Se o príncipe saudita fosse julgado, seria condenado “em 30 minutos”

Michael Reynolds / EPA

O presidente da comissão senatorial dos Negócios Estrangeiros, Bob Corker

Os senadores norte-americanos que saíram da audiência com a diretora da CIA, Gina Haspel, esta quarta-feira realizada no Senado, declararam-se ainda mais convencidos da responsabilidade do príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, no assassínio do jornalista Jamal Khashoggi.

O presidente da comissão senatorial dos Negócios Estrangeiros, Bob Corker, um republicano eleito pelo Estado do Tennessee, afirmou que acredita se que Bin Salman fosse a julgamento seria declarado culpado “em cerca de 30 minutos”.

Outro senador republicano, Lindsay Graham, eleito pela Carolina do Sul, que pediu a reunião, juntamente com Haspel, referiu que havia “zero hipóteses” de Mohammed bin Salman não estar envolvido no assassínio de Khashoggi.



“Não há uma pistola fumegante. Há uma serra fumegante”, salientou Graham, referindo-se a relatórios do Governo turco de que os agentes sauditas usaram uma serra de cortar ossos para desmembrar o corpo de Khashoggi, depois de este ter sido assassinado no consulado saudita em Istambul.

“Você teria de querer ser necessariamente cego”, sublinhou o senador, para concluir que esta morte não foi orquestrada e organizada por pessoas sob a direção de Bin Salman.

Mas o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tem tergiversado sobre quem deve ser responsabilizado pelo assassínio, frustrando os senadores que procuram formas de punir o velho aliado saudita.

Na semana passada, o Senado aprovou a continuação de uma iniciativa legislativa que visa reduzir o apoio dos EUA ao esforço saudita na guerra que conduz no Iémen. É incerto se esta iniciativa avança. Aquela votação vai permitir o seu debate, que deve ocorrer na próxima semana, mas os senadores estão a negociar o texto.

Haspel reuniu-se esta quarta-feira com um pequeno grupo de senadores, incluindo os presidentes e principais representantes dos democratas em importantes comissões senatoriais sobre segurança, depois de senadores dos dois partidos se terem queixado da sua ausência na reunião havida na semana passada com os secretários de Estado, Mike Pompeo e da Defesa, Jim Mattis.

Pompeo e Mattis tentaram dissuadir os senadores da intenção de punir os sauditas, alegando que o envolvimento dos EUA na guerra do Iémen é central no objetivo mais global do Governo de conter a influência iraniana no Médio Oriente. Os dois secretários também repetiram a relutância de Trump em acusar o príncipe herdeiro saudita.

Depois deste encontro, Graham ameaçou suspender o seu voto em legislação relevante até que ouvisse a diretora da CIA. “Não vou dispensar isto”, garantiu.

Nessa tarde, os senadores, frustrados com a reunião com Pompeo e Mattis e a falta de respostas ao assassínio de Khashoggi, votaram por expressiva maioria bipartidária, por 63 votos a favor contra 37, a continuação da iniciativa legislativa sobre o Iémen.

O senador Richard Durbin, um democrata eleito pelo Estado do Ilinóis, afirmou que a reunião com Haspel “evoluiu claramente para a avaliação da informação” e foi muito mais informativa. “Acredito agora que o príncipe herdeiro foi responsável diretamente ou pelo menos cúmplice e os meus instintos foram reforçados pela informação que nos foi dada”.

Khashoggi foi assassinado há dois meses. O jornalista, que vivia há algum tempo nos EUA e escrevia para o Washington Post, era crítico do regime saudita. Foi assassinado no que dirigentes norte-americanos descreveram como um plano secreto elaborado, quando visitou um consulado para tratar de documentação para o seu casamento.

Os serviços de informações norte-americanos concluíram que Bin Salman, pelo menos, teria de saber do plano, mas Trump tem sido relutante em responsabilizá-lo. Em contrapartida, tem elogiado os negócios de venda de armas dos EUA aos sauditas, a quem agradeceu recentemente pela queda dos preços do petróleo.

Em artigo de opinião, esta quarta-feira publicado no Wall Street Journal, Graham escreveu que o assassínio de Khashoggi, a par de outras decisões do regime saudita, mostra “um aterrador direito à arrogância” e desrespeito pelo direito internacional.

Lusa // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Ninguém sabe do paradeiro dos Evangelhos Garima, um dos maiores tesouros do mundo cristão

Depois de terem sobrevivido a 1.500 anos de história num mosteiro remoto, os Evangelhos Garima enfrentam agora a sua ameaça mais grave. Um dos maiores tesouros do mundo cristão, guardado durante mais de 1.500 anos no …

"Estou preocupado". Ex-piloto da Marinha dos EUA diz que via OVNIs "todos os dias"

Um antigo piloto da Marinha dos Estados Unidos diz que, durante anos, viu Objetos Voadores Não Identificados (OVNIs) "todos os dias". Depois de anos a ignorar a questão, uma task force do Pentágono prepara-se para revelar …

Peru está a investigar se a lixívia pode curar a covid-19

O congresso do Peru votou para investigar se beber ou injetar uma lixívia industrial poderia curar a covid-19. A moção foi aprovada com 49 votos a favor e 39 votos contra. Está a ser criado um …

Há vestígios de ouro nesta imagem de satélite

As operações de mineração num dos maiores depósitos de ouro da Rússia, em Aldan, incluem um método que deixa rastos na paisagem. E são visíveis do Espaço. A imagem de satélite, tirada em setembro de 2019, …

Dezenas de corpos de vítimas de covid-19 encontrados nas margens do rio Ganges

Ciclone Tauktae faz pelo menos 33 mortos na Índia (e paralisa vacinação contra covid-19)

Pelo menos 33 pessoas morreram e quase cem estão desaparecidas na Índia, devido ao impacto do ciclone Tauktae, esta terça-feira. O país também registou o maior número de mortes diárias provocadas pela covid-19. Centenas de milhares …

Cientistas criam dispositivos de testagem que produzem resultados em tempo recorde

Cientistas criaram dispositivos que permitem detetar infeção com o coronavírus SARS-CoV-2 num segundo ou em menos de 30 minutos, conforme a técnica usada, revelam dois estudos distintos divulgados esta terça-feira na imprensa da especialidade. Investigadores das …

CP está a vender bilhetes com 80% de desconto

A CP tem uma nova campanha, que entra em vigor esta terça-feira, através da qual disponibiliza cerca de 17.920 viagens com descontos até 80% nos comboios intercidades. De acordo com o jornal Público, os bilhetes abrangidos …

Mais de 40 pessoas, quase todas crianças, no hospital de Beja com vómitos

Um total de 35 crianças e seis adultos oriundos de diversas escolas do concelho de Beja deram esta terça-feira entrada no Hospital José Joaquim Fernandes, naquela cidade alentejana. A notícia foi avançada por fonte hospitalar, que …

Novo Banco. "Não era um banco bom, foi preciso fazer dele um bom banco", diz Centeno

O governador do Banco de Portugal, Mário Centeno, afirmou esta terça-feira que o Novo Banco “não era um banco bom” e “foi preciso fazer dele um bom banco”, recordando o “legado do BES” que marca …

Ensino superior com vagas especiais para lusodescendentes

O Governo alargou o contingente especial de acesso ao ensino superior dirigido a emigrantes e seus familiares permitindo que, no próximo ano letivo, se possam candidatar todos os lusodescendentes, de nacionalidade portuguesa e residentes no …