Restos mortais de Khashoggi encontrados no jardim da casa do cônsul da Arábia Saudita

Ali Haider / EPA

Os restos mortais do jornalista saudita Jamal Khashoggi terão sido encontrados esta terça-feira, avança a Sky News, no jardim da casa do cônsul da Arábia Saudita em Istambul.

Partes do corpo do jornalista saudita Jamal Khashoggi terão sido encontradas no jardim da casa do cônsul da Arábia Saudita em Istambul, na Turquia, avança esta terça-feira a televisão Sky News, citando fontes anónimas.

As mesmas fontes adiantam ainda que Jamal Khashoggi apresentava cortes no corpo e o rosto “desfigurado”.

Esta informação surge depois de, esta manhã, o Presidente da Turquia garantir que não te dúvidas: Khashoggi foi vítima de um crime atroz e premeditado. Recep Tayyip Erdogan, garantiu que o jornalista saudita, Jamal Khashoggi, foi vítima de um crime “atroz” e “violento”, planeado com dias de antecedência pelos sauditas.

“Até agora, as informações e provas que temos indicam que Jamal Khashoggi foi assassinado de forma atroz e violenta e, encobrir tal atrocidade, prejudicará a consciência de toda a humanidade”, disse o Presidente no parlamento turco, esclarecendo, contudo, que ainda é cedo para fazer acusações.

“Temos a certeza que foi assassinado no consulado”, começou por dizer aos deputados depois de prestar condolências à família de Khashoggi.

De acordo com Erdogan, Khashoggi foi vítima de um “assassinato planeado antecipadamente”, levado a cabo por 15 pessoas que chegaram à Turquia, em voos separados, exatamente para esse fim.

Erdogan precisou ainda aos deputados que houve duas equipas envolvidas no crime, uma das quais com nove elementos – incluindo de generais – que voaram da Arábia Saudita. As autoridades da Turquia tiveram conhecimento do desaparecimento do jornalista depois de uma queixa da noiva, que temia pela vida do noivo.

O Presidente revelou também que na manhã de 2 de outubro – dia em que o jornalista desapareceu – este grupo ligou a Khashoggi que, após este contacto telefónico, dirigiu-se ao consulado em Istambul, onde entrou por volta do meio dia e nunca mais foi visto.

Turquia quer mais respostas

Erdogan reiterou que o crime não pode ser encoberto e pediu a Riade mais respostas, acusando as autoridades sauditas de impedirem a investigação. “As provas sugerem que Khashoggi foi vítima de um assassínio horrível e de uma atrocidade que não pode ser encoberta”, afirmou o Presidente.

“Porque é que foram dadas tantas explicações incoerentes?”, questionou Erdogan, referindo-se às várias versões que foram sendo dadas pelo reino.

O Presidente da Turquia deixou várias perguntas à Arábia Saudita: “Porque é que estava uma equipa composta por 15 sauditas na Turquia? Por ordens de quem? Porque é que o consulado não foi aberto aos investigadores imediatamente? Porque é que existiram tantas declarações diferentes dos sauditas? Quem é o colaborador local que se livrou do corpo de Khashoggi? Os sauditas têm de responder a todas estas questões”, indagou o Presidente turco citado pelo jornal Público.

Erdogan perguntou ainda porque é que o corpo do jornalista ainda não foi encontrado, exigindo aos responsáveis que indicassem o seu paradeiro.

“Apelo à Arábia Saudita, ao rei Salman, guardião das duas mesquitas: o local onde o crime foi cometido foi Istambul. Peço-lhe que envie esses 18 detidos para serem julgados em Istambul. A decisão é sua, mas este é a minha proposta, o meu pedido”, disse Erdogan, confirmando as 18 detenções anunciadas pelas autoridades sauditas.

Erdogan apelou a uma “investigação imparcial”, com a cooperação de outros países, de forma a descobrir tudo o que aconteceu. “Eu não duvido da sinceridade do rei Salman. Dito isto, é preciso uma investigação independente. Este foi um homicídio político”, atirou ainda.

A Arábia Saudita acabou por admitir no sábado que o jornalista, crítico do poder em Riade e colaborador do jornal The Washington Post, foi morto nas instalações do consulado saudita em Istambul. No domingo, num discurso proferido numa cerimónia pública, Erdogan disse pretender “que se faça justiça” e que “toda a verdade será revelada a verdade nua”.

ZAP // RT / Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. “Eu não duvido da sinceridade do rei Salman. Dito isto o ditador Erdogan que também já fez das suas no seu país está já a procurar proteger o ditador árabe, como se alguém duvide de onde veio a ordem para tal barbaridade. Há países mesmo onde não é nada aconselhável meter os pés!.

    • Ele quis dizer que não duvida do rei saudita, mas sabe muito bem que isto tem mão do governo/príncipes sauditas!!
      E claro que ele só ficou chateado porque isto ocorreu na Turquia, porque o Erdogan está-se pouco lixando para a morte de alguém – ainda para mais sendo jornalista!…
      Engraçado é que estes dois (Turquia e Arábia Saudita) são muito amigos dos EUA…

RESPONDER

A polícia holandesa achava que tinha em mãos o mafioso mais procurado da Europa. Afinal, era só um fã de F1

Um homem de Liverpool de 54 anos pensava que o grande evento da sua viagem aos Países Baixos seria assistir ao Grande Prémio de Fórmula 1, mas acabou detido numa prisão de alta segurança por …

Cobertura global de corais caiu para metade desde 1950, revela relatório

A cobertura global de recifes de coral caiu para metade desde 1950, cenário originado pelo aquecimento global, pesca excessiva, poluição e destruição de habitats naturais, revelou uma análise divulgada esta sexta-feira. Desde a Grande Barreira de …

O sonho de Christo concretizou-se, 60 anos depois. O Arco do Triunfo foi embrulhado como um presente

Já desde o início dos anos 60 que Christo imaginava como seria cobrir o Arco do Triunfo em tecido. A sua visão foi finalmente concretizada e pode ser visitada entre 18 de Setembro e 3 …

Holanda. Ministra da Defesa renuncia devido à crise de evacuação do Afeganistão

Após a ministra das Relações Externas holandesa, Sigrid Kaag, renunciar devido ao desastre da evacuação do Afeganistão, esta sexta-feira foi a vez da ministra da Defesa, Ank Bijleveld. Segundo relatou o Guardian, acredita-se que os ministros …

Tribunal da África do Sul recusa anular pena de prisão do ex-Presidente Jacob Zuma

O mais alto tribunal da África do Sul rejeitou o pedido do ex-Presidente Jacob Zuma para anular a sua sentença de 15 meses de prisão por não comparecer a uma sessão de inquérito por corrupção. Em …

EUA. Advogado planeou o próprio assassinato para o filho receber seguro. Foi detido por fraude

Um influente advogado norte-americano, cuja esposa e um dos filhos foram assassinados, foi acusado de fraude contra uma empresa de seguros e falso testemunho por organizar o seu próprio assassinato. Segundo avançou a agência France-Presse, …

Norberto Mourão conquista bronze nos Mundiais de canoagem adaptada

Norberto Mourão já tinha conquistado o bronze nos Jogos Paralímpicos de Tóquio e junta agora mais uma medalha à colecção, desta vez nos Mundiais de canoagem adaptada. O atleta de canoagem adaptada Norberto Mourão conquistou hoje …

Caso George Floyd. Polícia condenado a 22 anos de prisão pode ver a sentença revertida

A intervenção do Supremo Tribunal do Minnesota num outro caso de violência policial para reduzir a pena de um agente pode abrir um precedente para que haja alterações na sentença de Derek Chauvin. Segundo avança a …

Futebol português contra Campeonato do Mundo de dois em dois anos

O futebol português está contra a intenção da FIFA de aumentar a periodicidade do Campeonato do Mundo, passando de quatro para de dois em dois anos, refere um comunicado conjunto divulgado hoje. O documento, assinado pela …

Governo quer proibir empresas de recorrer ao 'outsourcing' após despedimento coletivo

O Governo quer proibir as empresas que façam despedimentos coletivos de recorrerem ao 'outsourcing' (contratação externa) durante os 12 meses seguintes, disse hoje a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. No final …