“O caminho não pode levar novamente ao confronto.” Felipe VI pede Catalunha mais calma

Henri Garat et JB Gurliat / Mairie de Paris

Felipe VI, rei de Espanha

O rei de Espanha, Felipe VI, advertiu este domingo que a Catalunha não pode retomar o caminho do confronto e da exclusão após as eleições da passada quinta-feira, pedindo a recuperação da serenidade e do respeito mútuo.

Na sua mensagem de Natal, transmitida a partir do Palácio da Zarzuela, o monarca espanhol pediu aos representantes eleitos nas eleições da Catalunha que enfrentem os problemas de todos os catalães e que respeitem a sua pluralidade, sem “impor as próprias ideias contra os direitos dos outros“.

“O caminho não pode levar novamente ao confronto ou à exclusão, que – como já sabemos – só gera discórdia, incerteza, desânimo e empobrecimento moral, cívico e, naturalmente, económico de toda uma sociedade”, referiu Felipe VI, no seu quarto discurso de Natal desde que foi proclamado rei de Espanha.

“Em vez disso, o caminho deve levar à coexistência no seio da sociedade catalã – tão diversa e plural como ela é – e recuperar a serenidade, a estabilidade e o respeito mútuo, de modo a que as ideias não distanciem ou separem famílias ou amigos”, acrescentou.

O monarca reforçou que o caminho a seguir “também deve conduzir à renovação da confiança, do prestígio e a uma melhor imagem da Catalunha“.

Dias depois do referendo de autodeterminação da região catalã, realizado a 1 de outubro, o rei de Espanha acusou “determinadas autoridades da Catalunha de deslealdade” institucional e de terem uma “conduta irresponsável“, totalmente à margem do direito e da democracia.

“Com a sua conduta irresponsável, as autoridades catalãs podem mesmo colocar em perigo a estabilidade da Catalunha e de toda a Espanha”, sublinhou Felipe VI numa mensagem  transmitida pela televisão no dia 3 de outubro, dirigindo-se “diretamente aos espanhóis”, porque se estavam a “viver momentos muito graves para a vida democrática” do país.

O partido constitucionalista Ciudadanos ficou à frente nas eleições da Catalunha, mas os independentistas mantiveram a maioria absoluta, com a formação liderada pelo ex-presidente catalão, Carles Puigdemont, em segundo lugar.

O escrutínio realizado nesta região autónoma de Espanha registou uma participação histórica, com mais de 81% dos cidadãos catalães a ir às urnas.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Para os ditadores de Madrid os catalães não podem ter uma forma de pensar ou actuar contra os ocupantes, há apenas que comer e calar e assim segundo os mesmos serão amigos e bem aceites doutra forma não haverá diálogo nem possibilidade de paz, nada de novo e tudo como antes, velha tradição castelhana!.

  2. Ditadores? Se os lideres da região Catalã tivessem respeitado a lei espanhola não haveria problema algum. Neste momento perde toda a Catalunha com esta disputa parva. Porque 70% das grnades empresas que estão na Catalunha e lá pagam os seus impostos só o estão porque esta é Espanha. Se assim não fosse mudariam para outra área de Espanha… ou acha mesmo que empresas como a Nestlé Espanha, a Danone Espanha ou a Disney Espanha mantêm a sede Ibérica na Catalunha se esta deixar de ser Espanha?

RESPONDER

A Bugatti está a vender um carro elétrico "para crianças". Chama-se Baby II e custa 30 mil euros

A Bugatti e a Little Car Company, sediada em Londres, uniram-se para criar 500 Bugattis elétricos em miniatura para crianças. Agora, fruto dos desenvolvimentos mundiais, alguns veículos ficaram disponíveis para compra. O mais recente brinquedo da …

50 anos de monarquia e uma guerra de dias. A pandemia "matou" a micronação mais antiga da Austrália

O reinado de 50 anos de uma micronação na Austrália chegou ao fim devido ao impacto económico da pandemia de covid-19, que fez com que o autodeclarado principado se rendesse ao país. Hutt River, um principado …

NASA vai rebatizar planetas e outros corpos celestes com nomes ofensivos

A agência espacial norte-americana (NASA) anunciou que vai rebatizar alguns planetas, galáxias e outros corpos celestes que possuem nomes "ofensivos". Em comunicado publicado esta quinta-feira, a NASA explica que vai abandonar os nomes "não-oficiais" a …

O maior parque de crocodilos da Índia está à beira da falência. Abriga mais de 2.000 animais

O maior parque de crocodilos da Índia, localizado perto da cidade de Chennai, no sul do país asiático, encontra-se à beira da falência depois de a pandemia de covid-19 ter obrigado a fechar o espaço …

Campanha científica acrescenta mais de 37 mil quilómetros quadrados ao mapa do mar português

A campanha científica que o navio hidro-oceanográfico D. Carlos I da Marinha Portuguesa realizou durante nove semanas nos Açores, para levantamentos hidrográficos, permitiu “acrescentar cerca de 37.500 quilómetros quadrados sondados ao mapeamento do mar português”. Numa …

Apesar dos alertas, houve quem plantasse as sementes misteriosas da China (e já começaram a crescer)

Durante as últimas semanas, pessoas em todo o mundo têm recebido, sem ter encomendado, nas suas caixas de correio sementes com origem na China. Apesar dos avisos em contrário, houve quem plantasse os misteriosos presentes. As …

Marcelo veta redução de debates sobre a Europa. Não foi uma "solução feliz"

O Presidente da República vetou esta segunda-feira a redução do número de debates em plenário para o acompanhamento do processo de construção europeia de seis para dois por ano, defendendo que não foi uma “solução …

Boris Johnson admite alargar quarentena a mais países

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, admitiu esta segunda-feira alargar o sistema de quarentena a pessoas que cheguem de países atualmente isentos para reduzir o risco de infeção com a doença covid-19 no Reino Unido. "No contexto …

Novo lay-off. Ajuda da Segurança Social para pagar subsídios de Natal pode chegar só em 2021

O apoio ao pagamento do subsídio de Natal previsto pelo Governo para apoiar as empresas no âmbito do novo regime de lay-off, que entrou em vigor em agosto, poderá só ser pago pela Segurança Social …

Trump abandona conferência de imprensa após ser confrontado por jornalista com mentira que disse 150 vezes

O Presidente norte-americano abandonou uma conferência de imprensa, este sábado, depois de ter sido confrontado por uma jornalista com uma mentira que já terá dito mais de 150 vezes sobre cuidados de saúde para os …