Caso Khashoggi: Trump mantém-se ao lado da Arábia Saudita

Michael Reynolds / EPA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

Donald Trump emitiu um comunicado em que se pronunciou sobre o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi, revelando que embora condene veemente o crime, a relação dos Estados Unidos é com Reino da Arábia Saudita, “parceiros na luta contra o Irão”.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, indicou esta terça-feira que os Estados Unidos vão manter a sua relação com o príncipe saudita, Mohammed bon Salman, declarando que não existe a certeza absoluta de que este esteja diretamente ligado ao assassinato de Jamal Khashoggi.

“Pode muito bem acontecer que o Príncipe tenha conhecimento deste evento trágico – talvez tenha, talvez não!”, pode ler-se no comunicado emitido pela Casa Branca, noticia o The New York Times.

“O crime contra Jamal khashoggi foi um terrível, um que o nosso país não pode tolerar. De facto, já tomamos medidas fortes contra aqueles que sabemos que participaram no assassinato. Depois de uma excelente investigação independente, nós sabemos muitos dos detalhes deste crime horrível. Já sancionamos 17 sauditas que estão envolvidos no assassinato do Sr. Khashoggi, e pelo desaparecimento do seu corpo”, esclarece.

“Representantes da Arábia Saudita dizem que Jamal Khashoggi era um ‘inimigo do Estado’ e um membro da Irmandade Muçulmana, mas a minha decisão não é baseada nisso – isto é um crime horrível e inaceitável. O rei Salman e o Príncipe Mohammad bin Salman negaram veemente terem qualquer conhecimento de um plano ou execução do assassinato do Sr. Khashoggi”, continua.

No entanto, ressalva, “poderemos nunca vir a ter conhecimento de todos os factos envolventes no assassinato de Sr. Jamal Khashoggi”. Porém, “em qualquer caso, a nossa relação é com o Reino da Arábia Saudita“.

E explica: “Tem sido um grande aliado na nossa luta importante contra o Irão. Os Estados Unidos mantêm a intenção firme de continuar a parceria com a Arábia Saudita para garantir os interesses do nosso país, Israel e todos os parceiros na região. O nosso objetivo primordial passa por eliminar completamente a ameaça de terrorismo no mundo!”.

Na mesma nota informativa, Trump enumerou as razões que sustentam a aliança estratégica entre Washington e Riade: a luta contra o inimigo comum iraniano, o combate contra o “terrorismo islâmico radical”, a compra de armas norte-americanas e a estabilidade dos preços do petróleo (o reino saudita é o maior exportador de crude).

No texto, Donald Trump assegurou que os Estados Unidos não vão punir, neste momento, o príncipe herdeiro saudita ou suspender a venda de armamento à Arábia Saudita. Sobre este último assunto, Trump frisou que o cancelamento da venda de armamento a Riade, contratos avaliados em muitos milhões de dólares, apenas beneficiaria, por exemplo, a China e a Rússia.

Segundo o Presidente, as agências de informações norte-americanas “continuam a analisar todas as informações” relacionadas com o caso Khashoggi.

Vários media norte-americanos avançaram que os serviços secretos norte-americanos (CIA) tinham chegado à conclusão que o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, o atual homem forte de Riade, tinha sido o mandante do assassínio do jornalista.

 

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

"O mundo está no momento mais perigoso da história humana", diz Noam Chomsky

O professor norte-americano Noam Chomsky, conhecido como o pai da linguística moderna, advertiu que o mundo está no momento mais perigoso da história da humanidade devido à crise climática, à ameaça de guerra nuclear e …

Portugal com 849 novas infecções por covid-19. Há 20.722 casos activos

Portugal registou 849 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, mantendo-se a tendência de subida verificada nos dias anteriores. Mas o número de pacientes recuperados também não era tão alto desde Julho. O boletim da …

A Grândola Vila Morena abafou "a maior marcha alguma vez vista" do Chega

Com a Praça do Giraldo, em Évora, dividida por barreiras anti-motim, os participantes da concentração "Pela Liberdade" receberam os apoiantes do Chega de André Ventura ao som de "Grândola Vila Morena" e empunhando cravos vermelhos …

Pandemia assola Irão. EUA com mais 888 mortos. 19 países europeus bateram recorde de casos

Naquele que é o número mais elevado de casos diários desde abril, a Alemanha registou 2.297 novos contágios, 19 países europeus já ultrapassaram o recorde de casos do pico da pandemia. O Irão ultrapassou as …

Rangel "é um turista do carago". SMS atestam que Vieira usou Benfica em "benefício pessoal"

Luís Filipe Vieira é um dos acusados da Operação Lex, com o Ministério Público (MP) a alegar que o presidente do Benfica utilizou o clube em "benefício pessoal" para obter uma cunha do juiz Rui Rangel. O …

Farmácias em risco de não ter vacinas da gripe para tantos pedidos

As farmácias privadas receiam não ter doses suficientes de vacina contra a gripe para dar resposta a todos os pedidos. As encomendas da vacina já sãocinco vezes mais do que as registadas em 2019. A preocupação …

É responsabilidade a mais. Médicos não querem integrar Brigadas Rápidas dos lares

Está a ser difícil contratar médicos para as Brigadas de Intervenção Rápida dos lares que foram anunciadas pelo Governo. Mesmo a receberem acima da tabela de pagamentos, os médicos receiam a falta de condições e …

Restrições a turistas suavizadas. Finlândia tenta salvar a Lapónia (e a época de inverno)

A Finlândia, que vê o turismo estrangeiro em perigo na Lapónia, permite a partir de hoje a entrada de turistas de cerca de vinte países sem terem de fazer quarentena. As medidas surgem numa altura em …

"Foi uma vergonha". PS em choque com saída de Jamila e com o poder de Temido

A saída de Jamila Madeira do cargo de secretária de Estado Adjunta e da Saúde, a pedido da ministra Marta Temido, deixou alguns socialistas "arrepiados" e há um desconforto interno com a situação. É mais …

Mãe de bebé deixado no Cacém entregou-se no hospital e foi constituída arguida

A mãe do bebé deixado na terça-feira junto ao Centro Social Baptista, no Cacém, Sintra, entregou-se hoje no Hospital Amadora-Sintra e, depois de ter sido transportada para a esquadra, foi constituída arguida, disse à Lusa …