Aeroporto do Montijo. Costa critica PSD e afirma que “não há plano B”

Tiago Petinga / Lusa

O primeiro-ministro António Costa

O secretário-geral do PS criticou o PSD por colocar em causa o desenvolvimento do aeroporto do Montijo, advertindo que “não há plano B” e que a suspensão deste projeto coloca seriamente em causa o crescimento económico.

Esta posição foi transmitida por António Costa no final de um almoço com a Confederação do Turismo de Portugal, em Lisboa, e constituiu a única crítica que o líder dos socialistas dirigiu aos sociais-democratas numa intervenção inicial com 36 minutos.

“Não posso deixar de manifestar muita apreensão quando vejo que o principal partido da oposição, que ainda agora votou favoravelmente o Programa Nacional de Infraestruturas, a apresentar não só novas dúvidas existenciais sobre os projetos de alta velocidade [ferroviária], mas, sobretudo, a colocar em causa a opção já tomada para que o desenvolvimento da capacidade aeroportuária de Lisboa seja complementada com o desenvolvimento do aeroporto do Montijo”, disse.

Sobre este tema, segundo o primeiro-ministro, após décadas de impasse, convém que se seja claro e que não existam “hesitações” ou “criatividades”.

Hoje em dia já não há plano B. Qualquer outra solução comprometeria muito fortemente a dinâmica de crescimento do turismo. Temos de manter uma linha de trabalho que não devolva o país à incerteza do que vai acontecer a seguir”, sustentou.

Costa considerou essencial que não se desfaça o consenso político alcançado no parlamento para a criação de um complemento no Montijo do aeroporto de Lisboa e que “não se verifiquem novas hesitações”.

Novas hesitações seriam uma fortíssima ameaça à continuidade da atividade turística do país e ao crescimento deste setor, que é fundamental para gerar emprego, riqueza e para dinamizar todo um conjunto de outras atividades económicas”, afirmou ainda em tom de aviso.

Perante os membros da Confederação do Turismo de Portugal, o primeiro-ministro frisou que sempre insistiu no caráter “essencial de existirem programas de investimento público definidos de forma consensual, discutidos e aprovados na Assembleia da República pelo menos com uma maioria de dois terços”.

“Era preciso pôr termo a um ciclo excessivo de 20 anos em que cada Governo que chegava partia do zero e colocava em causa tudo aquilo que o executivo anterior tinha feito. Desse ponto de vista, considero que esta legislatura que terminou foi exemplar, quer quanto ao programa Ferrovia 2020, quer quanto à estratégia aeroportuária”, exemplificou, falando mesmo que neste último domínio até se alcançou no parlamento uma maioria de quatro quintos.

“Este é o momento de se tomarem decisões e de agir. O estudo de impacto ambiental é claro quanto às medidas a adotar para limitar os impactos ambientais, mas voltar à estaca zero e reabrir o debate sobre a solução seria comprometer muito seriamente o futuro do país. Espero que seja possível a estabilidade nestas opções e não entramos em criatividades perigosas”, completou.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. O PSD parece uma gaja histérica com mudanças de humor e ideias.
    À entrada do Montijo esteve durante muitos meses antes das eleições, um cartaz do PSD onde dizia e passo a citar: Aeroporto no Montijo Já!
    O que é isto senão Esquizofrenia politica!

RESPONDER

Um terço dos universitários de Lisboa já sofreu violência sexual física

Um terço dos estudantes universitários da área metropolitana de Lisboa já foi vítima de violência sexual física pelo menos uma vez, mas são muitos poucos os que denunciam as agressões, raramente o fazendo à …

OE2020: Esquerda vai negociar "até ao último minuto". PSD não comenta eventual traição madeirense

O Governo apresentou, nesta terça-feira, na Assembleia da República, as linhas gerais da proposta de Orçamento do Estado para 2020 (OE2020) aos partidos com representação parlamentar. Dos encontros, não saiu fumo branco, com o Bloco …

Turismo fez subir o custo de vida dos portugueses. Salários continuam estagnados

O crescimento do turismo em Portugal fez crescer o custo de vida dos portugueses, especialmente nos que vivem nas grandes cidades, apesar de estes continuarem com os salários estagnados, escreve o Jornal de Notícias. Entre 2013 …

Contrato público. Amazon apresenta queixa em tribunal contra Trump

A Amazon revela que os "insistentes ataques públicos e de bastidores" de Donald Trump contra Jeff Bezos causaram "pressão" que levou à perda de contrato público com o Departamento de Defesa.  A Amazon apresentou uma queixa …

Empurrões, insultos e (talvez) um murro: Sérgio Conceição e Pedro Ribeiro perderam as estribeiras no túnel do Jamor

Os treinadores de FC Porto e Belenenses, Sérgio Conceição e Pedro Ribeiro, desentenderam-se no túnel de acesso ao relvado do Estádio Nacional, ao intervalo do jogo em que as duas equipas empataram a uma bola. …

Acordo entre Rússia e Ucrânia para cessar-fogo até ao final do ano

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, chegaram na segunda-feira à noite a um acordo de cessar-fogo que deverá ter efeito até ao final do ano de 2019. "As partes …

Nova Zelândia abre investigação. Erupção do Whakaari já fez pelo menos 13 mortos

Pelo menos cinco pessoas morreram e oito continuam desaparecidas, na sequência da erupção do vulcão Whakaari, na Nova Zelândia. As autoridades afirmam que há poucas chances de terem sobrevivido. "Diria com forte convicção de que ninguém …

Falhas no acesso a remédios não são exclusivo do SNS. No resto da Europa também há, diz ministra

A ministra da Saúde afirmou que as falhas no acesso a medicamentos não são "um exclusivo nacional", estando em discussão entre os Estados-membros uma "estratégia global para o acesso ao medicamento". A ministra da Saúde afirmou …

Canal Panda e jogar sem medo. A receita de Lage para vencer os russos do Zenit

O Benfica joga esta terça-feira com o Zenit de São Petersburgo, na sexta e última jornada do grupo G da Liga dos Campeões. Os encarnados precisam de vencer por dois (ou mais) golos para garantir …

Polícia de Hong Kong desativa bombas artesanais escondidas em escola

As autoridades de Hong Kong desativaram duas bombas artesanais numa escola esta terça-feira. Os engenhos foram descobertos por um guarda e desconhece-se se estão associados à crise política que se vive no país. A líder de …