Estados Unidos abandonam acordo nuclear com Irão

Michael Reynolds / EPA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

O Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou hoje que os Estados Unidos abandonam o acordo nuclear assinado entre o Irão e o grupo dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU mais a Alemanha.

“Hoje anuncio que os Estados Unidos se vão retirar do acordo nuclear com o Irão. Voltaremos a impor o nível mais alto de sanções económicas“, disse Trump numa declaração à imprensa na Casa Branca.

O acordo foi concluído em julho de 2015 entre o Irão e o grupo 5+1 (os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU – EUA, Rússia, China, França e Reino Unido – e a Alemanha) e visa, em troca de um levantamento progressivo das sanções internacionais, assegurar que o Irão não desenvolve armas nucleares.

O acordo regula as atividades nucleares de Teerão, de modo a garantir sua natureza exclusivamente pacífica. Conseguido depois de 21 meses de duras negociações, o acordo foi assinado, por parte dos Estados Unidos, pelo antecessor de Trump, Barack Obama.

Entretanto, em reacção ao anúncio de Trump, o presidente iraniano, Hassan Rohani, anunciou que o Irão “vai manter-se” no acordo nuclear de 2015 após a retirada dos EUA, caso os seus interesses sejam garantidos, e tomará decisões posteriores em caso contrário.

Devemos ser pacientes para ver como os outros países reagem”, disse Rohani num discurso, numa alusão às restantes potências que assinaram o acordo nuclear, e sugerindo que pretende conversar com europeus, russos e chineses.

No domingo, Rohani tinha advertido que os EUA iriam arrepender-se “como nunca” se decidissem deixar o acordo internacional nuclear com o Irão.

“Se os Estados Unidos deixarem o acordo nuclear, logo verão que irão arrepender-se como nunca antes na história”, disse o Presidente iraniano, Hassan Rohani, num discurso em Sabzevar, no noroeste do Irão, transmitido pela televisão pública.

Na quinta-feira, o assessor de assuntos internacionais do aiatola Ali Khamenei tinha ido mais longe, advertindo que o Irão deixaria o acordo nuclear se Washington implementasse a sua ameaça.

ZAP // Lusa

 

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Viu que com a Coreia do Norte não dá para brincar às guerras, foi mexer noutro ninho de abelhas…

  2. «Voltaremos a impor o nível mais alto de sansões económicas», diz Trump. O homem continua a querer distinguir-se pelas bacoradas que defeca.
    Impor sansões económicas? Que não queira ter negócios com o Irão, está no seu direito, e ninguém tem que se meter. Mas não pode pretender que outros sigam as suas pegadas. Espero que os restantes signatários se mantenham fiéis ao Acordo que assinaram.
    Os USA pensam que são os donos do mundo, e têm agido como tal, fomentando o mal para depois dizer que o combate. A perda de influência, que vem progressivamente acontecendo, enraivece-os, tornando-os mais perigosos, pelo que, infelizmente, ninguém pode alhear-se disso.
    Por que não quererão, os USA, deixar o mundo em paz?
    Responda quem souber.

RESPONDER

Iémen. Escassez de alimentos empurra 16 milhões de pessoas para a fome, revela ONU

Pelo menos 5 milhões de pessoas no Iémen estão à beira da fome e outros 16 milhões estão "a caminhar para a fome", num país dilacerado pela guerra civil. O Programa Mundial de Alimentos (WFP, na …

Presidente da Tunísia governará por decreto, ignorando partes da constituição

O Presidente da Tunísia, Kais Saied, declarou que governará por decreto e ignorará partes da constituição, enquanto se prepara para mudar o sistema político, gerando críticas imediatas da oposição. Desde 25 de julho, dia em que …

Alemanha deixa de pagar quarentena a trabalhadores não vacinados

A Alemanha vai deixar de indemnizar trabalhadores não vacinados que forem forçados a quarentena devido ao coronavírus, por ser "injusto pedir aos contribuintes que subsidiem aqueles que se recusam a ser vacinados", disse na quarta-feira …

Governo acaba com recomendação do teletrabalho

O Conselho de Ministros decidiu acabar com a recomendação da opção pelo teletrabalho e eliminar a testagem em locais de trabalho com mais de 150 trabalhadores. Estas medidas integram a terceira e última fase do plano …

Cansado de denúncias, Betis pede aos seus sócios: "Portem-se bem"

Clube onde jogam dois portugueses quer que os adeptos tenham um "comportamento adequado" durante os jogos no Benito Villamarín. O Betis de Sevilha jogou seis vezes até agora, nesta época. Quatro desses encontros foram disputados em …

Junta militar de Myanmar está a sequestrar familiares de pessoas que pretende deter, diz especialista da ONU

A junta militar de Myanmar está a sequestrar familiares de pessoas que pretende deter, incluindo crianças com 20 semanas de idade, segundo o relator especial da Organização das Nações Unidas (ONU) destacado para o país, …

Regiões portuguesas entre as que mais colocaram trabalhadores em teletrabalho

  Apesar dos números elevados registados em Portugal, futuro do modelo está ainda em aberto, face à preferência dos patrões em ter os funcionários a trabalhar em ambiente de escritório. De acordo com dados revelados pelo Eurostat, …

Reino Unido em choque. Sabina Nessa pode ter sido assassinada por um estranho ainda em liberdade

Sabina Nessa, de 28 anos, terá sido assassinada enquanto caminhava pelo Cator Park, no sudeste de Londres, na passada sexta-feira. O percurso da sua casa até a um bar ia demorar apenas cinco minutos, mas …

A corrida a secretário-geral da UGT terá dois candidatos

É a primeira vez que a corrida à liderança da UGT conta com dois candidatos: além de José Abraão, atual dirigente da Federação de Sindicatos da Administração Pública (Fesap), Mário Mourão, presidente do Sindicato dos …

Colapso da Evergrande. China pede a governos regionais que se "preparem para a possível tempestade"

As autoridades chinesas estão a pedir aos governos regionais para se prepararem para um possível colapso da Evergrande. O The Wall Street Journal noticia, esta quinta-feira, que as autoridades chinesas estão a pedir aos governos regionais …