Mais de metade dos portugueses acredita que os fundos europeus vão ser mal geridos

Rodrigo Antunes / Lusa

O primeiro-ministro, António Costa

Mais de metade dos portugueses (60,6%) acredita que os fundos europeus que Portugal vai receber para fazer face à pandemia vão ser mal geridos, revela uma sondagem da Intercampus para o Jornal de Negócios e para o Correio da Manhã.

Em causa estão os 58 mil milhões de euros que Portugal vai receber em fundos europeus nos últimos dez anos, valor que obriga a uma execução de seis mil milhões de euros por ano, o dobro da média dos últimos anos, tal como frisa o Negócios.

Apenas metade dos inquiridos acredita que estas verbas poderão beneficiar muito a economia portuguesa, havendo outros 42,2% que esperam que os apoios não impliquem grandes ganhos para o país e para a sua economia.

De acordo com a mesma sondagem, 60,6% diz não acreditar que o dinheiro venha a ser bem gerido, com apenas 27% a acreditar numa boa gestão deste financiamento europeu.

O ceticismo dos portugueses face à aplicação destes fundos esbarra com a mensagem de confiança e tranquilidade que o Governo tem tentado passar.

Esta segunda-feira, a  ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, garantiu que “há dois países com contrato de confiança com a Comissão Europeia na gestão de fundos e Portugal é um desses países. Isso significa que o erro na gestão dos fundos é baixíssimo”.

Há duas semanas, foi a vez do ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, afirmar que a a capacidade de Portugal para executar fundos comunitários “é reconhecida por todos” em Bruxelas.

ZAP //

PARTILHAR

12 COMENTÁRIOS

    • Até porque apenas 12% dos portugueses confiam no primeiro-ministro, segundo notícia ainda ontem aqui veiculada.
      Acho que vai ser tudo feito à moda da galambada do lítio matoso fernandino.

    • Infelizmente. Mas mesmo assim vem com cara de aldrabão dizer que daqui a 6 anos tem de dar conta destes dinheiros. Deus nos acuda se daqui a 6 anos esta aventesma ainda estiver à frente do governo do País.

    • Tem razão Sr. Manuel. Sabendo que as únicas “Armas”, que a Democracia me concede, são o meu direito de protestar, de me expressar por escrito, de manifestar e de votar, são como balas de pólvora molhada. Mas tem razão vamos fazendo, levantamos muitas “lebres” mas deixamos-as a solta, cartuchos molhados também não funcionam !….bem haja !

  1. Onde se lê “Há duas semanas, foi a vez do ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, afirmar que a a capacidade de Portugal para executar fundos comunitários “é reconhecida por todos” em Bruxelas.”.

    deve ler se

    “Há duas semanas, foi a vez do ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, afirmar que a a capacidade de Portugal para ESBANJAR fundos comunitários COM MAFIOSOS E CORRUPTOS “é reconhecida por todos” em Bruxelas.

  2. Os 27% que acreditam, que leiam a notícia: “Bancos estão a pedir a contabilistas para fazerem um jeitinho e falsificarem declarações”. A banca no seu melhor! Denúncia da própria bastonária dos contabilistas!

      • Sem dúvida, uma pouca vergonha, não há decência! Verdadeiramente inacreditável, eu não tenho ilusões quanto aos fundos europeus, infelizmente já não acredito que serão bem aplicados, oxalá esteja errado…

Responder a ze Cancelar resposta

Concorrência condena MEO a pagar 84 milhões por combinar preços com a NOWO

A Autoridade da Concorrência (AdC) aplicou uma coima de 84 milhões de euros à MEO por combinar preços e repartir mercados com a operadora NOWO nos serviços de comunicações móveis e fixas. “A Autoridade da Concorrência …

PEV quer reverter privatização dos CTT. PS admite todos os cenários

O Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV) defendeu hoje, no parlamento, a “reversão da nacionalização” dos CTT, e ouviu o PS admitir “todos os cenários”. Numa declaração política no parlamento, o deputado José Luís Ferreira afirmou que, …

Voltar à normalidade "não está longe, mas não é já", avisa Pfizer

O administrador executivo da Pfizer, Albert Bourla, apelou na quarta-feira para que os governos de todo o mundo não reabram as suas economias demasiado depressa devido ao otimismo gerado pelas vacinas de covid-19. Bourla, de 59 …

Biden quer retomar acordo nuclear com o Irão, embora reconheça que será "difícil"

O vencedor das eleições presidenciais norte-americanas, Joe Biden, pretende retomar o acordo nuclear com Irão antes mesmo de novas negociações, assumiu o democrata numa entrevista ao New York Times. Joe Biden afirmou, durante a campanha eleitoral, …

Processo de reprivaticação da Efacec atrasado devido à discussão do OE2021

Apesar de as avaliações no âmbito do processo de nacionalização e futura reprivatização da Efacec já estarem concluídas, o processo esteve condicionado pela discussão do Orçamento de Estado para 2021 (OE2021). De acordo com o Jornal …

Costa sobre vacinação: “Há uma luz ao fundo do túnel, mas o túnel é muito comprido e penoso”

O primeiro-ministro, António Costa, advertiu esta quinta-feira que o processo de vacinação terá imponderabilidades externas a Portugal, sendo também complexo ao nível interno, com as dificuldades a aumentarem quanto maior for o universo de cidadãos …

Alterações climáticas podem colapsar os sistemas de saúde, alertam especialistas

O quinto relatório anual da Lancet sobre saúde e clima revelou que todos os países enfrentam ameaças à saúde humana, "que se multiplicam e se intensificam" à medida que as alterações climáticas originam novas pandemias …

Obama, Bush e Clinton vão vacinar-se publicamente para encorajar os norte-americanos

Os ex-presidentes dos EUA Barack Obama, George W. Bush e Bill Clinton disseram que estão prontos para serem vacinados publicamente contra a covid-19, a fim de encorajar os seus concidadãos a fazer o mesmo. Obama disse …

Retenção na fonte mensal reduzida em cerca de 2%. Salários terão um "ligeiro aumento"

As retenções na fonte em 2021 sobre salários de trabalho dependente vão reduzir-se em cerca de 2% face às praticadas este ano e irão permitir um “ligeiro aumento” do rendimento líquido mensal, segundo simulações da …

Em março já deverá haver imunização “suficientemente grande” da população

O epidemiologista Manuel do Carmo Gomes defendeu esta quinta-feira que “se tudo correr normalmente” com a vacinação contra a covid-19, no final de março haverá uma imunização “suficientemente grande” na população para evitar “grandes aumentos …