Reivindicações da Função Pública não foram atendidas (e luta pode começar em fevereiro)

José Sena Goulão / Lusa

A coordenadora da Federação dos Sindicatos da Função Pública, Ana Avoila

O Governo não recuou na intenção de aumentar apenas os salários mais baixos. Frente Comum pode avançar para greve no fim de fevereiro e FESAP não descarta acompanhar.

As negociações estarão fechadas e a nova tabela remuneratória única da função pública poderá ir já na próxima semana a Conselho de Ministros, sem que os sindicatos tenham visto as reivindicações atendidas.

A Frente Comum decide na próxima segunda-feira se avança para uma greve nacional e a FESAP, que já antes prometeu dar uma primavera quente ao governo, vai ainda decidir se a acompanha. O Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado não avança, de acordo com o Diário de Notícias.

Depois de uma nova reunião, na quinta-feira, liderada pela secretária de Estado da Administração Pública, Fátima Fonseca, o governo mantém a posição de mexer apenas no fundo da tabela, com uma valorização salarial para os 635,07 euros a incidir nas remunerações mais baixas – os três níveis inferiores, que atualmente alcançam os 583,58 euros, e que serão eliminados.

O objetivo é gastar no máximo 50 milhões de euros, acolhendo na atualização 70 mil trabalhadores e deixando mais de 600 mil de fora.

A mudança irá anular também a progressão a quem, nos salários mais baixos, tenha reunido créditos para subir de escalão até aqui. Para a Frente Comum, “isso foi clarinho e foi assumido” na reunião. A estrutura reúne-se em plenário na segunda-feira para decidir formas de luta a adotar no final de fevereiro.

A FESAP, no entanto, ainda acredita numa solução e faz depender dela a decisão de avançar para greve ou manifestação, sozinha ou com a Frente Comum. “No dia em que soubermos que as pessoas deitam os pontos fora e que se verifica um apagão, não tenham dúvidas de que no dia seguinte temos de decidir todas as formas de luta. Não é só de um dia nem será só para os próximos tempos”, avisou o secretário-geral, José Abraão.

Para o Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado, que acusou o governo de não ser claro no processo negocial, a última reunião do processo significou também um desfecho pouco certo. “Na próxima semana será provavelmente aprovado em Conselho de Ministros e, portanto, está encerrado”, afirmou Helena Rodrigues, presidente do STE. Mas “é uma coisa que não percebemos, que não está clara. Tem um desenvolvimento futuro que nós vamos ver o que é”.

Helena Rodrigues avisou que a proposta do governo deixa de fixar que a posição mais baixa da tabela é equivalente ao salário mínimo – determina agora que “é igual ou superior a 635,07 euros”. Esta proposta não é clara e não conseguimos perceber o que é que ela quer significar. Provavelmente, uma desconstrução da tabela remuneratória única. Diz-nos que o futuro nos trará surpresas, mas não sabemos quais são”, disse.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Afinal comer um ovo por dia é mau outra vez

Afinal, comer um ovo por dia não é assim tão bom para a saúde como estudos recentes sugeriam. O maior consumo de ovos e colesterol pode aumentar o risco de doenças cardíacas e de morte …

Na Colômbia, há um "arco-íris líquido" que é descrito como a 8ª maravilha do mundo

Escondido nos confins da Serra da Macarena, na Colômbia, está o rio Caño Cristales. De dezembro a maio, o curso de água é como outro qualquer, apesar de estar rodeado de um dos ecossistemas mais …

Com uma nova interface neural, a telepatia já é possível

Uma equipa internacional de cientistas deu um passo adiante no desenvolvimento de interfaces neuronais para propor uma interface que envolve a transferência de informação entre as pessoas diretamente. As interfaces cérebro-computador podem melhorar as habilidades individuais …

Bombeiros profissionais ameaçam deixar de prestar serviço voluntário nas corporações

Os bombeiros voluntários das associações humanitárias admitem deixar de prestar serviço voluntário nas corporações, caso a Liga dos Bombeiros Portugueses continue por concluir o acordo coletivo de trabalho, que está em negociação há mais de …

Baleia encontrada morta nas Filipinas com 40 quilos de plástico no estômago

Uma baleia foi encontrada morta na sexta-feira, na costa sudeste das Filipinas, com 40 quilos de plástico no estômago, informou a imprensa local. O cetáceo, uma baleia-bicuda-de-cuvier, apareceu na sexta-feira à beira-mar no município de Mabini, …

Macron convoca reforços após novos confrontos de coletes amarelos

A nova manifestação de "coletes amarelos", no sábado, registou distúrbios violentos na capital francesa. Como resposta, o presidente francês Emmanuel Macron convocou um reforço das forças de segurança. O dia de sábado marcou mais um protesto …

Pedidos de nacionalidade portuguesa aumentaram 50% em dois anos

Nos últimos dois anos, o número de pedidos de nacionalidade portuguesa aumentou cerca de 50%, avança o jornal Público esta segunda-feira. Se em 2016 foram 117.629 os cidadãos estrangeiros que pediram a nacionalidade portuguesa, em 2018 …

Não há democracia na Coreia do Norte? "É uma opinião", diz Jerónimo

Jerónimo de Sousa evitou classificar o regime de Kim Jong-un em termos "de ser ou não ser" uma democracia. A Coreia do Norte é ou não uma democracia? "É uma opinião", respondeu Jerónimo de Sousa. Numa …

Afinal, o esparguete à bolonhesa não existe

Quando se trata de refeições italianas clássicas, a maioria das pessoas pensa em pratos simples como uma pizza Margherita, lasanha e esparguete à bolonhesa. Contudo, segundo Virginio Merola, presidente de Bolonha, em Itália, o esparguete à bolonhesa …

Javalis tomaram o lugar dos coelhos. "Muitos animais estão doentes"

Para já, não há perigo de saúde pública, mas os javalis carregam doenças que podem passar a outros animais. Se antes se matavam mil coelhos, abatem-se agora 10 javalis. Jacinto Amaro, presidente da Fencaça - Federação …