Caso Khashoggi: Trump mantém-se ao lado da Arábia Saudita

Michael Reynolds / EPA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

Donald Trump emitiu um comunicado em que se pronunciou sobre o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi, revelando que embora condene veemente o crime, a relação dos Estados Unidos é com Reino da Arábia Saudita, “parceiros na luta contra o Irão”.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, indicou esta terça-feira que os Estados Unidos vão manter a sua relação com o príncipe saudita, Mohammed bon Salman, declarando que não existe a certeza absoluta de que este esteja diretamente ligado ao assassinato de Jamal Khashoggi.

“Pode muito bem acontecer que o Príncipe tenha conhecimento deste evento trágico – talvez tenha, talvez não!”, pode ler-se no comunicado emitido pela Casa Branca, noticia o The New York Times.

“O crime contra Jamal khashoggi foi um terrível, um que o nosso país não pode tolerar. De facto, já tomamos medidas fortes contra aqueles que sabemos que participaram no assassinato. Depois de uma excelente investigação independente, nós sabemos muitos dos detalhes deste crime horrível. Já sancionamos 17 sauditas que estão envolvidos no assassinato do Sr. Khashoggi, e pelo desaparecimento do seu corpo”, esclarece.

“Representantes da Arábia Saudita dizem que Jamal Khashoggi era um ‘inimigo do Estado’ e um membro da Irmandade Muçulmana, mas a minha decisão não é baseada nisso – isto é um crime horrível e inaceitável. O rei Salman e o Príncipe Mohammad bin Salman negaram veemente terem qualquer conhecimento de um plano ou execução do assassinato do Sr. Khashoggi”, continua.

No entanto, ressalva, “poderemos nunca vir a ter conhecimento de todos os factos envolventes no assassinato de Sr. Jamal Khashoggi”. Porém, “em qualquer caso, a nossa relação é com o Reino da Arábia Saudita“.

E explica: “Tem sido um grande aliado na nossa luta importante contra o Irão. Os Estados Unidos mantêm a intenção firme de continuar a parceria com a Arábia Saudita para garantir os interesses do nosso país, Israel e todos os parceiros na região. O nosso objetivo primordial passa por eliminar completamente a ameaça de terrorismo no mundo!”.

Na mesma nota informativa, Trump enumerou as razões que sustentam a aliança estratégica entre Washington e Riade: a luta contra o inimigo comum iraniano, o combate contra o “terrorismo islâmico radical”, a compra de armas norte-americanas e a estabilidade dos preços do petróleo (o reino saudita é o maior exportador de crude).

No texto, Donald Trump assegurou que os Estados Unidos não vão punir, neste momento, o príncipe herdeiro saudita ou suspender a venda de armamento à Arábia Saudita. Sobre este último assunto, Trump frisou que o cancelamento da venda de armamento a Riade, contratos avaliados em muitos milhões de dólares, apenas beneficiaria, por exemplo, a China e a Rússia.

Segundo o Presidente, as agências de informações norte-americanas “continuam a analisar todas as informações” relacionadas com o caso Khashoggi.

Vários media norte-americanos avançaram que os serviços secretos norte-americanos (CIA) tinham chegado à conclusão que o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, o atual homem forte de Riade, tinha sido o mandante do assassínio do jornalista.

 

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Artistas exigem 1% do Orçamento do Estado para a Cultura

Mais de 300 artistas concentrados esta terça-feira em frente ao Teatro Nacional de São Carlos, em Lisboa, exigiram um valor imediato de 1% do Orçamento do Estado para a Cultura, em 2020. O protesto, convocado pela …

Depois do Idai, ainda há carência de comida e água potável

São milhares os desalojados que, após o ciclone Idai, continuam sem acesso a água potável. Além disso, a necessidade de comida mantém-se em níveis inalterados. Os dados da Organização Internacional para as Migrações (OIM), patentes no …

Há mulheres-polícia que recebem menos quando estão grávidas

De acordo com um relatório sobre as iniquidades de género dentro da Polícia de Segurança Pública (PSP), ao qual a revista Sábado teve acesso, há mulheres-polícia que recebem menos quando ficam grávidas. Segundo o inquérito realizado …

França. Governo adia entrada em vigor das novas pensões

O novo sistema universal de pensões em França vai abranger apenas as gerações nascidas a partir de 1975 e só terá nova formulação, através de pontos, a partir de 2025. O novo sistema universal de pensões …

Greta Thunberg é a "Personalidade do Ano" da revista Time

Greta Thunberg é a “Personalidade do Ano” mais jovem alguma vez escolhida pela revista Time. A capa da edição de 23 de dezembro foi divulgada esta quarta-feira. A revista norte-americana Time elegeu a ativista climática sueca …

Erupção do Whakaari. Nova Zelândia encomendou 120 metros quadrados de pele para tratar os feridos

A Nova Zelândia já encomendou 120 metros quadrados de pele humana aos Estados Unidos para tratar os 30 feridos do vulcão Whakaari, na Ilha Branca. Cirurgiões neozelandeses têm trabalhado sem parar dado o número de queimados …

Entidade Reguladora da Saúde diz que fez tudo o que devia no caso do bebé sem rosto

Esta quarta-feira, a presidente da Entidade Reguladora da Saúde (ERS) considerou que o regulador fez tudo o que devia ter feito no caso do bebé que nasceu em Setúbal com malformações graves não detetadas as …

Legislação não impede que animais selvagens sejam vendidos a circos estrangeiros

A nova lei de proteção a animais selvagens não impede que estes sejam vendidos e continuem a ser usados em circos estrangeiros. Animais como camelos, cães e cavalos continuam a poder ser usados. A lei de …

Oito migrantes do norte de África desembarcam na praia de Monte Gordo

Oito migrantes oriundos do norte de África foram detidos na manhã desta quarta-feira pela Polícia Marítima, depois de desembarcarem em Monte Gordo, no Algarve. Oito migrantes foram detidos na manhã desta quarta-feira pela Polícia Marítima em …

Universidade impede que Laurent seja o mais novo a licenciar-se e criança desiste

Laurent Simons já não deverá ser o menino mais novo do mundo a licenciar-se, depois de a universidade ter alargado os seus estudos até meados de 2020. A Universidade Técnica de Eindhoven, na Holanda, propôs a …