Portugal tem de ser “implacável” no combate à corrupção, diz Santos Silva

portocomfuturo / Facebook

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, assegurou na terça-feira que o Governo vai continuar a aprofundar a cooperação com Angola, a respeitar a independência judicial e “não ser precipitado a tirar conclusões”, após as revelações sobre a empresária Isabel dos Santos.

Santos Silva, que foi questionado sobre o chamado Luanda Leaks no debate na especialidade na Assembleia da República do Orçamento do Ministério dos Negócios Estrangeiros para 2020, assegurou que a atuação do Governo português tem sido a mais correta, noticiou a agência Lusa.

“Portugal fará o que tem feito desde que eu sou ministro dos Negócios Estrangeiros: colocar a relação entre os dois países no melhor patamar possível, respeitar a justiça angolana […], fazer uso de todos os instrumentos de cooperação bilateral entre os dois países […] e respeitar a independência dos reguladores e a independência dos poderes judiciais”, disse o ministro.

“E também não ser precipitado nas conclusões que tiramos antes mesmo de conhecer os factos”, frisou, respondendo ao deputado do Bloco de Esquerda (BE) Pedro Filipe Soares, que perguntou o que vai o Governo fazer neste caso, depois de ter dado “um tratamento especial a Isabel dos Santos, com acesso direto ao gabinete do primeiro-ministro”.

Santos Silva, que também foi questionado pelo deputado do PSD António Maló de Abreu, defendeu a atuação do Governo, insistindo que a resposta é “apostar no incremento das relações a todos os níveis” e “nunca pactuando com violações da lei ou com violações das boas práticas”.

“A melhor maneira de defender [as empresas, os trabalhadores e a economia portuguesa] é cumprindo a lei e sendo implacável no combate a práticas de corrupção, práticas cleptocráticas ou outras práticas indevidas”, assegurou.

O ministro sublinhou que um instrumento decisivo nesse combate é a cooperação entre os dois países, que abrange “todos os níveis”, designadamente policial, judiciário e fiscal. “Para que tudo seja claro, para que todos os indícios possam ser investigados e para que o relacionamento económico seja limpo, transparente, cristalino”, referiu.

Um consórcio de jornalismo de investigação revelou no domingo mais de 715 mil ficheiros, sob o nome de Luanda Leaks, que detalham esquemas financeiros de Isabel dos Santos e do marido, Sindika Dokolo, que estarão na origem da fortuna da família.

O Consórcio Internacional de Jornalismo de Investigação (ICIJ), que integra vários órgãos de comunicação social, entre os quais o Expresso e a SIC, analisou, ao longo de vários meses, 356 gigabytes de dados relativos aos negócios de Isabel dos Santos entre 1980 e 2018, que ajudam a reconstruir o caminho que levou a filha do ex-presidente angolano a tornar-se a mulher mais rica de África.

Durante a investigação, foram identificadas mais de 400 empresas (e respetivas subsidiárias) a que Isabel dos Santos esteve ligada nas últimas três décadas, incluindo 155 sociedades portuguesas e 99 angolanas.

Marcelo: investimento angolano continua a ser bem-vindo

O Presidente da República reagiu na terça-feira ao Luanda Leaks. “Eu disse, em geral, que o investimento vindo desse país [Angola], como de outros países, como de cidadãos de todo o mundo, é bem-vindo, naturalmente no respeito da constitucionalidade e da legalidade. Continua a ser bem-vindo”, respondeu aos jornalistas.

Citado pela Lusa, Marcelo – que tinha sido confrontado com anteriores declarações suas sobre o investimento angolano em Portugal – acrescentou: “Aliás, ainda esta semana o primeiro-ministro falou disso, da importância do investimento externo e do crescimento em Portugal. Isso eu mantenho completamente”.

Quanto à atuação das autoridades portuguesas face ao caso, considerou que “aparentemente” esta é “uma matéria que envolve poderes do poder judiciário, das instituições judiciais de investigação e de decisão, e dos supervisores, e dos reguladores – que são independentes e devem ser independentes”, e não o poder político.

“Cabe agora, naturalmente, a esses poderes analisarem o que devem fazer, como devem fazer, se tiverem de o fazer. O Presidente da República não vai dizer o que é que pensa da intervenção do Ministério Público, o que é que pensa da intervenção de um tribunal num determinado caso, o que é que pensa da intervenção de uma entidade reguladora, que são muitas, que podem ter a ver com estas atividades”, defendeu.

Marcelo foi questionado em Jerusalém, onde se encontra, sobre o Luanda Leaks. O Presidente vai participar no 5.º Fórum Mundial do Holocausto.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Estado vai ceder obras de arte a um hotel no Alentejo (mas haverá mais)

A secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural, Ângela Ferreira, autorizou a cedência de obras de arte do Estado para um hotel do grupo Vila Galé no Alentejo, mas fica dependente do cumprimento de …

Trump ofereceu perdão a Assange. Em troca, tinha de ilibar a Rússia

Donald Trump terá oferecido um perdão a Julian Assange se este afirmasse que a Rússia não esteve envolvida na divulgação de e-mails durante a campanha presidencial norte-americana, em 2016, alega a defesa do fundador do …

Capacetes da I Guerra Mundial protegem tão bem quanto os modernos

Capacetes usados durante a Primeira Guerra Mundial revelaram-se tão eficazes contra estilhaços de artilharia quanto capacetes usados nos dias de hoje. Uma nova investigação sugere que os capacetes usados durante a Primeira Guerra Mundial protegiam os …

Mortes por coronavírus superam 2.100 (mas há sinais de abrandamento)

O número de mortos devido ao novo coronavírus subiu esta quinta-feira para 2.118 na China continental, ao mesmo tempo que foi registado o menor aumento diário de novos casos de infeção em quase um mês, …

Dois ex-gestores ilibados da culpa da insolvência do BES

Pedro Mosqueira do Amaral e Ricardo Abecassis foram ilibados da culpa pela falência do Banco Espírito Santo (BES). Os dois antigos administradores deixaram de constar na lista de 13 culpados pela falência da instituição, da …

Suspeito de duplo tiroteio na Alemanha encontrado morto em casa

O presumível autor dos dois tiroteios de quarta-feira à noite, no centro da Alemanha, que fizeram nove vítimas mortais, foi encontrado morto em sua casa, anunciaram as autoridades esta quinta-feira. Dois tiroteios provocaram quarta-feira à noite …

Falar duas línguas pode atrasar uma série de sintomas de Alzheimer

Investigadores acreditam que falar duas línguas pode atrasar vários sintomas de demência e Alzheimer. Esta correlação está relacionada com uma maior reserva cognitiva. Uma equipa de investigadores sugere que ser bilingue pode atrasar uma série de …

Arquitetura óssea pode inspirar asas de aeronaves mais fortes

Uma nova descoberta na estrutura interna do osso pode levar a um melhor tratamento da osteoporose e a componentes de aeronaves mais duráveis. A densidade tem sido a referência para medir a força óssea. No entanto, …

Até as estrelas têm auroras (e já as podemos ver)

Uma equipa internacional de astrónomos observou sinais de rádio estranhos vindos de uma anã vermelha. Estas ondas bizarras estavam a ser produzidas pela interação com um exoplaneta que orbitava a estrela, criando uma aurora. Apesar de …

Tiroteios em dois bares fazem oito mortos na Alemanha

Pelo menos oito pessoas morreram hoje em dois tiroteios em dois bares na cidade alemã de Hanau, no centro do país, indicou a polícia local, sem precisar o número. O primeiro tiroteio ocorreu num bar de …