Quase nenhuma das mulheres no Ashley Madison era real

AshleyMadison.com

-

A publicação de dados do site de encontros extra-conjugais Ashley Madison continua a dar que falar. Já não é novidade que eram falsos muitos dos perfis femininos registados no serviço, mas um artigo publicado esta quarta-feira no Gizmondo revelou que o caso é ainda mais surpreendente.

Uma análise mais profunda das informações divulgadas pelo grupo hacker Impact Team mostrou que pouquíssimas das pessoas identificadas como mulheres eram, de facto, utilizadoras reais do serviço.

Para chegar a esta conclusão, a editora-chefe do Gizmondo, Annalee Newitz, analisou dados como os e-mails registados no site e os endereços IP dos acesso.

Newitz descobriu em primeiro lugar que cerca de dez mil dos e-mails registados terminavam com o domínio “ashleymadison.com” – um claro indício de que os perfis seriam falsos.

Além isso, um grande número dos e-mails pareciam ter sido criados por robôs. Por exemplo, e-mails como 100@ashleymadison.com, 200@ashleymadison.com e 300@ashleymadison.com.

Segundo o artigo do Gizmodo, mais de nove mil destes endereços numéricos eram usados por perfis femininos, enquanto apenas mil eram de perfis masculinos.

Newitz analisou seguidamente os endereços IP dos utilizadores registados.

Cerca de 80 mil dos IPs eram de computadores utilizados no escritório da Avid Life Media, a proprietária di Ashley Madison. E destes, mais de 68 mil eram de perfis femininos.

Este perfil de acesso faz recordar o caso de Doriana Silva, uma imigrante brasileira que pediu à Avid Life Media 20 milhões de dólares de indemnização por ter magoado os pulsos a criar perfis falsos de mulheres sensuais no Ashley Madison.

A análise de outros campos dos dados divulgados permitiu ver se havia actividade genuína nos perfis registados.

Um destes campos, <mail_last_time>, indicava a última vez que um utilizador tinha consultado a sua caixa de mensagens.

Do total de inscritos, mais de 20 milhões de homens tinham verificado o correio pelo menos uma vez, mas apenas 1.400 mulheres abriram a inbox durante toda a história de vida do site.

O campo <chat_last_time> indicava se o utilizador tinha usado o sistema de chat.

Enquanto 11 milhões de homens já o tinham usado, apenas 2.400 mil mulheres o tinham feito.

Por fim, o campo <paid_delete> mostrava os utilizadores que tinham pago para apagar as suas contas e para que as informações pessoais fossem eliminadas dos servidores da empresa.

Enquanto 173 mil homens tinham pago cerca de 16€ para ser “esquecidos” pelo serviço, apenas 12 mil mulheres o fizeram.

E, pior que tudo, os dados registados nunca eram realmente apagados.

A enorme desproporção entre acções masculinas e femininas não chega nem perto de corresponder ao comportamento esperado de um público que, segundo o anunciado pelo próprio site, era composto por cerca de 85% de homens e 15% de mulheres.

Annalee Newitz conclui que menos de 1% dos perfis femininos era utilizado por pessoas reais – não descartando ainda a possibilidade de que vários desses 1% de perfis possam ter sido criados por homens a fazer-se passar por mulheres.

Em conclusão, a probabilidade de um homem conseguir um caso extra-conjugal real usando o Ashley Madison era ínfima.

Ou seja, sem saber, os utilizadores colocavam em causa as suas relações reais, pela fantasia de ter uma relação extraconjugal inalcançável – pelo menos, não no Ashley Madison.

Além disso, os “arrependidos” que pagavam para que os seus dados fossem apagados, ainda eram vítimas de fraude – o seu registo continuava a existir.

As autoridades mantêm a sua versão de que os maus da fita deste caso são os hackers.

Mas há quem não concorde.

ZAP / POP

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. conclusão ,se for mulher tem muito por onde escolher e pouca concorrência real ,sem duvida um bom site de encontros para o publico feminino 😉

RESPONDER

A Evolução mostra que podemos ser a única forma de vida inteligente no Universo

As reduzidas probabilidades que acompanham a nossa evolução ao longo da história podem ser uma pista que talvez sejamos a única forma de vida inteligente no Universo. Será que estamos sozinhos no Universo? Tudo se resume …

A China está a usar a educação como arma para controlar o Tibete

A China quer obrigar crianças tibetanas a abandonarem as escolas da região e mudarem-se para escolas chinesas. O objetivo, segundo uma especialista, é "tirar o tibetano da criança". A batalha geopolítica entre a China e o …

Revelada explosão violenta no coração de um sistema que alberga um buraco negro

Uma equipa de astrónomos, liderada pela Universidade de Southampton, usou câmaras de última geração para criar um filme com alta taxa de quadros de um sistema com um buraco negro em crescimento e a um …

"É altura de dizer basta". Sporting corta com as claques

O Sporting rescindiu “com efeitos imediatos” os protocolos que celebrou em 31 de julho com a Associação Juventude Leonina e com o Diretivo Ultras XXI – Associação, anunciou hoje o clube, devido à “escalada de …

Poluição atmosférica associada a abortos espontâneos

Elevados níveis de poluição atmosférica foram associados a abortos espontâneos num estudo feito com mulheres grávidas a viver e trabalhar em Beijing, na China. A China é um dos países que mais sofre com a poluição …

Empresas espanholas dominam obras públicas na ferrovia

As empresas espanholas dominam as obras públicas na ferrovia em Portugal, ascendendo a sua quota a 70%, avança o Expresso na sua edição deste sábado. Para presidente da Associação de Empresas de Construção e Obras …

Cada vez mais mulheres denunciam abusos médicos durante o parto

Um número crescente de mulheres tem vindo a denunciar casos de abuso durante o trabalho de parto. No entanto, pouco está a ser feito para mudar isto. Durante o parto, as mulheres ficam numa posição vulnerável …

Já podemos explorar "Melckmeyd", naufrágio holandês do século XVII

Nas profundezas do Oceano Atlântico, perto da costa da Islândia, encontram-se os destroços de um navio holandês que afundou há 360 anos, no qual agora podemos "mergulhar" graças a uma experiência de realidade virtual. Quando a …

Os furacões podem provocar atividade sísmica tal como um terramoto

Uma equipa de cientistas descobriu um novo fenómeno geofísico no qual furacões ou fortes tempestades podem produzir vibrações no fundo do oceano tão fortes quanto um terramoto de magnitude 3.5. "As tempestades, furacões ou ciclones extratropicais …

Quem anda mais devagar pode envelhecer mais rapidamente

A velocidade a que caminham as pessoas aos 45 anos pode ser um indicador de como é que o cérebro e o corpo envelhecem, revela um novo estudo levado a cabo por uma equipa de …