Pedro Dias: “Esta pistola já matou quatro pessoas e tu podes ser a próxima”

Paulo Novais / Lusa

Pedro Dias

Está previsto que mais 12 testemunhas prestem o seu testemunho, esta terça-feira, no Tribunal da Guarda. Esta manhã, a irmã da mulher sequestrada em Moldes e a médica legista responsável pelas autópsias já foram ouvidas.

Esta terça-feira, realiza-se a quinta sessão do julgamento de Pedro Dias, onde deverão ser ouvidas 12 testemunhas, entre as quais as irmãs de Lídia da Conceição, a mulher que foi sequestrada em Moldes e que sofreu um AVC quase um mês e meio depois do incidente.

Segundo o Observador, a primeira testemunha a ser ouvida foi Dulce da Conceição, irmã que acompanhou Lídia desde o dia do alegado sequestro até ao dia em que teve o AVC, uma vez que a vítima não se encontra em condições de prestar declarações.

A defesa do arguido ainda pediu para que o depoimento fosse rejeitado, escreve o jornal online, no entanto, o coletivo de juízes quer ouvir a familiar e só depois vai decidir se este testemunho será tido em conta.

A testemunha explicou que esteve com Dulce no dia anterior ao sequestro, que lhe disse que iria a casa da mãe para “arejar a casa” e tratar da “correspondência”. No fatídico dia, recebeu uma chamada da irmã a dizer que estava “gravemente ferida”.

“Aquele homem de Arouca que estava a ser procurado pela polícia estava em casa da mãezinha”, terá dito Lídia, citada pelo Observador. Dulce foi ter com ela à unidade de saúde, onde a encontrou “praticamente irreconhecível”.

“Entrei e vi a minha irmã num estado que ninguém deseja ver. Estava praticamente com o rosto desfeito”, recordou, acrescentando que tinha o rosto “desfigurado e cheio de sangue”, estava “cheia de hematomas”, “as mãos em ferida” e com “dedos marcados no pescoço”.

De acordo com o jornal, Lídia contou à irmã que mal entrou na casa da mãe apareceu “um vulto” à sua frente, que a agarrou pelo pescoço e pelos cabelos, e que a arrastou para um quarto. Foi então que foi “brutalmente agredida” e os seus gritos chamaram a atenção de António Duarte que, ao tentar socorrê-la, acabou também sequestrado.

Segundo Dulce, a irmã sabia “perfeitamente” que quem a estava a agredi-la era “o homem procurado pela polícia”, que lhe terá apontado a arma várias vezes, chegando mesmo a dizer: “Esta pistola que tenho aqui já matou quatro pessoas e tu podes ser a próxima“.

A irmã contou ainda em tribunal que Lídia ficou muito afetada psicologicamente e que, nos dias seguintes, andava com “uma ansiedade muito grande”, “não dormia” e passava as noites “a olhar para as mãos” que estavam feridas. Segundo o médico de família, o AVC deveu-se a uma “situação de stress despoletada pelo incidente”. O jornal online escreve que a vítima permanece internada no hospital, toma 20 comprimidos por dia e praticamente não fala.

Segundo o Correio da Manhã, também já foi ouvida Beatriz Silva, a médica legista que fez a autópsia das vítimas. “Liliane foi atingida com dois tiros: um na cabeça, que lhe acertou de raspão, e outro que lhe atravessou os tecidos moles da região cervical, que atravessou de um lado ao outro”, descreveu a médica legista, citada pelo jornal.

Pedro Dias continua em silêncio

Desde 3 de novembro, primeiro dia do julgamento, que o arguido se recusa a falar e passa as sessões a tomar notas em folhas de papel, embora a advogada, Mónica Quintela, já tenha assegurado que o cliente vai acabar por falar.

Na primeira sessão, foi ouvido António Ferreira, militar da GNR alegadamente baleado por Pedro Dias e que acabou por sobreviver. “Pensei que ia morrer”, disse.

Nas restantes sessões, nos passados dias 7, 8 e 9, foram ouvidas dezenas de testemunhas, entre as quais as mães do casal de Aguiar da Beira, Liliane e Luís Pinto. A mãe da última vítima mortal, Maria de Fátima, protagonizou um dos momentos mais tensos do julgamento, onde fez questão de enfrentar com o olhar o homem que é suspeito de ter morto a sua filha. A imprensa assinalou que, pela primeira vez, Pedro Dias mostrou uma reação e “corou intensamente”.

Também foi ouvida Ana Cristina Laurentino, ex-namorada do arguido que, apesar de admitir que este tinha alterações súbitas de humor e que houve duas situações em que a agrediu, não era capaz de matar: “O Pedro não mata um animal, respeita muito a natureza e os seres vivos”.

Destaque também para o testemunho de Carlos Santos, militar da GNR que abriu a porta ao colega António Ferreira depois de este ter sido baleado. “Quando abri a porta, dei com o camarada. Não o reconheci logo. Ele disse-me: ‘Santos, levei um tiro na cabeça, o Caetano está morto, ajuda-me'”.

Pedro Dias é acusado de cinco crimes de homicídio, três consumados e dois na forma tentada. Também responde por três crimes de sequestro, dois roubos e três detenções de arma proibida.

O arguido, de 44 anos, esteve fugido um mês depois da noite sangrenta em Aguiar da Beira, até se ter entregado às autoridades. Tem aguardado o julgamento em prisão preventiva, na cadeia de alta segurança de Monsanto, em Lisboa.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Discurso infinito… tempo perdito por um individu-o que esta parasitado de proteção!!!
    Leigo eu pois, pq não o posicionar em praça publica, e retirar menbro a menbro, sofrendo pois… seria o ‘espelho’ sofredor de quantos outros mais nas nossas ruas sorriem gozando tds estes midia…
    Assim continuamos a alimentar corruptos, intutitulados ‘descontrolados’ e mentores de doidices… sejamos superiores a todos, é tempo de entrar em ação c/ as nossas proprias mãos!!! Deixemo-nos de ser cobardes…

RESPONDER

Até as estrelas têm auroras (e já as podemos ver)

Uma equipa internacional de astrónomos observou sinais de rádio estranhos vindos de uma anã vermelha. Estas ondas bizarras estavam a ser produzidas pela interação com um exoplaneta que orbitava a estrela, criando uma aurora. Apesar de …

Tiroteios em dois bares fazem oito mortos na Alemanha

Pelo menos oito pessoas morreram hoje em dois tiroteios em dois bares na cidade alemã de Hanau, no centro do país, indicou a polícia local, sem precisar o número. O primeiro tiroteio ocorreu num bar de …

Descobertos sarcófago e altar dedicado ao fundador de Roma do século VI a.C.

Os dois objetos foram descobertos numa área subterrânea perto da Cúria, foi anunciado esta terça-feira. Um sarcófago considerado "excecional" e um altar do século VI a.C., que poderá ter sido dedicado a Rómulo, fundador de Roma, …

40 anos depois, cientistas identificam falha fundamental na eficiência dos painéis solares

Os painéis solares são uma das invenções mais impressionantes, mas é emergente descobrir como torná-los ainda mais eficientes. Recentemente, uma equipa de cientistas resolveu um mistério de 40 anos em torno de um dos principais …

SIC vai lançar serviço de streaming e canal de e-sports este ano

A SIC vai avançar para uma plataforma de streaming ainda em 2020. A "Netflix à portuguesa" ainda não tem nome, mas tem como objetivo "encontrar mais e novas audiências". Em entrevista ao jornal Público, o CEO …

Dagmar Turner tocou violino enquanto lhe era removido um tumor do cérebro

Uma paciente do King's College Hospital, no Reino Unido, tocou violino enquanto os médicos lhe removiam um tumor do cérebro. Desta forma, foi possível preservar a sua capacidade de tocar e a sua paixão de 40 …

"Não é aceitável". Tribunal de Contas refuta acusações de Manuel Heitor

O Tribunal de Contas (TdC) refutou as acusações do ministro do Ensino Superior sobre a auditoria ao modelo de financiamento do setor, considerando-as inaceitáveis e infundadas. "O tribunal tem o máximo respeito pela opinião dos auditados, …

"Lava que se farta". Isabel dos Santos recorre da absolvição de Ana Gomes

A empresária angolana recorreu para o Tribunal da Relação de Lisboa por causa das publicações no Twitter nas quais a antiga eurodeputada acusa a empresária, por exemplo, de "lavar que se farta". Em janeiro, o Tribunal …

Ministro considera "inaceitável" que TAP pague prémios em ano de prejuízos

O ministro das Infraestruturas e da Habitação considerou "inaceitável" que a TAP, empresa que "tem 100 milhões de euros de prejuízos" em 2019, atribua prémios a uma minoria de trabalhadores. "É uma falta de respeito para …

Eventos climáticos extremos podem levar os EUA a uma crise económica, revela estudo

Um relatório recentemente divulgado revela que os eventos climáticos extremos podem levar os Estados Unidos (EUA) a uma crise económica sem precedentes, com uma maior incidência no mercado da energia. "Se o mercado não fizer um …