cerca de 1.220 áreas do seu território com este tipo de artefactos explosivos. O país precisa de 269,7 milhões de euros para se ver livre de minas até 2025.

ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. “… as crateras de bombas são relativamente mais pequenas, …”
    Sério mesmo que escreveram mais pequenas? Falhas assim acabam com a credibilidade da informação apresentada. 😮

    • Falha?
      Onde?
      Em Português, “mais pequenas” está completamente correcto!!
      Se não sabes Português, que moral tens para vir a um site português tentar “corrigir” como se escreve em Portugal?
      Será que os americanos também vão a sites ingleses tentar ensinar Inglês ao ingleses?!

RESPONDER

Itália volta a disputar a fronteira do Monte Branco com França

Depois das autoridades francesas imporem medidas restritivas que afetaram o território italiano, o país reacendeu uma disputa antiga com França. Em causa estão os direitos de fronteira do Monte Branco. Luigi Di Maio, ministro das Relações …

Maior queda do mês no preço dos combustíveis. Gasóleo atinge mínimos de 4 meses

A partir de hoje os preços dos combustíveis irão baixar, e esta será a maior queda do mês. No que diz respeito ao preço da gasolina, esta deverá cair um cêntimo para 1,387€ por litro. …

Mais de 500 detidos nos protestos contra Lukashenko. Segue-se a greve geral

A greve geral anunciada pela líder da oposição bielorrussa no exílio para exigir a saída do Presidente começou, esta segunda-feira, com protestos tímidos e detenções em todo o país. "O prazo para cumprir as exigências do …

Polacos protestam contra acórdão que torna o aborto quase impossível

Milhares de polacos têm-se manifestado, nos últimos dias, contra a proibição quase total do aborto, quando as leis do país estavam já entre as mais restritivas da União Europeia. Na última quinta-feira, o Tribunal Constitucional polaco …

Japão promete "uma sociedade neutra em termos de carbono" até 2050

O Japão quer alcançar a neutralidade de carbono até 2050, disse hoje o primeiro-ministro japonês Yoshihide Suga, um caminho que se afigura complicado, devido à dependência do país do carvão. Numa altura em que cada vez …

"Nada nos vai fazer recuar". Macron desperta a raiva do mundo muçulmano (e enfurece Erdogan)

Emmanuel Macron, presidente de França, assumiu posições muito claras na defesa da liberdade de exibir as caricaturas de Maomé, no âmbito da homenagem ao professor decapitado na semana passada, suscitando protestos em vários países muçulmanos. "Nada …

Merkel avisa Alemanha que os próximos meses vão ser “muito difíceis”

A chanceler alemã, Angela Merkel, avisou a Alemanha de que os próximos meses vão ser "muito difíceis", já que o número de infeções por covid-19 continua a crescer diariamente, tendo-se registado 8.685 nas últimas …

Portugal acusado de bloquear lei europeia contra evasão fiscal pelas multinacionais

Os governos português e sueco estão a ser acusados de bloquear, no Conselho da União Europeia (UE), a deliberação de uma lei contra a evasão fiscal por parte de grandes empresas multinacionais digitais. Segundo anunciou esta …

Consumo de antibióticos desce 22% durante a pandemia. Menos 1,1 milhões de embalagens vendidas

O consumo de antibióticos registou uma descida na ordem dos 22% nos primeiros oito meses deste ano. Venderam-se menos 1,1 milhões de embalagens, quando comparado com igual período do ano passado. Entre janeiro e agosto deste …

Portugal regista mais 2.447 casos e 27 mortes por covid-19

Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais 2.447 casos positivos e 27 mortes por covid-19. A informação foi divulgada, esta segunda-feira, no boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). O boletim epidemiológico divulgado hoje revela que …