PPP na Saúde. Governo tinha plano para fintar Marcelo (mas recuou e deixa Bloco “chocado”)

Miguel A. Lopes / Lusa

O Bloco de Esquerda tinha razão. O Governo aceitou mesmo terminar com as Parcerias Público-Privadas (PPP) na Saúde, e até tinha um plano para contornar o previsível veto de Marcelo Rebelo de Sousa. Mas perante a pressão do Presidente da República mudou de ideias e as PPP devem, afinal, continuar com o apoio do PSD.

Quando o Bloco de Esquerda anunciou, na semana passada, que tinha chegado a acordo com o Governo para acabar com as PPP na Saúde, bem como com as taxas moderadoras, o Executivo de António Costa apressou-se a contar outra história, garantindo que não tinha chegado a qualquer entendimento final com nenhum partido.

Mas o Diário de Notícias e o Expresso asseguram que esse acordo existiu mesmo, dando conta de um documento enviado pelo Governo ao Bloco a inscrever a ideia do fim das PPP como uma das medidas a incluir na nova Lei de Bases da Saúde.

O Expresso refere que esse documento inclui não apenas “o consenso” alcançado, mas também “um anexo onde ficou, preto no branco, como deveria ser ultrapassado o veto que já sabiam que viria do Presidente da República ao diploma”.

Esse documento, assinado pela Secretaria de Estado dos Assuntos Parlamentares, inclui, com detalhe, todos os passes de “reconfirmação do diploma, obrigando o Presidente a aceitá-lo num segundo momento” e também “um calendário, passo a passo, para garantir que a nova Lei de Bases estaria em vigor ainda esta legislatura”, frisa o semanário.

Nesse calendário, previa-se que a votação final global deveria acontecer a 10 de Maio e que a 4 de Junho seria o “último dia para recepção da mensagem fundamentada com eventual veto presidencial”.

Além disso, o documento inclui uma espécie de “guião” que explicava ao Bloco de Esquerda os passos políticos do processo, esclarecendo, nomeadamente, que “o Parlamento pode ultrapassar o veto político, ficando o Presidente da República obrigado a promulgar, no prazo de oito dias, se, entretanto, reaprovar o diploma, sem alterações, com uma maioria reforçada: a maioria absoluta dos Deputados”.

Volte-face deixa Bloco “chocado”

O volte-face no processo surgiu, porém, nesta quinta-feira com o primeiro-ministro a anunciar que o Governo nunca tinha chegado a qualquer acordo e a justificar a alteração de planos com a receptividade aos apelos do Presidente da República.

Marcelo Rebelo de Sousa tinha dito, em entrevista à RTP, que o fim das PPP na Saúde seria “irrealista”, defendendo a ideia de que “preferia um acordo” para a nova Lei de Bases “feito entre o PS e o PSD”.

A reviravolta no processo já foi assumida pelos deputados do PS na Comissão Parlamentar de Saúde, com a apresentação de um novo documento que recupera as PPP.

No Bloco de Esquerda, a líder Catarina Martins já disse que o partido está “chocado” com este volte-face, atribuindo a alteração da posição do Governo a pressões do Grupo Mello, o principal fornecedor privado de serviços de Saúde.

Certo é que a estratégia do Governo vai, agora, ao encontro do que Rui Rio defende. O presidente do PSD entende que as PPP na Saúde devem continuar, com uma devida avaliação de cada caso em concreto.

Nasce, desta forma, um possível “bloco central” na área da Saúde, com a bênção de Marcelo.

Susana Valente SV, ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Costa até vende a mãe para manter o poder nas próximas legislativas.
    Entre o Marcelo e o BE, escolheu aquele que o deixa mais descansado.

  2. Costa governa como se tivesse maioria absoluta pois sabe que os parceiros da geringonça nunca lhe fazem mal nenhum. Mesmo levando porrada e engolindo sapos, estes sentem-se felizes só por fazerem parte do “grupo”, mesmo que de forma fingida. Já não há rebuçados para distribuir pelo que os ultras da geringonça têm, a partir de agora, dias difíceis pela frentre.

RESPONDER

Vacina russa contra a covid-19 pode vir a ser produzida em Sintra

O Presidente da câmara de Cascais fez de intermediário para que viesse para Portugal uma licença de produção da Sputnik V. António Costa não se opõe, mas lembra que a vacina ainda não foi aprovada …

FC Porto admite batalha legal com o Sporting devido ao caso Palhinha

Os azuis e brancos contestam a utilização de João Palhinha após o jogador ter sido suspenso ao somar cinco amarelos na Liga. O FC Porto admite uma batalha legal. O FC Porto está preparado para levar …

Supremo recusa levantar arresto de bens a Rui Rangel e Fátima Galante

O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) rejeitou, esta quinta-feira, recursos dos ex-juízes, arguidos no processo "Operação Lex", que contestavam o arresto dos seus bens. No acórdão proferido, a que a agência Lusa teve acesso, o Supremo …

Portugueses a partir dos 60 anos vão ter segunda dose AstraZeneca

Após os casos de coágulos, a DGS só vai mudar o esquema vacinal aos mais jovens, sendo que população com mais de 60 anos que tomou a vacina da Astrazeneca irá receber a segunda dose …

Messi já tem uma decisão tomada em relação ao seu futuro

Andoni Zubizarreta, dirigente do Barcelona, garante que Lionel Messi já tomou uma decisão em relação ao seu futuro no clube, embora não saiba qual é. Depois da novela que foi a situação de Lionel Messi no …

Menos dinheiro para estradas e mais para as empresas. Governo apresenta a versão final do PRR

O Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) vai ser divulgado na sua versão final esta sexta-feira. Durante a manhã, será apresentado ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. A apresentação do Plano de Recuperação e …

Os lobos de Yukon mudaram a dieta para sobreviver à extinção da Idade do Gelo

Os lobos cinzentos (Canis lupus) do território de Yukon, no Canadá, sobreviveram à extinção no final da última Idade do Gelo adaptando a sua dieta ao longo de milhares de anos. Os lobos cinzentos estão entre …

Termina esta sexta-feira 2.ª fase de adesão a medidas voluntárias na TAP

Termina esta sexta-feira a segunda e última fase de adesão a medidas voluntárias para os trabalhadores da TAP, depois de a companhia ter concedido mais uma semana aos colaboradores para analisarem as opções. A TAP anunciou …

EDP entrega aos deputados contratos das barragens, mas pede confidencialidade

Depois do pedido de esclarecimentos de alguns deputados, a EDP enviou ao Parlamento mais de 1500 páginas de documentos sobre os negócios das barragens, mas pediu confidencialidade.  A EDP já enviou ao Parlamento a sua resposta …

Tiroteio em armazém da FedEx nos EUA faz pelo menos oito mortos

Pelo menos oito pessoas morreram, esta quinta-feira à noite, no tiroteio ocorrido num armazém da empresa de serviços postais FedEx em Indianápolis, no estado norte-americano do Indiana. Segundo a porta-voz da polícia de Indianápolis, Genae Cook, …