PCP vai votar contra decreto presidencial de estado de emergência

António Cotrim / Lusa

O líder parlamentar do Partido Comunista Português (PCP), João Oliveira

O PCP anunciou que, na sexta-feira, vai votar contra o projeto de decreto presidencial de estado de emergência, defendendo que as medidas necessárias contra a covid-19 não passam pela suspensão de direitos.

Esta posição em relação ao projeto de decreto presidencial de estado de emergência foi transmitida em conferência de imprensa, esta quinta-feira, pelo líder parlamentar comunista, João Oliveira.

“No entender do PCP, as medidas necessárias face à situação que o país enfrenta não obrigam nem justificam a declaração de estado de emergência. Na nossa perspetiva, aquilo que o país precisa é de medidas que estimulem a proteção individual, promovam a pedagogia da proteção e assegurem as condições sanitárias necessárias para que prossiga a vida nacional nas suas várias dimensões”, declarou.

Perante os jornalistas, o presidente do grupo parlamentar do PCP considerou que as prioridades são o reforço do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e da segurança nas escolas, dos transportes públicos, dos lares e dos equipamentos culturais e desportivos.

“Em vez de suspender e proibir, ou parar atividades, é preciso que sejam criadas condições de segurança sanitária para que se mantenham as atividades económicas, sociais, culturais, desportivas e outras. Face à proposta que foi apresentada, confirma-se que o recurso ao estado de emergência não é proporcional nem adequado às medidas que são necessárias adotar e aos objetivos que é necessário prosseguir”, alegou ainda o líder da bancada comunista.

Questionado sobre o facto de o projeto de decreto do estado de emergência prever o recurso por parte das autoridades públicas a meios e instalações de saúde dos setores privado e social, João Oliveira sustentou que essa possibilidade pode ser efetivada sem estado de emergência.

“É preciso conferir absoluta prioridade ao reforço do SNS, não apenas em relação aos meios destinados à interrupção de cadeias de transmissão [do novo coronavírus], mas também em relação à capacidade de internamento e de resposta aos doentes, particularmente os que se encontram em unidades de cuidados intensivos. Aquilo que possa ser necessário de requisição de meios externos do SNS, designadamente os que estão afetados aos setores privado e social, tal não exige a vigência de um estado de emergência”, justificou.

De acordo com João Oliveira, na legislação nacional, “há um enquadramento legal que em outras circunstâncias já permitiu a requisição civil de meios desses setores sem que o Governo tenha pensado recorrer ao estado de emergência”.

O presidente do grupo parlamentar do PCP apontou então que o Governo tem recorrido a um decreto lei específico para fazer requisições civis, dando precisamente como o exemplo o caso dos estivadores.

“A lei já prevê essa possibilidade de requisição civil. Não é necessário o estado de emergência para que ele se verifique. E, portanto, o PCP não reconhece a esse argumento qualquer fundamento ou obrigue à declaração do estado de emergência”, acrescentou.

“O que o país precisa não é de recolheres obrigatórios“, disse o comunista, citado pelo jornal online Observador, quando confrontado com a hipótese de isso vir a acontecer.

Na segunda-feira, quando foi ouvido pelo Presidente da República, o PCP já tinha antecipado que não concordava com um novo estado de emergência. E recorde-se que, em abril, na última renovação deste estado, o partido já tinha votado contra (no primeiro e no segundo decretos, os comunistas optaram por abster-se).

O Presidente da República propôs ao Parlamento, esta quinta-feira, a declaração do estado de emergência entre 9 e 23 de novembro.

O debate e a votação do decreto presidencial é debatido e votado em plenário da Assembleia da República esta sexta-feira, pelas 16h00, e tudo indica que será aprovado.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Um partido que segue a doutrina de ditadura comunista soviética, a “defender” a suspensão de direitos provocada pelo estado de emergência? Só pode ser anedota!

RESPONDER

Mais de metade dos alunos LGBTQI sofre bullying na escola, diz relatório

Mais de metade dos alunos LGBTQI sofre 'bullying' na escola, alertou esta segunda-feira a UNESCO, por ocasião do Dia Internacional Contra a Homofobia, Bifobia e Transfobia. A Organização Internacional de Jovens e Estudantes LGBTQI (IGLYO) e …

Telescópio vai "caçar" a luz de 30 milhões de galáxias para mapear Universo e "revelar" energia escura

Um instrumento de um telescópio nos Estados Unidos vai capturar nos próximos cinco anos a luz de quase 30 milhões de galáxias e outros objetos cósmicos, permitindo aos cientistas mapearem o Universo e desvendarem os …

Portugal ficou acima da média europeia quanto ao teletrabalho

Dados do Eurostat sobre o teletrabalho durante a pandemia revelaram que Portugal registou uma média ligeiramente superior (13,9%) à da União Europeia (12,3%) entre as pessoas com idade dos 15 e os 64 anos. Em anos …

"Idiotas". Bolsonaro critica pessoas que mantêm isolamento social na pandemia

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, criticou os brasileiros que seguem as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e mantêm isolamento social na pandemia, a quem chamou de 'idiotas', em conversa com os seus …

SEF com 18 casos de exploração de imigrantes na agricultura na região Oeste

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) tem em investigação 18 casos associados a auxílio à imigração ilegal, angariação de mão-de-obra ilegal e tráfico de pessoas em explorações agrícolas da região Oeste desde 2017. Questionado pela …

Carlos Costa compara venda do Novo Banco a cabaz de fruta "parcialmente apodrecida"

O ex-governador do Banco de Portugal (BdP), Carlos Costa, considerou que o processo de venda do Novo Banco, em 2017, foi como alienar "um cabaz de fruta que está parcialmente apodrecida". "A questão é sempre a …

Irmãos presos injustamente durante 31 anos recebem 75 milhões de dólares

Henry McCollum e Leon Brown estiveram presos durante mais de 30 anos por um crime que não cometeram. Foram detidos em 1983 e condenados à pena de morte pela violação e homicídio de uma criança. …

"Há ali algumas coisas em que tem razão". Rui Rio concorda com críticas de Alberto João Jardim

Alberto João Jardim defendeu que o PSD nacional tem de "acordar" e "mudar já". Rui Rio ouviu o antigo governante madeirense "com atenção" e considera que tem razão. No artigo de opinião no jornal da Madeira …

Votar contra a reforma das Forças Armadas seria "uma contradição muito grande", diz Rio

O presidente do Partido Social Democrata (PSD), Rui Rio, afirmou esta segunda-feira que seria uma "contradição muito grande" votar contra a reforma das Forças Armadas, defendida pelo partido "há anos", só porque foi apresentada pelo …

Testes da vacina da Sanofi-GSK mostram eficácia do composto

Os testes preliminares da vacina contra a covid-19 da Sanofi e GalxoDmithKline demonstraram eficácia nos grupos de adultos inoculados pelos cientistas responsáveis pela Fase 2 do processo. Após as duas doses da vacina, os testes realizados …