Irão admite ter abatido avião ucraniano por engano

Abedin Taherkenareh / EPA

Este sábado, o Irão admitiu que o avião ucraniano que se despenhou na quarta-feira em Teerão, matando todas as 176 pessoas a bordo, foi abatido inadvertidamente por militares iranianos.

A declaração, difundida pela televisão estatal iraniana, atribuiu o derrube do aparelho a um erro. Até aqui, o Irão tinha negado que um míssil fosse responsável pelo acidente, mas os Estados Unidos e o Canadá afirmaram, citando informações dos respetivos serviços de segurança, que o acidente foi causado por um míssil iraniano.

O Presidente do Irão já afirmou que o país “lamentava profundamente” ter abatido um avião civil ucraniano, sublinhando tratar-se de “uma grande tragédia e um erro imperdoável”. “O inquérito interno das forças armadas concluiu que lamentavelmente mísseis lançados por engano provocaram a queda do avião ucraniano e a morte de 176 inocentes”, admitiu Hassan Rohani, no Twitter.

“As investigações continuam para identificar e levar à justiça” os responsáveis, acrescentou.

Também o ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano apresentou “as desculpas” do país pela catástrofe do Boeing 737 da companhia Ukrainian Airlines, depois de as forças armadas terem igualmente reconhecido que o avião foi abatido por erro.

“Dia triste”, escreveu Mohammmad Javad Zarif no Twitter. Um “erro humano em tempos de crise causada pelo aventureirismo norte-americano levaram ao desastre”, acrescentou. “O nosso profundo arrependimento, desculpa e condolências ao nosso povo, às famílias das vítimas e às outras nações afetadas” pelo drama, disse o ministro.

O Estado-maior das forças armadas do Irão garantiu à população do país que “o responsável” pela tragédia do Boeing ucraniano abatido na quinta-feira nos arredores de Teerão, vai ser imediatamente apresentado à justiça militar.

“Garantimos que ao realizar reformas fundamentais nos processos operacionais ao nível das forças armadas, vamos tornar impossível a repetição de tais erros”, acrescentou, em comunicado.

Entretanto, avança o Observador, o Presidente da Ucrânia também já reagiu através do Twitter. Volodymyr Zelenski pede ao Irão que lhes sejam devolvidos os corpos, que lhes pague uma compensação e que faça um pedido oficial de desculpas.

O avião, um Boeing 737 da companhia aérea Ukrainian International Airlines, descolou de Teerão, com destino a Kiev, despenhando-se dois minutos após a descolagem nos arredores da capital iraniana.

O acidente ocorreu horas depois do lançamento de 22 mísseis iranianos contra duas bases da coligação internacional liderada pelos Estados Unidos, em Ain Assad e Erbil, no Iraque, numa operação de vingança pela morte do general iraniano Qassem Soleimani.

O aparelho, com destino a Kiev, transportava 167 passageiros e nove tripulantes de várias nacionalidades, incluindo 82 iranianos, 11 ucranianos, dez suecos, quatro afegãos, três alemães e três britânicos.

Na sexta-feira, o ministro dos Negócios Estrangeiros canadiano reviu em baixa que o número de vítimas do país, que passou de 63 para 57, após uma “análise aos documentos de viagem das vítimas”. No entanto, o número total de passageiros que tinham como destino final o Canadá mantém-se em 138, disse François-Philippe Champagne.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

      • Por acaso é ao contrário. Como se viu há um par de anos, quando os EUA bombardearam um hospital dos MSF na Síria por engano, houve dúzias de notícias, os militares americanos reconheceram o engano, houve inquéritos, generais a assumir responsabilidades. Passado uns meses outro hospital dos mesmos MSF foi destruído. “Parece que foi” um bombardeamento russo. E nunca mais se ouviu falar do assunto.
        O famoso caso das armas de destruição massiva no Iraque é outro exemplo do “é ao contrário” do que os esquerdopatas tentam fazer passar. Os americanos entraram no Iraque para destruir as ADM. Passarm 6 meses a vasculhar o terreno, e não as encontraram, e o Rumsfeld teve que vir dizer “oops, parece que não há ADM”.
        São uns anjinhos porque se fossem os russos a andar por lá, tinham aparecido as ADM de certeza, de uma forma ou de outra. Mas essa é a diferença entre as democracias imperfeitas, com todos os seus pecados, e as neo-ditaduras que a esquerdalha tenta lavar e fazer-nos engolir como primorados da civilização.

        • está a esquecer-se da era de bill pedófilo clinton qd uma vez mais atacou deliberadamente um hospital na Sérvia.

          o seu problema é não perceber que não há nem bons nem maus, os Estados e quem neles mexe todos e mais alguns cordelinhos é que são os verdadeiros criminosos.

          mas por terem o cérebro tão lavado pelos MSM o pessoal do ocidente continua a pregar o exceptionalismo dos States/EU, qd fazem igual ou pior que os outros.

  1. Erro coisa nenhuma. Até um garoto sabe diferenciar uma aeronave civil de uma militar. O que esses islâmicos estavam fazendo era testar o alcance de seus mísseis em um alvo em movimento. Se tivessem iranianos a bordo virariam mártires.

  2. Negaram desde o inicio, tentaram não entregar as caixas negras, mas perante as provas tiveram de admitir. Um regime terrorista que tem tentáculos por todo o médio oriente. era tempo de acabar, mas todos sabemos que isso tem custos, quer económicos quer em vidas, por isso ainda assistimos à existencia de regimes deste tipo na Coreia do Norte, na Venezuela, etc. Claro que os Russos apoiam e uns idiotas nos paises democráticos que defendem a democracia onde vivem e regimes assim para os outros, em Portugal infelizmente também os temos, até no parlamento.

  3. Por engano, ou por incompetência e puro fanatismo religioso? Imagine-se uma arma nuclear nas mãos de gente desta espécie! O Médio Oriente é um mundo à parte em que só se lá deve ir buscar o petróleo que eles tanto necessitam vender para sobreviver e sabê-los manter bem à distância, mas infelizmente os políticos recusam-se a ver a realidade.

    • imagine-se uma arma nuclear nas mãos dos States…único país que a usou por duas vezes sem qualquer necessidade como n documentos demonstram .

      • Como assim “imagine-se”?? És burra ou achas que somos todos?
        Não é preciso “imaginar” armas nucleares nas mãos dos states. Eles têm o maior arsenal nuclear do mundo há 70 anos, e não andam propriamente a lançar bombas nucleares todos os dias.
        Quando às duas que lançaram, há 70 anos, “sem necessidade”.
        Mas qual “sem necessidade”?
        Havia uma guerra mundial a decorrer com um país sanguinário, o Japão, que andou a chacinar chineses, indonésios e afins, e que atacou os EUA à traição, chamando-os a uma guerra que estava a passar-lhes ao lado. Em 1945, com a guerra já perdida, o Japão ainda estava a matar e torturar gente. Rejeitaram vários ultimatos dos EUA para se renderem.
        Sabes porque foram lançadas duas bombas? Uma no dia 6 e outra no dia 9?
        Porque mesmo após a primeira bomba cair, a 6 de agosto, o Japão recusou render-se e acabar com a Guerra.
        Os japoneses só se renderam 3 dias depois de Hiroshima, a 9 de agosto, depois de ter caído a segunda bomba, em Nagasaki. Eu diria, usando a técnica iraniana de culpabilizar os outros pelos nossa atos, que os americanos lançaram uma bomba, e o Hirohito pediu-lhes a segunda.

        • mais um que esquece pormenores da história para fazer o habitual frete excepcionalista.

          meu caro o Japão entrou na guerra pq os cromos dos EUA os forçaram a isso devido ao bloqueio que lhes impuseram.
          depois cometeram as mesmas atrocidades que os outros países, ou acha que os ataques dos aliados em que destruiram completamente à bomba cidades em que os alvos eram civis qd o regime NAZI já estava destruído.

          tem aqui exemplos https://en.wikipedia.org/wiki/Allied_war_crimes_during_World_War_II

          qto ao Japão ter atacado Pearl Harbour, bom você anda um bocado atrasado na história é que hoje sabe-se que os EUA sabiam perfeitamente que ia existir um ataque e até retiraram parte dos navios importantes da zona, ou seja, deixaram morrer deliberadamente americanos por forma a convencer o resto do povinho em casa que era necessário os EUA entrarem na guerra.

          • Ui… o Japão entrou na guerra porque foi “forçado” pelos EUA??!
            Bem… espero que estejas a brincar…
            E qual é a desculpa para terem feito o que fizeram aos países vizinhos e terem invadido tudo o que conseguiram, incluindo Timor – onde mataram portugueses??
            Toda a gente informada (incluindo os japoneses!) sabe muito bem o eles que fizeram e porque levaram com duas “castanhas” atómicas em cima!!
            Não é por os EUA, depois da II GM, terem começado a fazer mer@a um pouco por todo lado (incluindo no Irão!), que agora até são culpados pelo que os loucos japoneses fizeram!!
            Convém ter o minimo de honestidade intelectual!…
            Senão daqui a pouco está tudo baralhado e a fazer como o sádico Putin, que agora até tem a lata de dizer publicamente que a culpa da invasão da Polónia é da própria Polónia!!

Manchester United faz oferta de 15 milhões por Alex Telles

O Manchester United fez uma primeira oferta pelo lateral-esquerdo brasileiro que ronda os 15 milhões de euros. De acordo com o jornal The Guardian, o Manchester United fez uma oferta a rondar os 15 milhões de …

Os persas "inventaram" o aço inoxidável há mil anos

Uma série de descobertas arqueológicas sugerem que os metalúrgicos persas fizeram uma liga de ferro e crómio - que pode ser considerada o precursor do aço inoxidável moderno - já no segundo milénio. A descoberta, …

Catarina Martins acusa PS de acenar com crise política quando negociações são "mais incómodas"

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, apontou, na segunda-feira, que “há quem tenha vontade de ter uma crise política”, e que o PS habitualmente utiliza este argumento quando “as negociações são mais …

Diogo Jota marca na reviravolta do Liverpool sobre o Arsenal

O avançado estreou-se, esta segunda-feira, na Premier League pelo Liverpool, marcando o terceiro golo do campeão inglês, na reviravolta sobre o Arsenal (3-1). Diogo Jota, avançado luso contratado ao Wolverhampton, e que tinha jogado pelos reds …

"Absolutamente insano". Ao lado de von der Leyen, Costa rejeita crise política e pede “noção de emergência”

O primeiro-ministro afirmou esta segunda-feira que seria “absolutamente insano” se Portugal entrasse em crise política na atual conjuntura internacional e adiantou que as negociações do Orçamento com os parceiros de esquerda registam “avanços positivos“. Esta posição …

"Rotas Cruzadas 2". PSP detém 3 pessoas em megaoperação contra o tráfico de droga

A Polícia de Segurança Pública (PSP) está a levar a cabo, na manhã desta terça-feira, uma megaoperação de combate ao tráfico de droga - "Rotas Cruzadas 2" - nos concelhos de Lisboa, Sintra, Leiria, Batalha …

Quantos ovos pode consumir por semana sem prejudicar o coração? Os cientistas já têm um número

Uma equipa internacional de cientistas concluiu que o consumo de quatro ovos por semana não compromete a saúde do coração da população em geral. A investigação, cujos resultados foram esta semana publicados na revista European Journal …

“Mal vai o país” se líder da oposição e primeiro-ministro não conseguirem dialogar

O presidente do PSD, Rui Rio, considerou que "mal vai o país" se o líder da oposição e o primeiro-ministro deixarem degradar de tal forma a sua relação pessoal e política que quebrem todas as …

TAP agrava prejuízo para 582 milhões no 1.º semestre à boleia da pandemia

A TAP S.A. registou 582 milhões de euros de prejuízo no primeiro semestre, valor que compara com um resultado líquido negativo de 112 milhões apurado em igual período de 2019, comunicou hoje a companhia aérea …

Um milhão de mortes por covid-19. Guterres diz que mundo tem de aprender com os erros

O secretário-geral das Nações Unidas lamentou o "arrepiante" número de mortos provocados pela covid-19, que já ultrapassou um milhão em todo o mundo, e exortou a sociedade a aprender com os erros para superar a …