Regime saudita rejeita “ameaças” e promete resposta dura a retaliações

Tolga Bozoglu / EPA

A Arábia Saudita recusou que lhe venham a ser impostas sanções, depois da ameaça dos Estados Unidos de um “castigo severo”, que fez a bolsa saudita cair 7%, no âmbito do caso do desaparecimento de Jamal Khashoggi.

O regime saudita é suspeito de ter ordenado e levado a cabo a morte do jornalista Jamal Khashoggi, desaparecido após uma visita ao consulado do país em Istambul. No entanto, os sauditas rejeitam as “ameaças” políticas e económicas e garantem responder a qualquer punição “com uma ação ainda maior”.

O jornalista entrou no consulado saudita em Istambul para tratar de burocracias para o seu casamento. À porta, ficou a sua noiva que esperou onze horas e nunca o viu sair. Agentes turcos disseram sob anonimato ter gravações da tortura e assassínio de Khashoggi e o Presidente turco já desafiou Riad a apresentar provas de que o jornalista saiu do consulado.

No sábado, o presidente norte-americano, Donald Trump, admitiu que a Arábia Saudita possa estar por detrás do desaparecimento do jornalista e advertiu que, se for esse o caso, haverá um “castigo severo“.

Em resposta, Riade afirmou “rejeitar inteiramente qualquer ameaça ou tentativa de a enfraquecer, seja através de ameaças de sanções económicas, do recurso a pressão políticas ou da repetição de acusações falsas”.

Se for alvo de sanções, prosseguiu em comunicado divulgado pela agência oficial SPA, responderá “com sanções ainda maiores“, apelando que que seja tido em conta que “a economia do reino tem um papel vital e influente na economia global”. O comunicado foi divulgado depois de a bolsa de Riade ter caído 7% no primeiro dia de operações da semana.

Este domingo, França, Reino Unido e Alemanha pediram uma investigação credível ao acontecido, numa altura em que uma equipa saudita se juntou aos investigadores turcos no terreno. “Encorajamos os esforços sauditas e turcos, e esperamos que o Governo saudita dê uma resposta completa e detalhada”, lê-se no comunicado dos ministros dos Negócios Estrangeiros dos três países.

É preciso uma investigação credível para estabelecer a verdade sobre o que se passou e, se for relevante, identificar os que têm responsabilidade pelo desaparecimento de Jamal Khashoggi, e assegurar que são responsabilizados.”

Enquanto isso, adianta o Público, espera-se para ver se há mais desistências de participação numa conferência de desenvolvimento promovida pela Arábia Saudita, depois de ter perdido quase todos os parceiros de media e entidades como o Banco Mundial. Os Estados Unidos vão marcar presença, já a do Reino Unido ainda está em dúvida.

Nos Estados Unidos, o Washington Post, onde Jamaç Khashoggi escrevia, lançou uma campanha para que o assunto não seja esquecido.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

TESS caçou o seu primeiro planeta do tamanho da Terra

O satélite TESS (Transiting Exoplanet Survey Satellite) da NASA descobriu o seu primeiro exoplaneta do tamanho da Terra. Com o nome HD 21749c, é o mundo mais pequeno para lá do nosso Sistema Solar já …

Cientistas russos propõem combater lixo espacial com um "laço"

Um equipa de cientistas russos propõe capturar e remover os detritos espaciais que orbitam a Terra através de um módulo especial que seria ligado através de um cabo aos níveis superiores dos foguetes - seria …

Dia 768k. Problemas nos routers podem causar pequeno "apagão" da internet em maio

A certa altura no próximo mês de maio, a internet irá sofrer um pequeno "apagão" que impedirá o acesso de milhares de pessoas. O evento, conhecido como Dia 768k, já é esperado há algum tempo …

Empresa italiana quer os passageiros (quase) de pé no avião

A Aviointeriors Group, uma empresa italiana de interiores de aeronaves, quer convencer as principais transportadoras aéreas a ultrapassar receios legais e embarcar na ideia de viajar quase de pé nos aviões. A ideia passa por pequenos …

Tesla lança táxis sem condutor já no próximo ano

Elon Musk anunciou que a fabricante de automóveis elétricos vai lançar um serviço de táxis-robô nos Estados Unidos já em 2020. Esta segunda-feira, Elon Musk comprometeu-se com mais um objetivo com data marcada: a Tesla vai …

Bruxelas autoriza Governo a baixar IVA da luz de 23 para 6%

O Comité de IVA da Comissão Europeia decidiu desde 12 de abril que Portugal tem o sim de Bruxelas para baixar a taxa de IVA que diz respeito ao termo fixo (potência contratada) na fatura …

Moro apontou "dificuldade institucional" na Operação Marquês. Sócrates atirou-se ao "ativista político disfarçado de juiz”

O ministro da Justiça e Segurança Pública do Brasil, Sérgio Moro, disse esta segunda-feira que há uma "dificuldade institucional" em Portugal em fazer avançar o processo contra o antigo primeiro-ministro José Sócrates, tal como acontece …

Luanda já não é uma das cidades mais caras do mundo

A capital angolana já não é das cidades mais caras do mundo, avança o Jornal de Angola esta segunda-feira. No topo das cidades mais caras do mundo estão três destinos: Paris, Singapura e Hong Kong …

O novo presidente da Ucrânia tem 3 problemas para resolver (e um teste para passar)

Volodymyr Zelensky, o novo presidente da Ucrânia, tem três problemas para resolver: acabar com a guerra, baixar o preço do gás e lutar contra a corrupção. Estes são os três desejos mais repetidos pelos ucranianos esta …

Bernie Sanders diz que governo de Israel é racista

Em declarações sobre Israel, Bernie Sanders afirmou "que agora é dirigido por um, ouso dizer, governo racista de direita" e que Netanyahu está tratar o povo palestiniano de forma "extremamente injusta". O pré-candidato democrata à presidência …