Movimento “A Pão e Água” termina greve de fome de 7 dias após reunião com Medina

Tiago Petinga / Lusa

Os elementos do movimento “Sobreviver a Pão e Água” terminaram esta quinta-feira a greve de fome que durava há quase uma semana, em frente à Assembleia da República, disse à agência Lusa o porta-voz, José Gouveia.

A decisão, tomada em grupo depois José Gouveia e Ljubomir Stanisic regressarem ao acampamento instalado em frente ao Parlamento, foi possível depois da “garantia” de que vai haver “uma reunião “de amanhã [sexta-feira] a oito” dias, para debater se as medidas encontradas durante o encontro com o autarca de Lisboa, Fernando Medina, “são exequíveis e vão ser postas em prática”, explicitou o porta-voz deste movimento.

José Gouveia disse ainda que não está previsto que o ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, participe na reunião da próxima semana, uma das reivindicações que motivou a greve de fome.

O porta-voz do movimento e o chef Ljubomir Stanisic reuniram ao final da tarde desta quinta-feira com o autarca da capital, nos Paços do Concelho.

Duas horas depois saiu a intenção de terminar a greve de fome que decorria há uma semana, mas a decisão estava pendente da aprovação de todo o grupo – oito homens e uma mulher.

“É nossa vontade que ela [a greve de fome] termine, posso dizer, mas só em grupo é que a gente pode decidir”, disse o porta-voz deste movimento quando saiu da reunião com Medina.

Um grupo de empresários estava a fazer greve de fome há quase uma semana, em frente à Assembleia da República. Os elementos deste movimento reivindicavam uma reunião com o primeiro-ministro, António Costa, ou com o ministro da Economia.

Em declarações aos jornalistas à saída da reunião com o presidente da Câmara de Lisboa, Ljubomir Stanisic adiantou que está prevista uma nova reunião com Fernando Medina para a próxima semana.

“Discutimos várias ideias, várias possibilidades, e ficou acordado que dentro de sete dias, oito dias, na próxima semana, teremos um novo encontro, porque em muitas medidas que foram discutidas em conjunto o próprio Fernando Medina estava de acordo com uma parte delas. A outra parte sabemos os três que, praticamente, é impossível chegar a soluções para todos, por isso, aguardamos a próxima reunião”, explicitou Ljubomir Stanisic.

O chef foi hospitalizado ao início da noite de ontem, mas acabou por abandonar o Hospital de Santa Maria, em Lisboa, depois de assinar um termo de responsabilidade, e regressou ao acampamento que está montado em frente ao parlamento.

Ljubomir acrescentou que vê o avanço feito na reunião desta quinta-feira “como muito positivo” e que o presidente da autarquia tinha conversado com o ministro da Economia “a marcar a reunião para estas soluções”.

O manifestante disse ainda que a Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) “devia ter estado aqui com este papel e trazido soluções”.

Já o autarca de Lisboa disse que a reunião teve como propósito “tentar encontrar pistas, saídas, propostas, canais” para permitir a “resolução de uma situação que é muito delicada para toda a gente”, sem adiantar que medidas foram discutidas.

Fernando Medina frisou que “não há nenhuma guerra de quem vence e quem perde”. Aliás, Ljubomir Stanisic, que ladeava o presidente da Câmara de Lisboa enquanto o autarca falava os jornalistas, também rejeitou essa ideia.

Questionado sobre se concorda com a decisão do Governo de não aceder às reivindicações de reuniões destes manifestantes, o edil de Lisboa, disse que compreende “as razões do Governo”, que tem um “diálogo institucional com os representantes institucionais do setor”.

Malheiro quer representar empresários de Ovar

De acordo com o semanário Expresso, o presidente da Câmara Municipal de Ovar, Salvador Malheiro, acompanhado de elementos do executivo municipal, reuniu-se esta quinta-feira com algumas dezenas de empresários da restauração e similares.

A reunião serviu para ouvir as dificuldades destes empresários, apresentar as medidas que a autarquia já tem em curso e outras delineadas para apoiar o comércio tradicional, as empresas e as famílias.

Salvador Malheiro frisou que “a Câmara sempre foi e sempre será um parceiro ativo” dos comerciantes e dos empresários locais.

“Temos consciência que uma autarquia com a nossa dimensão não pode fazer tudo o que desejaria, mas vamos seguramente fazer o que nos é possível. Infelizmente estamos limitados a agir dentro das nossas competências, mas estou disponível para ser o porta-voz dos empresários de Ovar junto do Governo, nomeadamente junto do Ministério da Economia”, disse o autarca.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Quatro anos depois, Danny recuperou a sua prancha. Estava a 2700 quilómetros

Um surfista australiano recuperou a sua prancha quatro anos depois de a ter perdido. Estava a 2700 quilómetros do sítio onde a tinha visto pela última vez. Danny Griffiths, um surfista habituado a ondas grandes, perdeu …

Os astronautas precisam de um frigorífico. Engenheiros trabalham num que funciona de "cabeça para baixo"

Para que os astronautas façam longas missões à Lua ou a Marte, precisam de um frigorífico, mas estes eletrodomésticos não são projetados para funcionar em gravidade zero. Os astronautas precisam de frigoríficos para as missões prolongadas …

A maior "cidade-fantasma" da China voltou a florescer (graças à educação)

Kangbashi, na Mongólia Interior, é considerada há muitos anos a maior "cidade-fantasma" da China. Agora, tem muito a agradecer a uma jogada inesperada, mas muito eficaz: o setor da Educação. Há alguns anos que Kangbashi, uma …

Carro da Tesla ajuda o FBI a capturar homem suspeito de atear fogo em igreja

As câmaras de um Tesla ajudaram as autoridades a prender um homem suspeito de atear fogo numa igreja na cidade de Springfield, no estado de Massachusetts. A congregação foi atacada mais de uma vez em …

Destemida e aventureira. Com apenas 18 anos, Simone Segouin ajudou a França a derrotar os nazis

Quando tinha apenas 18 anos, Simone Segouin juntou-se à Resistência Francesa para capturar as tropas nazis, sabotar os planos alemães e lutar contra o fascismo no seu país. Apesar de ter abandonado a escola bastante cedo, …

Orgulho e ciúmes. Corrida armamentista entre Coreias coloca ambiente de paz em risco

A relação entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul é conhecida por ser bastante conturbada, sendo que nos últimos anos já ocorreram alguns incidentes entre os países. Agora, as duas nações peninsulares …

"Estória mal contada": a saída de João Marques do Famalicão

Perto do final do campeonato feminino de futebol, o treinador das candidatas ao título abandona o emblema minhoto. Provavelmente porque vai liderar outra equipa minhota. Adeptos não gostaram. A Liga BPI, a primeira divisão nacional feminina …

Livre cede lugares à IL e ao Volt. Vasco Lourenço fala em "chicana política"

O Livre cedeu, esta quarta-feira, quatro lugares da sua comitiva no desfile que assinala o 25 de Abril à Iniciativa Liberal e ao Volt Portugal, depois da comissão promotora os ter informado de que não …

Pena de morte diminuiu. Execuções globais atingem o número mais baixo numa década

Globalmente, foram executadas 483 pessoas em 2020, o número mais baixo registado pela Amnistia Internacional (AI) numa década, marcando uma redução de 26% em relação a 2019 e 70% comparativamente a 2015. Segundo um artigo da …

Putin avisa que quem ameaçar a Rússia "se irá arrepender como nunca"

O presidente Vladimir Putin emitiu um alerta durante o seu discurso anual ao Governo. O líder frisou que qualquer membro da comunidade internacional que ameace a Rússia "se irá arrepender como nunca se arrependeu antes". O …