Senado desafia Trump e quer condenar líder saudita por assassínio de jornalista

USDoD / Wikimedia

O príncipe saudita Mohammed bin Salman

O Senado dos Estados Unidos tem “um alto grau de certeza” de que Mohammed bin Salman “foi cúmplice” do assassínio do jornalista Jamal Khashoggi.

São apenas seis os nomes dos apoiantes originais da resolução, mas é tal a influência destes senadores, três republicanos e três democratas, que restam poucas dúvidas sobre a aprovação do texto que desafia Trump, que já disse manter-se do lado da Arábia saudita.

“Esta resolução afirma, sem equívocos, que o príncipe herdeiro da Arábia Saudita foi cúmplice no assassínio de Khashoggi e tem desestabilizado a região e posto em risco os nossos interesses de segurança nacional em várias frentes”, afirma o senador Lindsey Graham num comunicado. “Caberá aos sauditas decidirem como lidar com isto. Mas cabe aos EUA afirmar com firmeza quem somos e no que é que acreditamos.”

Para além de Graham, a resolução foi proposta pela senadora democrata Dianne Feinstein e pelos republicanos Marco Rubio e Todd Young, aliados aos democratas Edward Markey e Christopher Coons. Outros senadores influentes já falaram em defesa do texto.

Há semanas que alguns congressistas apontam o dedo ao príncipe herdeiro na morte do jornalista crítico que estava há um ano a viver na Virgínia. Khashoggi foi morto e desmembrado a 2 de outubro, no consulado saudita de Istambul, por um “esquadrão da morte” enviado da Arábia Saudita em aviões oficiais.

Riad nega qualquer envolvimento ou conhecimento prévio de Mohammed bin Salman, ainda que no grupo que matou o jornalista estivessem os responsáveis da segurança que lhe eram mais próximos.

A CIA, recorda o Público, concluiu que foi Mohammed bin Salman a ordenar a morte de Khashoggi. Depois de a Casa Branca negar que essas tivessem sido as conclusões, o Presidente Donald Trump afirmou que a agência tinha “a sensação” da culpa do príncipe mas não “estava convicta”.

A gota de água para a decisão destes senadores foi uma audiência com a diretora da CIA, Gina Haspel. “Não tenho nenhuma dúvida que o príncipe herdeiro ordenou a morte e foi sempre mantido ao corrente da situação”, afirmou no final do encontro o republicano Bob Corker, chefe da Comissão dos Negócios Estrangeiros.

Para além de o responsabilizar pelo assassínio, a resolução também considera Mohammed bin Salman culpado por alegadas atrocidades na guerra do Iémen e apela a Riad para pôr fim ao bloqueio que promoveu entre os países do Golfo Pérsico contra o Qatar. O grupo de senadores dos dois partidos exige ainda a libertação do blogger Raif Badawi, de várias mulheres ativistas e de outros presos políticos no reino.

Esta resolução é divulgada ao mesmo tempo que o Senado se prepara para avançar com outra que pretende impedir os EUA de continuarem a apoiar os sauditas na guerra iemenita. Aqui trata-se de invocar um procedimento que retira poderes sobre decisões militares ao Presidente, algo que já foi tentado e chumbado no passado.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Bloco apoia travão ao desconfinamento na região de Lisboa

O Bloco de Esquerda apoiou o adiamento do levantamento de restrições impostas pela pandemia na região de Lisboa e Vale do Tejo, destacando que é importante aumentar a vigilância nas empresas de construção e trabalho …

Descoberto "cemitério" de mamutes nos arredores da Cidade do México

Investigadores descobriram um "cemitério" com cerca de 60 mamutes nos arredores da Cidade do México, avança o Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH) do país. De acordo com o site Live Science, a descoberta aconteceu, …

David Luiz confirma rumores. Regresso "vai acontecer se o presidente permitir e os adeptos quiserem"

David Luiz confirmou este sábado os rumores que davam conta que o Benfica e o jogador estavam a negociar um eventual regresso do brasileiro à Luz. Em entrevista ao desportivo Record, David Luiz confirmou a …

Cães treinados para proteger animais selvagens salvam 45 rinocerontes

Há inúmeras razões que explicam o motivo pelo qual os cães são conhecidos como o melhor amigo do Homem. Além de leais e inteligentes, dão sempre o corpo às balas, mesmo nos piores momentos. Quarenta e …

Fez-se história. Foguetão da SpaceX lançado com sucesso rumo à EEI

O primeiro foguetão concebido e construído por uma empresa privada, a SpaceX, de Elon Musk, levando a bordo dois astronautas foi lançado este sábado na presença do Presidente do Estados Unidos, Donald Trump. O lançamento decorreu …

"A Rússia não permitirá a privatização da Lua", avisa Roscosmos

A Rússia não permitirá a privatização da Lua, independentemente de quem avance a iniciativa, avisou o chefe da agência espacial russa (Roscosmos), Dmitri Rogozin, em entrevista ao jornal Komsomólskaya Pravda. "Não permitiremos que ninguém privatize a …

Plataforma flutuante extrai energia das ondas, do vento e do Sol

A empresa alemã Sinn Power criou uma plataforma marítima flutuante capaz de gerar energia renovável a partir de ondas, vento e energia solar. A plataforma híbrida combina turbinas eólicas, painéis solares e coletores de energia das …

Balneários proibidos e 3 metros de distância. As regras da DGS para a prática de exercício físico

A Direção-Geral da Saúde (DGS) recomenda uma distância mínima de três metros entre pessoas que pratiquem exercício físico, no âmbito das medidas de prevenção da pandemia de covid-19. A orientação, intitulada “Procedimentos de Prevenção e Controlo …

Astronautas da NASA já se preparam para voo histórico a bordo do foguetão da Space X

Dois astronautas da NASA já estão a equipar-se para o lançamento histórico de um foguetão concebido e construído pela empresa SpaceX, de Elon Musk, apesar de as previsões meteorológicas indicarem mais tempestades. Com o voo já …

Há dez anos, Portugal adotou a lei que permitiu o casamento entre pessoas do mesmo sexo

Portugal adotou há 10 anos a lei que permitiu o casamento entre pessoas do mesmo sexo, após um debate fraturante que remeteu para mais tarde a adoção de crianças por estes casais, possível apenas desde …