Ministério Público abre inquérito a agressão a jovem por segurança no Porto

Nicol Quinayas / Facebook

Nicol Quinayas, a jovem agredida no São João no Porto

O Ministério Público abriu um inquérito para investigar o caso da jovem agredida no domingo, no Porto, por um segurança que trabalhava para o Serviço de Transportes Coletivos do Porto (STCP).

“Confirma-se a existência de inquérito, o qual corre os seus termos no DIAP [Departamento de Investigação e Ação Penal] do Porto”, indicou a a Procuradoria-Geral da República (PGR) em resposta escrita à Lusa.

Nicol Quinayas, de 21 anos, nascida em Portugal, mas de ascendência colombiana, alega ter sido violentamente agredida e insultada na madrugada de domingo, no Porto, por um segurança da empresa 2045 a exercer funções de fiscalização para a empresa STCP.

Segundo uma fonte da PSP do Porto contactada pela Lusa, a jovem “apresentou queixa por agressão ocorrida na noite de São João”, no momento em que “aguardava na fila para entrar num autocarro da STCP”.

Depois de o caso se ter tornado público, inicialmente pelas redes sociais e depois pelos jornais, a SOS Racismo condenou a agressão à jovem, que reside em Gondomar, no distrito do Porto.

A Inspeção Geral da Administração Interna já abriu um processo para esclarecer junto da PSP o caso e, numa nota enviada às redações, o Ministério da Administração Interna (MAI) diz que o ministro Eduardo Cabrita “não tolerará fenómenos de violência nem manifestações de cariz racista ou xenófobo“.

A empresa de segurança privada 2045 revelou quarta-feira ter iniciado um processo de averiguações interno e hoje indicou que o segurança da empresa que alegadamente agrediu a jovem já “não está ao serviço da STCP”.

Em comunicado, a 2045 confirmou a “ocorrência na STCP do Porto, na noite de São João, pelas 05h30/06h00”, e acrescenta que esta “foi comunicada à PSP, que esteve presente no local”.

Sem nunca mencionar a acusação de “motivações racistas” avançada pela agredida, a 2045 refere, no entanto, ter “cerca de três mil funcionários, entre vigilantes e colaboradores da estrutura”, que incluem “elementos de várias etnias”, assegurando não haver “qualquer tipo de discriminação de nacionalidade, religião, raça ou género”.

A gestão da STCP foi entregue à Área Metropolitana do Porto e às autarquias que hoje exploram a empresa.

Nos últimos dias, vários partidos condenaram a agressão e exigiram explicações ao Governo. Na quinta-feira, o PS exigiu que o Governo atue junto das forças policiais para que haja consequências da agressão “racista” de que foi vítima a jovem e que conclua “rapidamente” o diploma sobre segurança privada.

No mesmo dia, o Bloco de Esquerda questionou o Ministério da Administração Interna sobre que medidas que pretende tomar face à agressão a uma luso-colombiana, na madrugada de domingo, no Porto, quanto à investigação do caso e à empresa do segurança envolvido.

O deputado comunista Jorge Machado condenou também as agressões alegadamente racistas sobre uma jovem colombiana no Porto, no domingo, e exigiu medidas ao Ministério da Administração Interna.

Já o PSD condenou a agressão, considerando que a situação constitui “um alerta” para que rapidamente seja aprovada nova legislação sobre segurança privada.

Lusa // Lusa

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Foi preciso chegar à comunicação social, para as autoridades abrirem os olhos.
    Continuamos a ter “seguranças” mal seleccionados e formados.
    A empresa à qual pertence este segurança também deveria responder em tribunal, pela parte que lhe toca em responsabilidade.
    Simpatia para a moça atacada pelo animal…

      • Já agora poderia dizer o que a moça fez. Eu sei o que fez. Mas gostaria de ouvir a sua versão…
        Não gosta de colombianas ? É isso ?! Ou também é segurança ?

        • Duvido muito que sabias, mas eu vou-te contar:
          Ela passou à frente das outras pessoas para entrar no autocarro o que gerou uma confusão (principalmente com um do que estava na fila), depois chegou o tal fiscal/segurança/animal que lhe pediu para sair do autocarro, ela não obedeceu e começou logo com tretas (“é por ser preta”, etc!) e a bracejar, ele agarrou-a o puxou-a cá para fora (e aconteceram agressões de parte a parte) enquanto outro colega chamava a PSP, que entretanto chegou e ela também começou a resmungar com os polícias que, ao se aperceberem que ela estava alcoolizada, não lhe disserem/perguntaram mais nada!…
          Está bem assim?!
          .
          O segurança claramente exagerou, mas ela não é nenhuma santinha e não é fácil lidar com gente assim!…
          .
          “Não gosta de colombianas ? É isso ?! Ou também é segurança ?”
          Realmente essas perguntas fazem todo sentido!…
          Até porque toda a gente vê logo que ela é columbina!…
          Não sou segurança, mas, principalmente, não sou palerma!!

          • Já ouviu falar em força despropositada ?
            Esqueceu-se de falar em dois socos que deixaram a rapariga naquele estado ?
            Encostar a cara da rapariga ao chão com um joelho nas costas ?? Não sei bem quem estaria alcoolizado.
            A sua frase (agressões de parte a parte) mostra a sua parcialidade. Como se uma moça estivesse fisicamente ao nível de um segurança. A propósito… repetente nestas situações.
            Mas não sou eu nem você a julgar. Só a comentar.
            Julgar e condenar vai ser um tribunal, e nessa altura veremos de que lado está a razão, quando esse seu “amigo” apanhar uns anitos de cadeia.

            • Esqueceu-se de ler a parte em que eu escrevi “animal”?!…
              E os dois socos devem ter sido mesmo muito fraquinhos, para passados poucos dias já não ter nada na cara!…
              A razão é relativa, mas ela fez mer@da e o segurança fez ainda pior; percebeu agora ou vai continuar com palermices e a dizer que sou segurança ou “amigo” do animal?!

RESPONDER

Enquanto Flamengo afasta regresso de Jorge Jesus, o "Galo" vem ao ataque

O treinador benfiquista afasta o cenário de uma saída precoce do Estádio da Luz. O Flamengo rejeita o regresso de Jorge Jesus, enquanto o Atlético Mineiro manifesta o seu interesse. Jorge Jesus foi categórico: "Não vou …

"Ihor gritava como um cão atropelado". Seguranças contam nova versão em tribunal

O segurança Manuel Correia testemunhou esta quarta-feira que “ouviu gritos” de Ihor Homeniuk vindos de uma sala do SEF no aeroporto de Lisboa e que encontrou um dos inspetores com um pé em cima da …

Dos pés de Cancelo para a cabeça de Bernardo Silva. City ganha na Champions com um golo 100% português

Os internacionais portugueses João Cancelo e Bernardo Silva foram fundamentais para a vitória do Manchester City sobre o Borussia Monchengladbach (2-0), na primeira mão dos oitavos da Liga dos Campeões, com ação direta nos dois …

"População não interiorizou a gravidade da situação". Depois de Siza, Cabrita aponta o dedo aos portugueses

Num relatório sobre a aplicação do decreto do estado de emergência na segunda quinzena de janeiro, Eduardo Cabrita justifica o fecho das escolas e o fim das vendas ao postigo, culpando a população pelas decisões …

Esta época há menos 500 clubes. "É o drama absoluto", diz presidente da FPF

Esta época há menos 500 clubes em comparação com a temporada transata. O presidente da FPF, Fernando Gomes, classifica a situação de "drama absoluto". A pandemia de covid-19 e a consequente interrupção das competições foi um …

Psicólogos no recrutamento e mudanças na formação. IGAI quer acabar com discriminação na polícia

A Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) quer envolver psicólogos no processo de recrutamento de novos polícias e rever os currículos de formação para acabar com práticas discriminatórias nas forças de segurança. As alterações no processo de …

Coleção de joias da era Viking é encontrada na Ilha de Man. É "excecionalmente rara"

Uma coleção de joias da era Viking foi encontrada na Ilha de Man, entre Inglaterra e a Irlanda, em novembro de 2020 e foi agora classificada como tesouro. Os especialistas acreditam que os artefactos, descobertos …

“As brasileiras são mercadoria". Professor da UP suspenso por comentários machistas e xenófobos nas aulas

Após uma denúncia que reuniu assinaturas de mais de uma centena de alunas, o professor auxiliar Pedro Cosme da Costa Vieira foi suspenso pelo período máximo de 90 dias, da Faculdade de Economia da Universidade …

Houve buzinão na Luz (mas sem "carinho"). Jesus culpa covid-19 pela crise do Benfica

Algumas dezenas de adeptos protestaram junto ao Estádio da Luz com um buzinão, entre gritos de "Rua Vieira" devido aos maus resultados do Benfica. Antes disso, Jorge Jesus tinha apelado a um "buzinão de carinho" …

Marcelo remete diretamente para o Governo limites ao ruído nos prédios

O chefe de Estado incluiu o detalhe "decreto-lei do Governo", no novo decreto para a renovação do estado de emergência, para permitir que o Executivo limite o ruído nos prédios. No último decreto que executou o …