Regime saudita rejeita “ameaças” e promete resposta dura a retaliações

Tolga Bozoglu / EPA

A Arábia Saudita recusou que lhe venham a ser impostas sanções, depois da ameaça dos Estados Unidos de um “castigo severo”, que fez a bolsa saudita cair 7%, no âmbito do caso do desaparecimento de Jamal Khashoggi.

O regime saudita é suspeito de ter ordenado e levado a cabo a morte do jornalista Jamal Khashoggi, desaparecido após uma visita ao consulado do país em Istambul. No entanto, os sauditas rejeitam as “ameaças” políticas e económicas e garantem responder a qualquer punição “com uma ação ainda maior”.

O jornalista entrou no consulado saudita em Istambul para tratar de burocracias para o seu casamento. À porta, ficou a sua noiva que esperou onze horas e nunca o viu sair. Agentes turcos disseram sob anonimato ter gravações da tortura e assassínio de Khashoggi e o Presidente turco já desafiou Riad a apresentar provas de que o jornalista saiu do consulado.

No sábado, o presidente norte-americano, Donald Trump, admitiu que a Arábia Saudita possa estar por detrás do desaparecimento do jornalista e advertiu que, se for esse o caso, haverá um “castigo severo“.

Em resposta, Riade afirmou “rejeitar inteiramente qualquer ameaça ou tentativa de a enfraquecer, seja através de ameaças de sanções económicas, do recurso a pressão políticas ou da repetição de acusações falsas”.

Se for alvo de sanções, prosseguiu em comunicado divulgado pela agência oficial SPA, responderá “com sanções ainda maiores“, apelando que que seja tido em conta que “a economia do reino tem um papel vital e influente na economia global”. O comunicado foi divulgado depois de a bolsa de Riade ter caído 7% no primeiro dia de operações da semana.

Este domingo, França, Reino Unido e Alemanha pediram uma investigação credível ao acontecido, numa altura em que uma equipa saudita se juntou aos investigadores turcos no terreno. “Encorajamos os esforços sauditas e turcos, e esperamos que o Governo saudita dê uma resposta completa e detalhada”, lê-se no comunicado dos ministros dos Negócios Estrangeiros dos três países.

É preciso uma investigação credível para estabelecer a verdade sobre o que se passou e, se for relevante, identificar os que têm responsabilidade pelo desaparecimento de Jamal Khashoggi, e assegurar que são responsabilizados.”

Enquanto isso, adianta o Público, espera-se para ver se há mais desistências de participação numa conferência de desenvolvimento promovida pela Arábia Saudita, depois de ter perdido quase todos os parceiros de media e entidades como o Banco Mundial. Os Estados Unidos vão marcar presença, já a do Reino Unido ainda está em dúvida.

Nos Estados Unidos, o Washington Post, onde Jamaç Khashoggi escrevia, lançou uma campanha para que o assunto não seja esquecido.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Detetadas "partículas fantasma" de radioatividade nas profundezas da Terra

Recorrendo ao detetor Borexino, do laboratório italiano de Gran Sasso, cientistas conseguiram encontrar "partículas fantasma" oriundas das profundezas da Terra. Estas estranhas partículas, monitorizadas pela comunidade científica desde meados de 2007, conta o britânico The …

Uma anã branca "ressuscitou" para devorar a sua companheira mais fraca

Os astrónomos detetaram uma explosão de uma "estrela vampira" em dados colhidos acidentalmente pelo telescópio espacial Kepler. Este fenómeno é um dos eventos mais raros de novas - explosões nuclear cataclísmica numa estrela. As novas ocorrem …

Sporting CP 1-0 Marítimo | Borja dispara rumo ao pódio

O Sporting sofreu, mas levou a “água ao seu moinho”. Na recepção ao um Marítimo consistente, mas pouco perigoso, o “leão” venceu por 1-0, numa partida com poucas ocasiões de golo, mas com domínio claro …

Reino Unido vai tornar públicos registos de avistamentos de OVNIs

A Força Aérea britânica vai disponibilizar todos os documentos sobre os avistamentos de OVNIs online. Até então, os registos eram mantido sob segredo. A Força Aérea Real do Reino Unido decidiu tornar públicos os registos de …

Sobreviventes a um cancro na infância têm maior probabilidade de vir a ter outro

Sobreviventes a um cancro têm uma maior probabilidade cinco vezes maior de vir a ter outro em comparação com a população em geral. O risco vai diminuindo ao longo do tempo desde o primeiro diagnóstico. Pessoas …

Lineker: "Se pusessem a minha equipa de 1990 a jogar contra uma moderna, seríamos assassinados"

"Se pusessem a minha equipa de 1990 a jogar contra uma moderna, seríamos assassinados", disse Gary Lineker, antigo internacional inglês, que agora é comentador da BBC. Em entrevista ao The Guardian, o antigo avançado da seleção …

Bater com um cutelo e espezinhar. A massagem que promete livrar de todas as dores

Santiago Terrases oferece uma massagem única, na qual calca as pessoas com os pés e bate-lhes com um cutelo. O norte-americano garante que consegue tirar todas as dores. No estado de Nevada, nos Estados Unidos, está …

"Choveram" propostas de empréstimo por Marega

O emblema portista recebeu vários proposta de empréstimo por Moussa Marega, mas acabou por as rejeitar. O FC Porto apenas abre mão do jogador caso seja paga a cláusula de rescisão. A imprensa francesa avança esta …

Crise de saúde mental nos jovens. Há um sexo mais em risco do que o outro

O uso regular de redes sociais pode afetar a saúde mental dos jovens. No entanto, os seus efeitos podem-se manifestar mais drasticamente em raparigas do que em rapazes. Desde 2010, as taxas de depressão, automutilação e …

PS quer limitar "vistos Gold" aos municípios do interior e às regiões autónomas

O PS entregou hoje uma proposta de alteração ao Orçamento em que limita a concessão dos "vistos Gold" a investimentos feitos por estrangeiros em municípios do interior ou nas regiões autónomas dos Açores e da …