Caso Khashoggi: Trump mantém-se ao lado da Arábia Saudita

Michael Reynolds / EPA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

Donald Trump emitiu um comunicado em que se pronunciou sobre o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi, revelando que embora condene veemente o crime, a relação dos Estados Unidos é com Reino da Arábia Saudita, “parceiros na luta contra o Irão”.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, indicou esta terça-feira que os Estados Unidos vão manter a sua relação com o príncipe saudita, Mohammed bon Salman, declarando que não existe a certeza absoluta de que este esteja diretamente ligado ao assassinato de Jamal Khashoggi.

“Pode muito bem acontecer que o Príncipe tenha conhecimento deste evento trágico – talvez tenha, talvez não!”, pode ler-se no comunicado emitido pela Casa Branca, noticia o The New York Times.

“O crime contra Jamal khashoggi foi um terrível, um que o nosso país não pode tolerar. De facto, já tomamos medidas fortes contra aqueles que sabemos que participaram no assassinato. Depois de uma excelente investigação independente, nós sabemos muitos dos detalhes deste crime horrível. Já sancionamos 17 sauditas que estão envolvidos no assassinato do Sr. Khashoggi, e pelo desaparecimento do seu corpo”, esclarece.

“Representantes da Arábia Saudita dizem que Jamal Khashoggi era um ‘inimigo do Estado’ e um membro da Irmandade Muçulmana, mas a minha decisão não é baseada nisso – isto é um crime horrível e inaceitável. O rei Salman e o Príncipe Mohammad bin Salman negaram veemente terem qualquer conhecimento de um plano ou execução do assassinato do Sr. Khashoggi”, continua.

No entanto, ressalva, “poderemos nunca vir a ter conhecimento de todos os factos envolventes no assassinato de Sr. Jamal Khashoggi”. Porém, “em qualquer caso, a nossa relação é com o Reino da Arábia Saudita“.

E explica: “Tem sido um grande aliado na nossa luta importante contra o Irão. Os Estados Unidos mantêm a intenção firme de continuar a parceria com a Arábia Saudita para garantir os interesses do nosso país, Israel e todos os parceiros na região. O nosso objetivo primordial passa por eliminar completamente a ameaça de terrorismo no mundo!”.

Na mesma nota informativa, Trump enumerou as razões que sustentam a aliança estratégica entre Washington e Riade: a luta contra o inimigo comum iraniano, o combate contra o “terrorismo islâmico radical”, a compra de armas norte-americanas e a estabilidade dos preços do petróleo (o reino saudita é o maior exportador de crude).

No texto, Donald Trump assegurou que os Estados Unidos não vão punir, neste momento, o príncipe herdeiro saudita ou suspender a venda de armamento à Arábia Saudita. Sobre este último assunto, Trump frisou que o cancelamento da venda de armamento a Riade, contratos avaliados em muitos milhões de dólares, apenas beneficiaria, por exemplo, a China e a Rússia.

Segundo o Presidente, as agências de informações norte-americanas “continuam a analisar todas as informações” relacionadas com o caso Khashoggi.

Vários media norte-americanos avançaram que os serviços secretos norte-americanos (CIA) tinham chegado à conclusão que o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, o atual homem forte de Riade, tinha sido o mandante do assassínio do jornalista.

 

Lusa // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Pedrógão Grande. Testemunha afirma que Câmara a aconselhou a mudar a morada fiscal

A proprietária de uma segunda habitação reconstruída após o incêndio de 2017, em Pedrógão Grande, disse esta quinta-feira que alterou a sua morada fiscal a conselho de um "senhor Bruno", da Câmara Municipal. O julgamento das …

Corrida aos combustíveis. Ciberataque a oleoduto provoca pânico nos EUA

Quase dois terços dos postos de gasolina do sudeste dos Estados Unidos registam escassez de combustível, depois de um ciberataque à maior rede de oleodutos do país ter obrigado a suspender as operações desde sexta-feira. A …

Cecília Meireles sente "enorme tristeza" por ver CDS com 1% nas sondagens

A deputada centrista abordou vários temas numa entrevista, publicada esta quinta-feira, desde a queda do CDS nas sondagens ao seu lugar de deputada na Assembleia da República. Numa entrevista à rádio Renascença e ao jornal Público, …

"Chernobyl do século XXI." Pandemia de covid-19 poderia ter sido evitada, dizem especialistas

A pandemia de covid-19 podia ter sido evitada e o mundo deve aprender com os erros que não permitiram travar a disseminação do vírus, conclui um novo relatório, divulgado esta quarta-feira. A pandemia de covid-19 poderia …

"Estamos a ver a patologia da banca. Uma patologia triste", diz CEO do Novo Banco

O presidente executivo do Novo Banco, António Ramalho, tem visto, nos últimos tempos, grandes devedores da instituição financeira a explicarem-se na comissão de inquérito, classificando o que assiste como "triste". "Estamos a ver a patologia da …

Maduro aceita conversar com Guaidó sobre "acordo de salvação" da Venezuela

O Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, anunciou estar disposto a reunir-se quando a oposição quiser, um dia depois de o líder opositor Juan Guaidó propor um "acordo de salvação" da Venezuela, entre as "forças democráticas" e …

No Brasil, os "velhos" goleadores estão em destaque (e na Europa, ainda dão cartas)

Os goleadores de quase metade das equipas brasileiras que disputam a Copa Libertadores e a Sul-Americana têm mais de 30 anos. Aos olhos do futebol podem ser "velhos", mas preenchem o vazio dos jovens que …

Morreu Maria João Abreu. Atriz tinha 57 anos

Maria João Abreu morreu esta quinta-feira, após ter sofrido dois aneurismas. A atriz tinha apenas 57 anos. Maria João Abreu estava internada no Hospital Garcia de Orta, em Almada. A atriz, de 57 anos, foi submetida …

Um óbito e 436 novos casos registados nas últimas 24 horas

Esta quinta-feira, Portugal regista mais um óbito e 436 novos casos de infeção, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da Direção-Geral da Saúde, o país …

O "palheiro" de Vieira é agora um jardim (foi comprado pela Câmara de Vila Franca de Xira)

Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, já não é dono do "palheiro" que foi entregue como aval pessoal no âmbito de empréstimos concedidos pelo Novo Banco. O dirigente vendeu o imóvel à Câmara de Vila …