Ivan, o (não tão) Terrível. Aliado de Putin reescreve história para reabilitar reputação do 1.º czar

Segundo um alto funcionário russo, Ivã, o Terrível não era terrível e a sua reputação de tirano cruel é o resultado de uma campanha de difamação realizada pelo Ocidente no século XVI.

Nikolai Patrushev, o poderoso chefe do conselho de segurança do país e um dos aliados mais próximos do presidente Putin, disse que o primeiro czar da Rússia, que morreu em 1584, foi alvo de “cronistas ocidentais” durante a sua vida, que falsamente o retrataram como um governante sádico.

Segundo Patrushev, de 69 anos, ouvido pelo jornal Argumenty I Fakti e citado pelo jornal britânico The Times, o objetivo era “desviar a atenção dos europeus” da perseguição religiosa, como a Inquisição espanhola, a caça às bruxas e as violações “monstruosas” dos direitos humanos que acompanharam a colonização.



“[Os europeus] não gostaram do facto de o czar russo não reconhecer a sua liderança política e moral”, disse Patrushev, acrescentando ainda que a suposta campanha de difamação contra o czar foi um dos primeiros exemplos de “russofobia” e comparando-a ao que alegou ser uma crítica injusta ao moderno Kremlin por parte dos países ocidentais.

“Continuam a retratar o nosso país como a principal ameaça à liberdade e à tolerância”.

Ivã, o Terrível governou a Rússia durante 37 anos e é conhecido pelo massacre de Novgorod, quando milhares de pessoas foram queimadas vivas ou afogadas pela sua polícia secreta, a oprichniki.

O czar também matou o seu próprio filho, provavelmente durante um ataque de raiva.

Vladimir Medinsky, historiador e ex-ministro da cultura, argumentou que Ivã deve ser julgado pelos padrões da sua época e que merece respeito como fundador da Rússia moderna.

Os comentários de Patrushev são o mais recente movimento numa tentativa apoiada pelo Governo de reabilitar a reputação do czar.

Os críticos apontam que não havia um conceito da Europa como bloco político no século XVI. Já Gleb Pavlovsky, um ex-conselheiro do Kremlin, desdenha a ideia de ouvir “as opiniões dos oficiais de inteligência sobre história e cultura”.

A Rússia de Putin foi acusada de rever a história para se adequar a uma agenda nacionalista apoiada pelo Kremlin, incluindo a minimização dos expurgos de Estaline.

Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Ministra da Saúde afasta limitação de visitas. Mas Associação de lares defende regresso da proibição

A ministra da Saúde, Marta Temido, afirmou esta terça-feira que não há necessidade de voltar a limitar as visitas a lares de idosos, advogando que as pessoas vacinadas contagiadas com o novo coronavírus desenvolvem “uma …

Tripulantes da TAP queixam-se de "extrema violência psicológica" e escrevem carta ao ministro

Um grupo de tripulantes de cabine da TAP escreveu uma carta a Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas, na qual dizem temer que o processo de despedimento coletivo avance em julho e que já saíram …

Marcelo considera que legislativas de 2023 devem servir para julgar uso dos fundos europeus

O Presidente da República defendeu esta terça-feira que Portugal tem de dar "o salto" com os fundos europeus e considerou que as eleições legislativas de 2023 devem servir para os portugueses julgarem a sua utilização. "Cabe …

Portugal regista mais 1.020 casos e seis mortes. Internamentos continuam a aumentar

Portugal registou esta terça-feira 1.020 novos casos de infeção por covid-19 e mais seis mortes, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde. De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), nas …

"Toma a vacina ou ponho-te na prisão". Presidente das Filipinas ameaça prender quem recusar ser imunizado

O Presidente das Filipinas ameaçou prender quem se recusar a tomar a vacina contra a covid-19, numa altura em que o país combate o pior surto da doença desde o início da pandemia. "Se não se …

Preços das casas continuam a subir. Centeno alerta para riscos de bolha imobiliária

Os preços das casas voltaram a registar um aumento em relação ao mês passado e não subiam tanto há mais de dois anos. Uma situação que leva o Banco de Portugal a alertar para os …

Itália segue os passos de França e Espanha e abandona o uso de máscara na rua

A Itália vai suspender a obrigatoriedade do uso de máscaras ao ar livre a partir do próximo dia 28 de junho, revelou o governo na segunda-feira. Depois de ter sido considerado o epicentro da pandemia, Itália …

União Europeia endurece sanções contra a Bielorrússia

A União Europeia, os Estados Unidos, o Reino Unido e o Canadá decidiram, esta segunda-feira, punir dezenas de personalidades e empresas ligadas ao regime bielorrusso. No final de uma reunião, no Luxemburgo, os 27 Estados-membros da …

Casimiro quer 30 milhões pela Groundforce. 10 milhões são para a banca

Alfredo Casimiro está a tentar vender a sua parte na Groundforce por 25 a 30 milhões de euros. Contudo, o acionista não deverá ficar com o montante pago já que tem pagamentos em atraso a …

Meio milhão de mortes depois, Brasil pede (em força) demissão de Bolsonaro

No sábado, o número de óbitos por covid-19 ultrapassou o meio milhão no Brasil. Centenas de milhares de manifestantes encheram as ruas de mais de 400 cidades brasileiras e do mundo, acusando o Presidente Jair …