Novo aeroporto. Rio tem dúvidas (mas PSD tem cartazes a defender “Montijo Já” há três anos)

Hugo Delgado / Lusa

Apesar de o líder do PSD levantar dúvidas sobre a localização do novo aeroporto, há cartazes do partido em Setúbal a exigir o avanço da obra “já”.

Bruno Vitorino, líder do PSD/Setúbal e um dos maiores críticos de Rui Rio, remete para um dos temas que tem dominado a campanha eleitoral: a posição do PSD sobre o novo aeroporto no Montijo. Apesar de o líder social-democrata admitir reavaliar a “solução Alcochete”, a verdade é que existem outdoors do PSD/Setúbal a defender a solução preconizada pelo governo de Pedro Passos Coelho e concretizada por António Costa – e a exigi-la “já”.

“Quando Rui Rio pediu para nos pronunciarmos em 10 minutos sobre 124 páginas de um programa eleitoral que nunca tínhamos visto e sem tempo para analisar questões estratégicas como o aeroporto ou as infraestruturas portuárias disse que não… Olhe, parece que estava a adivinhar”, disse Bruno Vitorino ao Expresso.

Segundo o líder local, o cartaz está na rua “há quase três anos”. “Chegámos a ter dois iguais. Não é uma qualquer afronta a Rui Rio. A nossa posição é esta há muito tempo, não fomos nós que mudámos”, explicou Bruno Vitorino, que foi afastado da lista de candidatos a deputados pela atual direção do PSD.

A questão foi trazida para a campanha por António Costa, que disse estar “apreensivo” depois de ver o “principal partido da oposição” a “colocar em causa a opção já tomada para que o desenvolvimento da capacidade aeroportuária de Lisboa seja complementada com o desenvolvimento do aeroporto do Montijo”.

“Temos de manter uma linha de trabalho que não devolva o país à incerteza do que vai acontecer a seguir. Novas hesitações seriam uma fortíssima ameaça à continuidade da atividade turística. Não há plano B”, defendeu o líder socialista, que continua a aguardar a declaração final da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) — apesar de o Governo ter assinado o acordo com a ANA – Aeroportos de Portugal mesmo antes estarem concluídos os estudos de impacte ambiental.

No debate com André Silva, na RTP, Rui Rio tentou explicar a posição do partido, garantindo que a solução Montijo deve prevalecer, a menos que os “problemas ambientais sejam praticamente inultrapassáveis”. Aí “deveria ser avisado fazer a reapreciação da solução de Alcochete”.

Mais do que uma proposta, Rio explicava que a posição do PSD era condicional. Se o impacte ambiental do projeto Montijo fosse insuportável, a solução Alcochete deveria ser reavaliada.

Por outro lado, o programa eleitoral do PSD é menos condicional do que aquilo que Rio mostrou na RTP. Os sociais-democratas escreveram mesmo, no programa, que é “prematuro afastar cenários” e “que as opções a fazer não dispensam um estudo aprofundado das diferentes soluções”. O PSD chega a admitir renegociar as “condições contratuais da concessão” face aos previsíveis “problemas ambientais” decorrentes da construção de um aeroporto no Montijo.

Bruno Vitorino discorda. “Dos estudos técnicos que são conhecidos e do que foram dizendo todos os intervenientes, não há qualquer razão para acreditarmos que os impactes ambientais não são mitigáveis”, disse. “Mas Rui Rio nunca se reuniu connosco ou com os deputados eleitos. Nunca fomos ouvidos, por isso…”.

O que se sabe é que a posição do PSD/Setúbal em relação ao Aeroporto do Montijo mantém-se – e os cartazes também.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Rio, parece um especialista em confusão. Um dia está de acordo, no outro está contra. É um ser em confusão. Tinha dele outra ideia. Agora errada,é claro.

RESPONDER

Líderes da UE alertam Londres para respeitar acordo do Brexit

Os líderes da União Europeia (UE) alertaram o Governo britânico, este sábado, que os dois lados devem implementar o acordo do Brexit, numa reunião com o primeiro-ministro britânico à margem da cimeira do G7. A presidente …

Variante Delta está a crescer em Portugal. Lisboa e Vale do Tejo é a região mais afetada

As autoridades de saúde confirmam que já foi detetada, em Portugal, a transmissão comunitária da variante Delta do novo coronavírus. Esse cenário estará a ser mais evidente na região de Lisboa e Vale do Tejo. "Até …

Vírgula permite aos deputados receberem abono de exclusividade mesmo mantendo cargos em empresas

Um parecer da Comissão de Transparência permite aos deputados acumularem funções em empresas enquanto recebem o subsídio de exclusividade na Assembleia da República. Tudo por culpa de uma vírgula que desperta interpretações diversas. A situação é …

Grupo Espírito Santo só tem verbas para pagar 2,6% das dívidas

Os credores reclamam 11,5 mil milhões de euros em dívida, mas o império Espírito Santo só tem cerca de 300 milhões de euros. De acordo com o semanário Expresso, aquilo que resta do império Espírito Santo …

CTT reclamam dívidas de 67 milhões ao Estado

Os CTT iniciaram um processo de arbitragem contra o Estado, reclamando um total de 67 milhões de euros em compensações pelo impacto da pandemia de covid-19 e pela extensão unilateral do contrato de concessão. "Os CTT …

O candidato de Costa ao Porto só durou 24 horas (e a "asneira" pode sair-lhe cara)

Está lançada a confusão no PS Porto com a escolha do candidato do partido às próximas eleições autárquicas. O secretário de Estado da Mobilidade, Eduardo Pinheiro, não resistiu às reacções negativas à sua escolha para …

Mourinho Félix ao ataque. BdP "subjugou-se" à ex-ministra das Finanças

O antigo secretário de Estado Adjunto e das Finanças criticou, esta sexta-feira, a "falha grave" do Banco de Portugal (BdP) ao se ter subjugado à antiga ministra das Finanças quanto à capitalização inicial do Novo …

Castillo obtém a maioria dos votos nas Presidenciais peruanas

Pedro Castillo obteve a maioria dos votos nas eleições presidenciais de domingo no Peru, com 50,168% dos votos, restando apenas 0,328% para contar, uma distância que a sua rival, Keiko Fujimori, não será capaz de …

Câmara de Lisboa arrisca multa de 80 milhões devido à partilha de dados

A Câmara Municipal de Lisboa (CML) terá cometido quatro violações à lei da Proteção de Dados, puníveis cada uma com uma coima até aos 20 milhões de euros. Em declarações ao jornal Público, Elsa Veloso, advogada …

Joanetes e ossos partidos. A moda dos sapatos pontiagudos teve um alto custo na Inglaterra medieval

A moda dos sapatos pontiagudos na Inglaterra medieval desencadeou uma onda de joanetes, que, por sua vez, levaram a que as pessoas caíssem e partissem ossos. O século XIV assistiu à chegada de uma abundância de …