Ciudadanos vence na Catalunha, independentistas mantêm maioria absoluta

Enric Fontcuberta / EPA

Ines Arrimadas, do Ciudadanos (ao centro) venceu as eleições regionais da Catalunha

O partido constitucionalista Ciudadanos ficou à frente nas eleições da Catalunha, mas os independentistas mantiveram a maioria absoluta, com a formação liderada pelo ex-presidente catalão, Carles Puigdemont, em segundo lugar.

Com quase 100% dos votos contabilizados, o Ciudadanos (direita liberal), liderado por Inés Arrimadas, obteve 37 lugares no Parlamento catalão. A cabeça de lista admitiu, no entanto, que não poderá ser chefe do governo regional, considerando a “lei injusta” que “dá mais lugares a quem tem menos votos” na rua.

“Apostámos na união dos catalães, votámos a favor da convivência, de uma Catalunha para todos os catalães. A maioria sente-se catalã, espanhola, europeia e vai continuar a sê-lo”, disse a andaluza de 36 anos.

Os partidos que defendem a independência obtiveram uma maioria absoluta no Parlamento catalão e prometem manter o desafio secessionista a Madrid. O Junts per Catalunya, formação liderada por Carles Puigdemont, elegeu 34 deputados.

A Esquerda Republicana Catalã, de Oriol Junqueras, anterior vice-presidente da Generalitat, tem 32 assentos, seguindo-se os socialistas catalães com 17 eleitos e o CatComú-Podem com oito eleitos.

A Candidatura de Unidade Popular (CUP, extrema-esquerda) elegeu quatro assentos. No total, o bloco independentista obteve 70 dos 135 lugares, um número que sobe para 78 se forem contabilizados os defensores de um novo referendo legal (partidos independentistas mais CatComú-Podem).

O principal derrotado foi o PP da Catalunha (PPC), partido do chefe do Governo central, que obteve apenas três lugares, um resultado negativo histórico. O cabeça de lista, Xavier García Albiol, mostrou-se preocupado com o futuro da região: “Vemos com muita preocupação um futuro social e económico para a Catalunha com uma possível maioria independentista”.

Puigdemont: maioria “pede novo referendo”

Falando em Bruxelas, onde está fugido à justiça espanhola que o acusa de sedição, rebelião e peculato, o ex-presidente catalão disse que “a república catalã ganhou à monarquia do 155″, numa referência ao artigo da Constituição espanhola que permite a suspensão das autonomias regionais e que foi ativado por Madrid depois de o seu Governo ter feito uma Declaração Unilateral de Independência.

Por isso, considera-se o vencedor destas eleições: “Que tomem nota, o Estado espanhol foi derrotado. Rajoy e sua aliança perderam e receberam uma bofetada dos catalães”.

O ex-presidente da Generalitat considerou que a eleição desta quinta-feira resultou “numa maioria de votos e de deputados eleitos que pede um novo referendo“.

“Hoje há muitos que têm de entender que a maioria absoluta independentista continua intacta”, apesar de que, segundo ele, as forças secessionistas tinham tudo contra elas.

Dirigindo-se ao chefe do Governo espanhol, Mariano Rajoy, Puigdemont exigiu ainda que “amanhã mesmo” se levante o artigo 155.º. “A partir de amanhã mesmo o 155 deve ser suspenso, os presos políticos devem ser libertados, senhor Rajoy”, frisou.

Rajoy recusa-se a convocar eleições antecipadas

A participação nas eleições na Catalunha alcançou um valor histórico, com mais de 81% dos cidadãos catalães a ir às urnas, mas, esta sexta-feira, a região acordou novamente na incerteza, continuando a não se saber quem irá formar a próxima Generalitat.

Numa conferência de imprensa em Bruxelas, Carles Puigdemont apelou ao diálogo com o poder central e sugeriu um encontro com Rajoy em qualquer país da União Europeia.

Estou pronto a encontrar-me com Rajoy em Bruxelas ou em qualquer outro local da União Europeia que não seja o Estado espanhol, por razões evidentes”, declarou.

Num discurso ao início da tarde, o presidente do Governo espanhol deixou bem claro que não está disposto a aceitar o convite do ex-presidente catalão. “Teria de me sentar com a pessoa que ganhou as eleições. Essa pessoa é a Inés Arrimadas“, respondeu a um jornalista, citado pelo Observador.

O governante recusou-se ainda a convocar eleições antecipadas e mostrou-se disponível para começar uma nova etapa na região, onde o “diálogo construtivo, aberto, realista e sempre dentro da lei” devem imperar.

“Eu confio que a Catalunha vá abrir uma porta ao diálogo e não ao conflito, à cooperação e não à imposição, à pluralidade e não à unilateralidade”, cita o jornal online.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. “Estou pronto a encontrar-me com Rajoy em Bruxelas ou em qualquer outro local da União Europeia que não seja o Estado espanhol, por razões evidentes”, declarou.
    Puigdemont canta de galo, mas fugiu e não dá a cara em Espanha.
    Com tanto tempo em Bruxelas deve gastar um bom dinheiro!

  2. A menina andaluza pelos vistos também quer provocar barulho na Catalunha, então ela queria ter uma maioria parlamentar com apenas vinte e tal por cento dos votos e os outros vinte de cada um dos dois partidos independentistas não valeriam nada, lá que tenha sido o seu partido o mais votado tudo bem e o seu amigo Rajoy já se mostrou interessado em só dialogar com ela o problema é que os partidos independentistas todos juntos têm muito mais votos do que a dita menina, talvez ela e o seu amigo consigam inventar uma forma governativa minoritária no parlamento onde a oposição nada valha, nada me admira com tanta matreirice já feita pelo ditador Rajoy.

  3. pobres catalaes… com a classe politica tipo geringonça, ricos , bem instalados com todas as mordomias de alianças quer com o pp quer com o psoe, querem agora como qualquer cao raivoso…morder a mao de quem lhes deu de comer. pigdemont e o prototipo do maçon que se alia ate a extrema esquerda para governar a qualquer preço….
    catalunha tao parecida com portugal neste campo do embuste politico e do governo a qualquer preço
    tanto na catalunha como em portugal a pobreza cresce a olhos nao vistos que os midia ao serviço dos maçonicos/ marxistas, escondem a realidade…..para mais depressa enganar o povo .
    pobre europa nas maos destes novos aristocratas do dinheiro do embuste da ditadura democratica e do abuso do poder . ja so espero que os partidos nao marxistas e nao maçonicos possam devolver o sonho de uma europa livre.

RESPONDER

Bolsonaro mudou legislação e compra de armas disparou. Registou-se um aumento de assassinatos

O comércio de armas disparou em quase dois anos, ou seja, desde que Bolsonaro chegou ao Governo e fez mudanças na legislação que seguem o modelo norte-americano. Estão na mão de radicais, alerta especialista. A compra …

Ilhas Marshall registam os dois primeiros casos desde o início da pandemia

As Ilhas Marshall, um dos últimos países do mundo poupados até aqui ao novo coronavírus, registaram os dois primeiros casos de covid-19 desde o início da pandemia, anunciou, esta quarta-feira, o Governo do arquipélago …

Parlamento espanhol prolonga estado de emergência por mais seis meses

O parlamento espanhol aprovou hoje em Madrid a prorrogação do estado de emergência para lutar contra a pandemia de covid-19 durante seis meses, até 09 de maio de 2021. A medida que já está em vigor, …

BCE avisa que recuperação económica "está a perder força mais rapidamente do que o previsto"

A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, alertou esta quinta-feira que a recuperação económica está a perder força mais rapidamente do que aquilo que era previsto devido à aceleração da pandemia em vários …

CP permite reembolso dos bilhetes entre sexta e terça-feira. Rede Expressos cancela viagens

A CP irá reembolsar os utentes que pedirem devolução de dinheiro por bilhetes de viagens entre 30 de outubro e 3 de novembro, tendo em conta as restrições de movimentações entre concelhos, adiantou fonte oficial …

Marcelo Rebelo de Sousa não descarta novo estado de emergência

Marcelo Rebelo de Sousa abriu esta quinta-feira a porta à declaração de um novo estado de emergência em Portugal. O presidente admite fazer uma declaração ao país na próxima semana. O presidente da República não descarta …

Antissemitismo. Jeremy Corbyn suspenso do Partido Trabalhista

O Partido Trabalhista suspendeu hoje o seu antigo líder Jeremy Corbyn na sequência de um relatório que condenou a principal força da oposição no Reino Unido por "atos ilegais de assédio e discriminação" antissemita. Reagindo ao …

Portugal volta a bater recorde de infeções: mais 4.224 casos nas últimas 24 horas

Portugal voltou a bater o recorde de infeções diárias esta quinta-feira. Nas últimas 24 horas, registaram-se mais 4.224 casos positivos em todo o país. Dia após dia, Portugal continua a bater recordes de infeções diárias. Nas …

Depois do novo confinamento, França estende uso obrigatório de máscara nas escolas às crianças de 6 anos

O uso de máscara na escola em França será estendido na próxima semana às crianças a partir dos seis anos, anunciou esta quinta-feira o primeiro-ministro francês, Jean Castex, um dia após o anúncio de novo …

"A lei não pode exigir esse tipo de heroísmo". Presidente polaco recua na oposição ao aborto

O Presidente da Polónia defendeu esta quinta-feira que as próprias mulheres deveriam ter o direito de abortar em caso de fetos com problemas congénitos, rompendo com a liderança conservadora, que apoiou uma proibição que levou …