Submarino ARA San Juan está a ser procurado em zona de profundos desfiladeiros

Armada Argentina / Twitter

Submarino ARA San Juan da Armada Argentina

A embarcação da empresa americana Ocean Infinity contratada pelo governo da Argentina para procurar o submarino ARA San Juan, que desapareceu há dez meses no Oceano Atlântico, começou a rastrear neste fim-de-semana uma zona de profundos desfiladeiros.

ARA San Juan

Segundo os últimos dados divulgados em conjunto pela empresa americana e a Marinha da Argentina, o navio Seabed Construtor lançou um dos cinco veículos autónomos submarinos (AUV) numa região com profundos desfiladeiros submersos.

Segundo a Força Naval, os desfiladeiros são uma espécie de rios submersos formados há milhões de anos, com uma cabeceira de 800 metros de largura e compostos de areia, argila, silte e outros materiais.

Essas formações podem chegar a atingir cerca de um quilómetro de profundidade e contam com “pequenas formações de corais”, devido à presença de jazigos de gás natural.

O Seabed Construtor zarpou a 7 de setembro com familiares e membros da Marinha a bordo para tentar localizar o submarino e já descartou cerca de cem objetos detetados na área de operações.

Atualmente, há outros três AUV situados noutras zonas de busca do Atlântico, onde o submarino desapareceu a 15 de novembro de 2017 com 44 tripulantes, depois de ter zarpado do porto de Ushuaia para uma missão de vigilância.

O San Juan encontrava-se a mais de 400 km da costa da Patagónia, no litoral da província de Chubut, quando estabeleceu contacto pela última vez.  O plano de buscas previa que o submarino se encontrasse a 430 quilómetros do ponto mais próximo da costa a sudeste da península de Valdés.

Antes de desaparecer, o submarino argentino enviou sete pedidos de socorro. As tentativas de comunicação da embarcação “indicam que a tripulação está a tentar restabelecer contacto. Estamos a tentar localizar a fonte das emissões”, afirmou na altura a Marinha argentina, acrescentando que as chamadas duraram entre quatro e 36 segundos.

De acordo com o Ministério da Defesa, o contacto não chegou a ser estabelecido com o submarino, mas as autoridades tentaram localizar o emissor e tudo indica que a tripulação tentou realmente entrar em contacto com terra.

A 1 de dezembro do ano passado, a Argentina deu como mortos os 44 tripulantes do submarino e anunciou que já não estava à procura de sobreviventes. “Está estabelecido e calculado internacionalmente que sete dias é o tempo que um submarino acidentado deve e pode esperar pela ajuda externa”, explicou então o comandante Taveira Pinto, diretor técnico-pedagógico do Centro de Instrução de Submarino.

O ARA San Juan é um dos três submarinos da frota argentina. Fabricado na Alemanha e lançado ao mar em 1983, a embarcação tem 65 metros de comprimento e sete de largura. Entre 2007 e 2014, foi sujeito a intervenções de manutenção que prolongaram o seu uso por mais 30 anos.

ZAP // EFE

PARTILHAR

RESPONDER

Tempestade de areia "engoliu" cidade na China

Uma forte tempestade de areia "engoliu" a cidade de Dunhuang, no noroeste da China, no passado domingo. De acordo com o South China Morning Post, a forte tempestade de areia, que provocou nuvens de poeira com …

Raíssa faz bolachas com o lema "Fora Bolsonaro". Já se tornaram virais

Uma brasileira começou a fazer bolachas com o lema "Fora Bolsonaro" em jeito de brincadeira, mas agora já vende centenas todos os dias. Aquilo que começou como uma simples brincadeira, acabou por tornar-se viral. A ideia …

Zara, 19 anos, quer ser a mulher mais nova de sempre a voar sozinha à volta do mundo

Uma jovem, de 19 anos, pôs mãos à obra para levar a cabo um "gap year" (o chamado ano sabático) com um propósito muito fora do comum: tornar-se a mulher mais nova de sempre a …

Francês diz ter usado método matemático para ganhar o Euromilhões

O francês, que não quis revelar a sua fórmula à imprensa, ganhou, no dia 11 de junho, 30 milhões de euros com a combinação com a qual jogava há um mês. A história foi contada, esta …

Mais de metade da população portuguesa já tem a vacinação completa

Mais de metade da população residente em Portugal (52%) já tem a vacinação completa contra a covid-19, revela o relatório semanal de vacinação divulgado esta terça-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último relatório semanal …

Campeão olímpico criou problemas no seu país natal

Richard Carapaz, medalha de ouro no ciclismo, foi direto: "O país nunca acreditou em mim". Presidente do Equador, ministro e Comité Olímpico reagiram. Poucos dias depois de ter subido ao pódio final da Volta a França …

Jovens preocupados com fertilidade e efeitos secundários das vacinas contra a covid-19

Com o avanço das campanhas de vacinação, um grande número de pessoas das faixas etárias baixo dos 30 anos mostra-se relutante em tomar a vacina contra a covid-19. Os jovens falam de preocupações com fertilidade …

Dois gestos de Cla(ri)sse que ficam para a memória olímpica

Clarisse Agbégnénou foi campeã olímpica no judo, pela primeira vez - mas a atitude que demonstrou, mal venceu a final, ficará também nos registos. Campeã mundial cinco vezes, mais duas medalhas de prata. Cinco medalhas em …

Sindicatos avançam com ações legais para travar despedimento coletivo na TAP

Os sindicatos que representam os trabalhadores da TAP vão avançar com ações legais para travar o despedimento coletivo que a empresa iniciou na segunda-feira, que abrange 124 profissionais. "Até agora houve conversa, a partir de agora …

Ginastas alemãs usam fato integral para combater sexualização da modalidade

Ao contrário do que acontece com os ginastas masculinos, que podem optar por calções ou calças, as mulheres competem, desde o início da modalidade, de bodies que expõem grande parte do seu corpo. Quando, no último …