“Estou a sufocar.” Reveladas as últimas palavras de Khashoggi antes de morrer

Ali Haider / EPA

As autoridades turcas afirmam que o jornalista saudita Jamal Khashoggi foi morto por 15 agentes da inteligência saudita em 2 de outubro no Consulado deste país em Istambul.

O responsável do departamento de investigação do jornal turco Daily Sabah, Nazif Karaman, revelou este sábado, em entrevista à Al Jazeera, as supostas últimas palavras do jornalista saudita Jamal Khashoggi, morto no Consulado Geral da Arábia Saudita em 2 de outubro. Segundo Karaman, o colunista do The Washington Post foi sufocado com um saco de plástico na cabeça.

Estou a sufocar, tire este saco da minha cabeça, sou claustrofóbico“, terão sido as últimas palavras que o jornalista proferiu ainda vivo, antes de perder a vida. As declarações do responsável do departamento de investigação do Daily Sabah são baseadas num áudio gravado pelo Apple Watch da vítima, que as autoridades turcas afirmam ter à sua disposição.

Ainda durante a entrevista, Karaman confirmou que o estrangulamento do jornalista saudita durou sete minutos. Além disso, Karaman citou ainda informações de alguns funcionários da Inteligência turca, avançando que a equipa saudita, composta por 15 membros que viajaram para Istambul expressamente para assassinar o jornalista, passou cerca de 15 minutos a desmembrar o corpo.

A equipa responsável pela morte do jornalista, liderada por Salah al-Tubaigy, cabeça do Conselho Científico Saudita de Ciências Forenses, colocou sacos de plástico no chão onde Khashoggi foi morto para evitar que o sangue manchasse o piso.

Karaman prometeu ainda que o Daily Sabah publicará em breve imagens das ferramentas introduzidas na Turquia pelo esquadrão da morte usadas para desmembrar o corpo do jornalista, assim como as gravações dos últimos momentos de vida de Khashoggi.

A polícia turca está ainda a procurar o corpo do jornalista assassinado. Até agora, encontraram apenas vestígios de ácido na residência do cônsul da Arábia em Istambul. Uma das hipóteses que está em cima da mesa é que o corpo desmembrado terá sido dissolvido com produtos químicos.

A 10 de outubro, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan anunciou que havia partilhado o áudio que provava o assassinato de Khashoggi com Riad, Paris, Londres, Berlim e Washington. Segundo autoridades turcas, as gravações provam que o assassinato de Khashoggi foi premeditado.

Em outubro, Gina Haspel, diretora da CIA, viajou para a Turquia. Segundo o NPR, não está, contudo, claro se as cópias das gravações foram entregues fisicamente aos Estados Unidos ou se os funcionários norte-americanos puderam apenas ouvir o áudio.

De acordo com o The New York Times, “para a CIA, possuir uma cópia física da fita seria importante para verificar sua autenticidade, determinar como foi feita e analisar o conteúdo de forma independente”.

Washington vai responsabilizar todos os envolvidos

Os Estados Unidos vão “pedir contas a todos os envolvidos na morte de Jamal Khashoggi”, garantiu este domingo o chefe da diplomacia norte-americana, Mike Pompeo, ao príncipe herdeiro da Arábia Saudita.

Numa chamada telefónica com Mohammed ben Salmane, Pompeo instou a Arábia Saudita a responsabilizar os envolvidos, assim como apelou ao “fim das hostilidades” no Iémen, relatou a porta-voz do departamento de Estado, Heather Nauert.

As forças pró-governamentais do Iémen têm combatido os rebeldes Houthis, apoiados pelo Irão. Em 2015, uma coligação liderada pelos sauditas interveio a favor das forças pró-governamentais.

Na sexta-feira, o The Washington Post indicou que a administração norte-americana decidiu deixar de fornecer aviões à coligação, um apoio cada vez mais controverso depois da morte do jornalista saudita, imputado a altos responsáveis do reino e que estão a manchar a imagem de Riade.

O Ministério Público turco declarou recentemente que Jamal Khashoggi, de 59 anos, foi estrangulado e posteriormente desmembrado no consulado saudita em Istambul, no dia 2 de outubro, onde tinha entrado para obter um documento para se casar com uma cidadã turca.

O jornalista era esperado no consulado por um comando de 15 agentes sauditas que viajaram para a cidade turca algumas horas antes e regressaram à Arábia Saudita naquela mesma noite.

Recep Tayyip Erdogan assegurou recentemente numa coluna publicada no jornal norte-americano The Washington Post que está certo de que a ordem para matar o jornalista dissidente surgiu “do mais alto nível” do poder da Arábia Saudita.

O jornalista saudita, que colaborava com o The Washington Post, estava exilado nos Estados Unidos desde 2017 e era um reconhecido crítico do poder em Riade.

ZAP // RT / Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Pois, um acontecimento gravíssimo, que necessita de uma atitude à altura.
    A imunidade diplomática nunca poderá servir, em momento algum, jamais, para actos deste tipo.
    Quem aproveita essa imunidade para estes actos deve ser severamente punido. Exige-se a revisão da convenção de Viena para garantir que coisas semelhantes não voltaram a acontecer.

RESPONDER

Número de Câmaras que devolvem parte do IRS duplicou numa década

O número de Câmaras Municipais que dão desconto no IRS aos munícipes, ao abrigo do Regime Financeiro das Autarquias locais, duplicou em dez anos. O número de Câmaras Municipais a efetuar descontos no IRS a favor …

"Melhor treinador de todos os tempos". Mourinho vai receber prémio na Web Summit

A Web Summit anunciou, esta terça-feira, que o treinador de futebol português vai ser premiado com o "Web Summit Innovation in Sport", durante o evento que decorre online entre 2 e 4 de dezembro. Em comunicado …

Afinal, novo apoio social vai chegar a 250 mil trabalhadores e custar 633 milhões de euros

As negociações do Governo com a esquerda levaram a alterações no novo apoio social, que deverá abranger mais 80 mil pessoas do que inicialmente estava previsto.  O novo apoio social previsto na proposta de Orçamento do …

Geringonça açoriana. PSD pondera ligação com CDS, PPM e Chega (e o PAN é o centro da disputa)

PSD leva em conta "casamento" político com CDS e PPM e estes podem ser opção para o executivo regional. Os sociais-democratas e os socialistas disputam o PAN. Após as eleições nos Açores, que se realizaram no …

"Dei-te quase tudo." PS dedica música ao Bloco, mas não vai em cantigas

"Dei-te quase tudo e quase tudo foi demais." A dedicatória do deputado socialista João Paulo Pedrosa resume a relação tensa do Governo com o Bloco de Esquerda. Sem acordo, parte das propostas no Código de …

Cristiano Ronaldo está a ser investigado em Itália por causa da covid-19

O ministro do Desporto de Itália, Vincenzo Spadafora, anunciou que está em curso uma investigação para "provar" que Cristiano Ronaldo quebrou o protocolo sanitário no âmbito da pandemia de covid-19. Em causa está o facto …

PEV vai abster-se na votação do Orçamento do Estado na generalidade

O Partido Ecologista "Os Verdes" junta-se ao PCP e ao PAN na abstenção da votação da proposta de Orçamento do Estado para 2021, cuja aprovação já está garantida. De acordo com o deputado José Luís Ferreira, …

Ovar volta a ativar Plano de Emergência Municipal

A Câmara Municipal de Ovar reativou o Plano Municipal de Emergência da Proteção Civil face ao aumento do número de casos de covid-19. Salvador Malheiro, decidiu ativar o Plano Municipal de Emergência, a partir das 00:00 …

Crocodilos africanos viveram em Espanha há seis milhões de anos

Há milhões de anos, várias espécies de crocodilos habitaram a Europa. Contudo, era improvável que crocodilos do género Crocodylus - de origem africana - tivessem vivido na bacia do Mediterrâneo. Os vestígios encontrados nas regiões …

Bernardo Silva arrasa Vieira (e Jesus e Rui Costa atiram-se ao jogador)

Na antecâmara das eleições para a presidência do Benfica, Bernardo Silva, ex-futebolista encarnado, apela a uma "mudança" e deixa duras críticas à presidência de Luís Filipe Vieira. Por outro lado, Rui Costa, que integra a …