Plano de prevenção de fogos de Pedrógão violava lei e foi chumbado quatro vezes

Paulo Novais / Lusa

O Instituto da Conservação da Natureza e Floresta chumbou o Plano Municipal de Defesa da Floresta contra Incêndios de Pedrógão Grande em quatro ocasiões diferentes.

O Plano Municipal de Defesa da Floresta contra Incêndios de Pedrógão Grande foi aprovado há poucos dias, mas entre 2015 e 2019 foi chumbado quatro vezes pelo Instituto da Conservação da Natureza e Floresta (ICNF). O incêndio de junho de 2017 matou 66 pessoas e feriu mais de 200.

A TSF teve acesso aos documentos que provam que, de facto, Pedrógão Grande não tinha um plano de prevenção de fogos no dia do trágico incêndio. Apesar da gravidade da situação, os documentos estão arquivados e não constam na acusação do Ministério Público.

A primeira sugestão de um plano de prevenção foi apresentada em janeiro de 2015, mas foi imediatamente rejeitada pelo ICNF, uma vez que contrariava a legislação e tinha falhas inaceitáveis nos mapas de perigos e risco de incêndio.

A autarquia, na altura já presidida por Valdemar Alves, apresentou uma remodelação em que corrigia alguns dos erros, mas que foi novamente rejeitada — uma vez que continuava a apresentar falhas.

Os técnicos do ICNF teceram duras críticas ao plano, realçando que este não incluía no cálculo de perigosidade e risco de incêndio espaços florestais em zonas onde se pretendiam desenvolver operações urbanísticas. O mesmo foi alertado mais tarde, pelo chefe da Divisão de Gestão Operacional e Fiscalização do ICNF, mas desta vez em relação a todo o espaço rural de Pedrógão Grande.

Deste modo, a ICNF exigiu a reformulação das cartas de risco e perigosidade, já que continuavam a ter falhas na classificação em zonas de edificação com elevado risco de incêndios. “Devem as áreas de futuro incluir e respeitar a classificação da perigosidade definida em PMDFC, não podendo por isso ser excluídas”, lê-se no ofício do ICNF enviado à autarquia em 2015.

O presidente da câmara, Valdemar Alves, não concordou com a avaliação feita pelo ICNF e pediu uma reapreciação do plano proposto pela autarquia. Sem que tenham sido feitas alterações ao plano, o ICNF deu como chumbada a segunda versão do plano de proteção da floresta.

Já depois do incêndio devastador é que Pedrógão voltaria apresentar uma nova versão do plano, que, apesar de tudo, viria a ser rejeitada mais duas vezes a 16 de novembro de 2018 e 8 de janeiro de 2019. Finalmente, o plano acabou por ser aprovado — após várias alterações — no dia 28 de junho de 2019.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Temperaturas sobem até oito graus e trazem "noites tropicais"

A partir de terça-feira, os termómetros sobem entre 4ºC e 8ºC em algumas regiões do continente e na quarta-feira prevê-se um aumento das mínimas com noites tropicais, segundo o Instituto Português do Mar e da …

Governo é o "grande vencedor da greve" e Pardal Henriques "o rosto da derrota"

O comentador da SIC e ex-líder do PSD Luís Marques Mendes aproveitou o espaço no seu comentário semanal para elogiar a ação do Governo de António Costa nesta greve: "O grande vencedor é o Governo, …

"Medidas urgentes" para a Saúde. PCP quer medicamentos gratuitos para doentes crónicos

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, anunciou este domingo que o partido vai apresentar "medidas urgentes" na área da saúde, destacando-se a dispensa gratuita de medicamentos para doentes crónicos e a criação do Laboratório …

Dinamarca responde a Trump: A Gronelândia não está à venda

O Presidente dos Estados Unidos quer comprar a Gronelândia "por razões estratégicas". A primeira-ministra dinamarquesa já fez questão de relembrar Donald Trump que o território não está à venda. Segundo o Expresso, as declarações do Presidente …

Bacalhau do Mar do Norte está em risco (e pode deixar de chegar às mesas portuguesas)

O bacalhau do Mar do Norte está a desaparecer e poderá mesmo deixar de chegar aos pratos dos portugueses. O alarme chegou com um relatório publicado em julho pelo Conselho Internacional para a Exploração do …

Estado poderá recorrer a contratos a termo mais longos do que o privado

O Estado vai poder recorrer a contratos a prazo mais longos do que o privado. O diploma, aprovado no mês passado no Parlamento, prevê para o setor privado a redução da duração máxima dos contratos …

Bruno Fernandes critica horário tardio dos jogos do campeonato

No final da partida com o SC Braga, Bruno Fernandes falou aos jornalistas e aproveitou para criticar o horário tardio de alguns jogos do campeonato. A partida começou às 21h. Este domingo, 12 jogos depois, o …

Protesto em Hong Kong juntou mais de 1,7 milhões de manifestantes

Mais de 1,7 milhões de pessoas manifestaram-se no domingo, em Hong Kong, informou o movimento pró-democracia que tem liderado os grandes protestos contra a lei da extradição, desde o início de junho. Em conferência de imprensa, …

Medvedev entra no top 5 mundial do ténis. Pedro Sousa sobe 23 lugares

Medvedev, de 23 anos, que nunca tinha vencido um torneio de categoria Masters 1000, subiu três posições e figura pela primeira vez entre os cinco primeiros da tabela. O russo Daniil Medvedev, vencedor do torneio Masters …

Só 2% das escolas em Portugal têm desfibrilhadores

Apenas 129 dos 5.909 estabelecimentos de ensino em Portugal têm desfibrilhadores automáticos externos (DAE), o que representa 2,1%. Os dados recolhidos pelo Jornal de Notícias são do INEM, que assegura ainda que nas comunidades escolares existem …