Costa pediu a Marcelo que incluísse confinamentos compulsivos no novo estado de emergência

Manuel de Almeida / Lusa

O confinamento compulsivo vai estar previsto no decreto de estado de emergência que vai entrar em vigor esta terça-feira. O pedido foi feito pelo primeiro-ministro António Costa ao Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa.

De acordo com o jornal Público, o primeiro-ministro António Costa terá pedido a Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, para incluir no decreto de estado de emergência uma referência explícita à possibilidade de fazer confinamento compulsivo de uma pessoa sem necessitar de uma decisão de um juiz.

Segundo o matutino, Marcelo terá acedido ao pedido de Cpsta e incluiu na declaração de estado de emergência uma indicação expressa de que as autoridades de saúde têm poder para ordenar a alguém que seja isolado com base num teste positivo à covid-19.

Quando o Presidente fez os três primeiros estados de emergência, havia uma indicação expressa à possibilidade de confinamentos compulsivos, mas não estava claro no decreto de 5 de novembro em que se voltou a declarar o estado de emergência.

Agora, porém, no decreto de 19 de novembro, prevê-se, “na medida do estritamente necessário e de forma proporcional, o confinamento compulsivo em estabelecimento de saúde, no domicílio ou, não sendo aí possível, noutro local definido pelas autoridades competentes, de pessoas portadoras do vírus SARS-CoV-2, ou em vigilância ativa”.

Esta é uma questão delicada, uma vez que se trata de uma privação da liberdade que, em circunstâncias normais, só pode ser decidida por um juiz.

Isto tornou-se um problema mais premente quando foi conhecido um acórdão do Tribunal da Relação de Lisboa onde se dizia que uma autoridade de saúde não tem legitimidade legal para determinar o isolamento de ninguém.

O caso foi gerado por um pedido de habeas corpus de quatro turistas alemães que foram obrigados a ficar 20 dias em quarentena e isolamento, em hotéis dos Açores, no verão. O tribunal de Ponta Delgada deu razão aos alemães, considerando que a privação de liberdade foi ilegal porque não havia estado de emergência nem foi uma decisão tomada por um juiz.

Em agosto, o Tribunal Constitucional equiparou as quarentenas obrigatórias determinadas pelo Governo Regional dos Açores a prisões ilegais, considerando-as inconstitucionais.

O novo estado de emergência entra em vigor a partir de terça-feira. O primeiro-ministro anunciou que o país será dividido em quatro zonas de risco e haverá recolher obrigatório e restrições à circulação entre concelhos. Nas vésperas de feriados, as escolas serão fechadas e haverá tolerância de ponto.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Como já todos percebemos o estado de emergência e o confinamento servem para fins económicos. Para se tratar de qualquer vírus que seja é com medidas dirigidas à saúde e aos grupos de risco.

  2. em nome do vírus, uma a uma, vão-se as nossas liberdades, o nosso tecido social, a nossa economia. Espero que não seja tarde demais quando percebermos o que fizemos, se quisermos voltar atrás.

  3. Aí está a tendência ditatorial de Costa e Marcelo. Os mesmos que, vergonhosamente, aceitaram o insulto dos descontentes da restauração.
    Verdadeira democracia em Portugal é “Conversa da Treta”.

RESPONDER

Banco Montepio passa de lucros a prejuízos de 15,9 milhões no primeiro trimestre

O Banco Montepio registou prejuízos de 15,9 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano em comparação com lucros de 5,4 milhões no mesmo período do ano passado, foi divulgado esta sexta-feira ao mercado. De acordo …

Aviso da PSP a negar festejos em Alvalade andou “perdido” na CML. Medina sacode responsabilidades

O Sindicato dos Oficiais da PSP garante que município foi “redundantemente alertado” para entendimento de que devia ser recusada colocação de ecrãs gigantes junto a Alvalade. Contudo, a autarquia diz não ter informado os promotores …

Metrópole no Camboja medieval. Estudo mostra quantas pessoas viveram no Império de Angkor

Um novo estudo arqueológico mostra quantas pessoas viveram no antigo Império de Angkor ao longo do tempo. A população era comparável à da Roma antiga. Quão grandes eram as antigas cidades? No seu auge, há cerca …

Prazo para limpar terrenos termina hoje. Proprietários voltam a arriscar coimas

O prazo para a limpeza de terrenos florestais termina hoje, após ter sido prorrogado devido à pandemia e às condições climatéricas, pelo que os proprietários em incumprimento ficam sujeitos a contraordenações, com coimas entre 280 …

Entre indiretas a Rui Moreira e farpas a Costa, Rio acusa PS de ter desistido de ganhar o Porto

O Presidente do PSD participou na apresentação da candidatura de Vladimiro Feliz, que considera "competente" e "trabalhador" à Câmara do Porto. Por outro lado, Rio usou a ocasião para acusar o PS de ir a …

Cientistas descobrem o segredo das pessoas que vivem mais de 105 anos

Uma equipa de investigadores descobriu que os idosos que vivem mais de 105 anos tendem a possuir uma base genética única que torna os seus corpos mais eficazes na reparação de ADN. Esta é a primeira …

Quem já teve covid-19 pode agendar vacina em junho. No verão, vacinados podem vir a deixar máscara

Os doentes recuperados há mais de seis meses de infeção por SARS-CoV-2 vão poder marcar a sua vacinação através do portal de auto-agendamento a partir da primeira semana de junho, confirmou fonte da task force …

Governo aprova 11 milhões de euros para SIRESP de indemnização compensatória

A indemnização compensatória foi aprovada no dia em que o Presidente da República promulgou o decreto-lei que define o modelo transitório de gestão, operação, manutenção, modernização e ampliação da rede de comunicações do Estado SIRESP. O …

Tal como os humanos, há animais que podem sofrer ataques cardíacos (mas é raro)

Todos os dias milhões de pessoas no mundo são vítimas de ataques cardíacos. Mas será possível que também os animais possam passar por isto? Um ataque cardíaco ocorre quando um vaso sanguíneo que distribui sangue oxigenado …

Antigos corais revelam terramoto em "câmara lenta". Durou 32 anos

Uma equipa de investigadores descobriu um terramoto em "câmara lenta" que durou 32 anos - o mais lento já registado. O sismo levou eventualmente ao catastrófico terramoto de Sumatra em 1861. Terramotos de "câmara lenta" ou …