Presidente indigita Passos Coelho como primeiro-ministro

Pedro Nunes / Lusa

O primeiro-ministro Pedro Passos Coelho

O primeiro-ministro Pedro Passos Coelho

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, anunciou hoje numa comunicação ao país que indigitou o líder do PSD, Pedro Passos Coelho, para o cargo de primeiro-ministro.

Depois de concluída a audição dos partidos sobre a formação do novo Governo, o presidente da República anunciou ao país ter indigitado Passos Coelho para formar governo.

Lamento profundamente que, num tempo em que importa consolidar a trajetcória de crescimento e criação de emprego e em que o diálogo e o compromisso são mais necessários do que nunca, interesses conjunturais se tenham sobreposto à salvaguarda do superior interesse nacional”, referiu o presidente.

“Esta situação é tanto mais singular quanto as orientações políticas e os programas eleitorais desses partidos não se mostram incompatíveis, sendo, pelo contrário, praticamente convergentes quanto aos objetivos estratégicos de Portugal”, acrescentou Cavaco Silva.

Neste contexto, acrescentou, depois de ouvir os sete partidos com assento parlamentar e tendo presente que nos 40 anos de democracia portuguesa a responsabilidade de formar Governo foi sempre atribuída a quem ganhou as eleições, “indigitei hoje, como primeiro-ministro, o doutor Pedro Passos Coelho, líder do maior partido da coligação que venceu as eleições do passado dia 04 de outubro”, anunciou o presidente.

O Presidente lembrou que “a última palavra” na formação do Governo cabe aos deputados, a quem compete decidir “em consciência tendo em conta superiores interesses da nação” se o Governo deve assumir as suas funções.

A nomeação do primeiro-ministro pelo Presidente não encerra o processo de formação do Governo”, afirmou o chefe de Estado.

“A última palavra cabe à Assembleia da República ou, mais precisamente, aos deputados à Assembleia da República. A rejeição do Programa do Governo, por maioria absoluta dos deputados em efetividade de funções, implica a sua demissão”, concluiu.

Inevitavelmente, “Passos Coelho vai ser derrubado”

Entretanto, a Comissão Política do Partido Socialista encontra-se reunida, aguardando-se uma reacção dos socialistas à decisão do Presidente.

Mas o deputado socialista João Soares reagiu já hoje, lamentando que o Presidente da República tenha indigitado o líder do PSD como primeiro-ministro, numa decisão que faz o país “perder tempo” porque “inevitavelmente Passos Coelho vai ser derrubado” no parlamento.

“Penso muito sinceramente que esta decisão do Presidente faz o país perder tempo porque inevitavelmente quem foi indigitado como futuro primeiro-ministro vai cair nesta Assembleia da República, não tenho sobre isso qualquer espécie de dúvidas”, afirmou João Soares aos jornalistas.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Claro! A coligação teve maioria absoluta!… Não?… Iiiiiihhh…. A “primeira” do “melhor Presidente da República que alguma vez tivemos! Enganou-se. Acontece aos melhores (?)… Enfim…
    Numa nota totalmente á parte…
    “interesses conjunturais”? Só se forem os dele…
    Mas faz sentido. Alguém que não pode com a democracia e a República, como tantas vezes tem demonstrado, só poderia actuar assim, desrrespeitando a maioria (absoluta, embora dividida) da vontade do portugueses. Mas foi como ele disse… Os compromissos internacionais são os mais importantes, os portugueses… naaaaa (não foi exactamente o que ele disse, mas foi aquilo que ele queria dizer).
    Por fim, anunciar algo que já estava decidido muito antes da campanha eleitoral? Nem valia a pena os 9 minutos usados!
    Para finalisar, ficou-lhe muito mal, aquilo que disse ácerca dos “outros” partidos (BE, CDU e PAN). Parece que lhe cabe a ele definir a política que esses partidos “professam”…
    Votem no Marcelo e vão ver o Cavaco a triplicar!

    • Qual o líder do partido que tenha ganho as eleições e não foi eleito 1º Ministro mesmo em minoria parlamentar nos últimos 40 anos? Que raio de zoada lhe saiu da cabeça dos dedos pá!

      • Nunca aconteceu, mas está previsto na Constituição. Ganha quem elege mais deputados! O PS, BE e CDU, têm bastantes mais que a Coligação. O Cavaco é que não quer! Não é uma questão de tradição! É uma questão de simples matemática. Nunca aconteceu, mas não quer dizer que não possa aconteçer. E é perfeitamente legal e democrático! Vá ler a Constituição! Ah! É verdade! Ninguém (o anterior e este Governo que infelizmente vem aí…) respeita a Constituição! Para que serve senão para criar obstáculos? A Ferreira Leite bem disse que era preciso suspender a Constituição (temporariamente?) para se fazer as reformas que ela achava necessárias. Nem mesmo o maior garante desta (o PR, caso não saiba). Se não fosse o Tribunal Constitucional, as alarvidaes que teriam acontecido no país… Ainda bem que ela existe! E é ela que pode permitir aquilo que diz ser uma zoada.

  2. Então vai ser assim: Passos forma governo. O governo cai e o orçamento não passa. Cavaco não empossa um governo de esquerda. O país entra em auto gestão. O Costa vai à vidinha. O próximo presidente (Marcelo Rebelo de Sousa, como é óbvio) convoca eleições. A PaF ganha com uma larguíssima maioria. Em jeito de conclusão diria que é um déjà vu de 1988, que antecedeu às duas maiorias claríssimas de Cavaco Silva.
    E pronto, era tudo que eu tinha para dizer hoje!

  3. A história repete-se… Pelo poder alguns socialistas a coberto da gravata e postura oratória não passam de paladinos de “contos de vigário”…
    António Barreto antevê governo de esquerda a “rebentar com toda a força”(RTP). Alguns comissários desabotoam o colarinho, descem a gravata e querem ver que ainda vem por aí um MOVIMENTO REFORMADOR ou um novo Partido Renovador Democrático (PRD) Eanista (47 deputados) ? Lembram-se porquê?
    Cheira-lhes bem. Cheira-lhes a P O D E R.

    • E aos actuais, não? Olha só para o “irrevogável”. Quando lhe cheirou a mais poder, decidiu (para bem do País…) alterar o significado da palavra. A mesma pessoa que há uns anos largos (ainda era jornalista e bom) disse que era anti poder!
      Você deve ser daqueles que lucrou com esta política (e a sua continuidade) ou… é burr……..
      Todos querem o Poder! Vermelhos, Rosa, Laranjas, Azuis. O que interessa é o que vão fazer com ele e de que maneira isso nos afectará. Quem não pensa assim, vive no mundo (de fantasia) do Passos Coelho onde não há desemprego, a Educação está óptima, a Economia fantástica, a Saúde… com saúde… e por aí adiante. Ou é burr… E o CDS não será uma espécie de PRD (que viabiliza o Governo)?

Tânia já pode abraçar os filhos. Livrou-se do coronaírus ao 16º teste após 4 meses isolada

A algarvia Tânia Poço foi, finalmente, dada como "curada" de covid-19 após quatro meses de confinamento. Aquele que terá sido o caso mais prolongado da infecção em Portugal, chegou ao fim com o 16º teste …

Exame de Matemática A criticado. Prova "infeliz" não permite "distinguir" alunos

A Sociedade Portuguesa de Matemática (SPM) criticou esta quinta-feira a elaboração do exame nacional de Matemática A, prova realizada por mais de 38.699 alunos que pretendem concorrer ao Ensino Superior. No entender da SPM, "o …

Ninguém quer o novo aeroporto do Montijo. Medina apela a "avanço" na decisão

Autarcas e ambientalistas foram ouvidos, esta quarta-feira, no Parlamento, onde se discutiu o projeto do novo Aeroporto do Montijo. A posição de ambos parece clara: ninguém quer avançar com a ideia. A construção do aeroporto …

Pandemia acelera nos Estados Unidos. Uso de máscara pode salvar 40 mil vidas

Os Estados Unidos ultrapassaram pela primeira vez a barreira dos 70 mil casos de covid-19, nas últimas 24 horas, elevando para mais de 3,49 milhões o total de contágios no país, indicou a Universidade Johns …

Presidente polaco falou ao telefone com Guterres sobre a comunidade LGBT e a 2.ª Guerra (mas não era Guterres)

O recém-eleito Presidente da Polónia, Andrzej Duda, julgava que estava a conversar por telefone com António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas. Falou-se da pandemia, da comunidade LGBT e da II Guerra Mundial. Porém, do outro …

Itália pediu ajuda, Europa ficou em silêncio e o vírus cavalgou por todo o continente

A lenta resposta a um inimigo invisível, a falta de stock de equipamentos de proteção, um Ocidente a festejar o Ano Novo e uma Europa com as atenções centradas no Brexit. Um cocktail desastroso que …

Empresas vão poder pedir lay-off em meses interpolados. Trabalhadores recebem subsídio de Natal a 100%

O novo apoio de lay-off que vai substituir o atual regime de lay-off simplificado a partir de agosto vai poder ser pedido pelas empresas em "meses interpolados", podendo desistir do regime e retomá-lo mais tarde. De …

Rombo na economia deixa orçamento retificativo à vista

O ministro das Finanças, João Leão, admitiu alterar as projeções de crescimento económico para 2020 com um orçamento retificativo. Em causa está uma queda mais acentuada da economia. A pandemia obrigou a um orçamento suplementar, onde …

Ricardo Salgado suspeito de corromper altos quadros do BES em milhões de euros

O antigo banqueiro Ricardo Salgado é suspeito de ter usado duas empresas que funcionavam como um saco azul do Grupo Espírito Santo (GES) para corromper 12 pessoas, a maioria altos quadros do Banco Espírito Santo …

Costa navega à esquerda com PSD debaixo de olho. Arrancaram as negociações para o OE2021

António Costa afastou a ideia de bloco central e tem pela frente, esta semana, uma ronda de negociações sobre o próximo Orçamento do Estado com os partidos à esquerda. Esta quarta-feira, deu-se o pontapé de saída …