Dezenas de mísseis iranianos lançados contra bases dos EUA no Iraque

Google Maps

Imagem de satélite da base aérea de Ain Assad, no Iraque

Dezenas de mísseis iranianos foram lançados contra as bases aéreas iraquiana de Ain Assad e Erbil, que albergam tropas norte-americanas, anunciou esta quarta-feira a televisão estatal do Irão.

A estação descreveu esta ação, com mísseis terra-terra e desencadeada na madrugada de quarta-feira, como uma operação de vingança na sequência da morte do general iraniano Qassem Soleimani.

As forças militares dos Estados Unidos não comentaram imediatamente a informação, mas o Pentágono confirmou entretanto que foram atacadas duas bases norte-americanas no Iraque. O primeiro ataque foi lançado contra a base aérea de Ain Assad, e o segundo contra a base aérea de Erbil, no Curdistão iraquiano.

Também o Departamento de Defesa confirmou os ataques. “Estamos a par dos relatos de ataques a instalações dos EUA no Iraque”, afirmou Stephanie Grisham, do departamento de imprensa da Casa Branca, citada pela Bloomberg. “O Presidente Trump já foi informado e está a acompanhar a situação de perto com a equipa de segurança nacional”.

Até à hora desta edição não havia relato de danos ou feridos entre as tropas norte-americanas estacionadas nas duas bases aéreas. O Ministério da defesa já fez saber que não há feridos entre os militares portugueses estacionados no Iraque, após o ataque iraniano a bases militares no país.

A agência de notícias iraniana Fars News divulgou entretanto um vídeo que alegadamente mostra o lançamento de foguetes iranianos rumo a instalações militares dos EUA.

Segundo a agência iraniana, a ação militar de retaliação contra a morte do general do país tem o nome de “Operação Mártir Soleimani“. Aliás, os mísseis balísticos fora disparados aconteceram à mesma hora do que o ataque aéreo que assassinou Qassem Soleimani.

Donald Trump reagiu à ação no Twitter: “Está tudo bem! Foram lançados mísseis do Irão contra duas bases militares localizadas no Iraque. Está a decorrer a avaliação das vítimas e danos ocorridos até agora. Por enquanto, tudo bem! Temos, de longe, as mais poderosas e bem, equipadas forças armadas do mundo! Farei uma declaração amanhã de manhã”.

O general Soleimani, comandante da força de elite iraniana Al-Quds, morreu na sexta-feira num ataque aéreo contra o carro em que seguia, junto ao aeroporto internacional de Bagdade, capital do Iraque, ordenado pelo Presidente dos EUA, Donald Trump.

O ataque ocorreu três dias depois de um assalto inédito à embaixada norte-americana em Bagdad, que durou dois dias e apenas terminou quando Trump anunciou o envio de mais 750 soldados para o Médio Oriente.

Esta terça-feira, Trump considerou que uma retirada das tropas norte-americanas do Iraque seria o “pior” que podia acontecer a este país e salientou o perigo que representa, na sua perspetiva, o poderoso vizinho iraniano.

Previamente, o chefe do Pentágono, Mark Esper, tinha já assinalado em conferência de imprensa que a política dos Estados Unidos no Iraque não foi alterada, e reafirmado que as tropas norte-americanas não vão abandonar o país.

“A nossa política não foi alterada. Não vamos deixar o Iraque”, referiu, numa tentativa em esclarecer as mensagens contraditórias do seu Governo sobre o tema, e antes de admitir que aguarda “represálias” iranianas após o ataque norte-americano que matou o general Soleimani.

Esper assegurou ainda que o ataque contra interesses norte-americanos que Qassem Soleimani estaria a preparar quando foi morto “devia ocorrer numa questão de dias”.

O responsável pelo Departamento da Defesa tinha-se referido a esse ataque em “dias, ou em semanas”, mas quis precisar as suas declarações na conferência de imprensa. “Penso que é mais justo falar de dias, seguramente”, afirmou na altura.

No ataque que matou Soleimani morreu também o ‘número dois’ da coligação de grupos paramilitares pró-iranianos no Iraque, Abu Mehdi al-Muhandis, conhecida como Mobilização Popular (Hachd al-Chaabi), além de outras oito pessoas.

O Irão prometeu vingança e anunciou no domingo que deixará de respeitar os limites impostos pelo tratado nuclear assinado em 2015 com os cinco países com assento no Conselho de Segurança das Nações Unidas — Rússia, França, Reino Unido, China e EUA — mais a Alemanha, e que visava restringir a capacidade iraniana de desenvolvimento de armas nucleares. Os Estados Unidos abandonaram o acordo em maio de 2018.

No Iraque, o parlamento aprovou uma resolução em que pede ao Governo para rasgar o acordo com os EUA, estabelecido em 2016, no qual Washington se compromete a ajudar na luta contra o grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico e que justifica a presença de cerca de 5.200 militares norte-americanos no território iraquiano.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. A mim surpreende-me o governo americano não ter retaliado de imediato perante este ataque, dá a sensação de que afinal o Trump é um papão de barro e estas guerrilhas mais parecem arrufos de crianças.

  2. …e tempo de considerar, se houver menos medo e covardia dos líderes mundiais que, entre americanos e iranianos, quem são os terroristas !?

RESPONDER

Homem na casa dos 20 anos morre de peste no Novo México

Um homem na casa dos 20 anos morreu de peste septicémica no estado norte-americano do Novo México, anunciaram as autoridades de saúde deste estado. A vítima, cuja identidade não foi revelada publicamente, viva em Rio …

Cara do pintor italiano Rafael reconstruida para resolver mistério do seu túmulo

Uma equipa de especialistas fez uma reconstrução em 3D da cara do pintor italiano renascentista Rafael. Assim, confirmaram o seu aspeto físico e resolveram o mistério relativamente ao seu túmulo. O rosto do pintor italiano Rafael …

Novo método não-invasivo permite diagnosticar cancro cerebral sem fazer incisões

Diagnosticar tumores cerebrais pode ser difícil e muito invasivo. Agora, uma equipa de investigadores desenvolveu um método para detetar cancro no cérebro sem ser necessária qualquer incisão. Os tumores cerebrais são normalmente diagnosticados através de imagens …

A última plataforma de gelo intacta do Canadá colapsou. Criou um icebergue maior do que o Porto

A plataforma de gelo Milne, no Canadá, fragmentou-se no final do mês de julho, formando vários icebergues, dois dos quais de grandes dimensões. Cientistas ouvidos pela agência noticiosa AP referem que esta era uma plataforma especial, …

Ícones da moda de luto: a indústria fashion nunca mais será a mesma

Muitas são as áreas da economia a ser gravemente afetadas pela pandemia de covid-19. A indústria da moda não foge à tendência e já são muitos os líderes de grandes marcas a "declarar morte" à …

Covid-19: Cigarros eletrónicos aumentam riscos de infeção em cinco a sete vezes para jovens

O risco de contrair covid-19 entre adolescentes e jovens adultos que fumam cigarros eletrónicos é cinco a sete vezes superior, segundo um estudo liderado pela faculdade de Medicina da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos. O …

Apenas 10% da população escreve com a mão esquerda. Cientistas lutam para explicar porquê

Em praticamente qualquer lugar do globo, apenas 10% das pessoas são canhotas, isto é, têm maior habilidade com o lado esquerdo do corpo, especialmente com a mão, comparativamente com o lado direito. Os cientistas tentam há …

Para reavivar o turismo, esta pequena cidade está a contar com a ajuda dos "vampiros"

A pequena cidade de Forks, em Washington, nos Estados Unidos, é lar de 3.600 pessoas, cujos meios de subsistência nos últimos 15 anos foram impulsionados por uma indústria do turismo alimentada por "Crepúsculo", a série …

Tim Cook acaba de se juntar ao clube dos milionário à boleia de recorde histórico da Apple

O diretor-executivo (CEO) da Apple, Tim Cook, acaba de se juntar à lista de multimilionários do mundo, depois de a gigante tecnológica norte-americana atingir um valor de mercado histórico. De acordo com os cálculos da …

Cientistas calculam probabilidade de contágio ao viajar de comboio

Investigadores da Universidade de Southampton, no Reino Unido, calcularam a probabilidade de contrair covid-19 ao viajar numa carruagem de comboio com uma pessoa infetada. Em colaboração com a Academia Chinesa de Ciências, a Academia Chinesa de …