Irão admite ter abatido avião ucraniano por engano

Abedin Taherkenareh / EPA

Este sábado, o Irão admitiu que o avião ucraniano que se despenhou na quarta-feira em Teerão, matando todas as 176 pessoas a bordo, foi abatido inadvertidamente por militares iranianos.

A declaração, difundida pela televisão estatal iraniana, atribuiu o derrube do aparelho a um erro. Até aqui, o Irão tinha negado que um míssil fosse responsável pelo acidente, mas os Estados Unidos e o Canadá afirmaram, citando informações dos respetivos serviços de segurança, que o acidente foi causado por um míssil iraniano.

O Presidente do Irão já afirmou que o país “lamentava profundamente” ter abatido um avião civil ucraniano, sublinhando tratar-se de “uma grande tragédia e um erro imperdoável”. “O inquérito interno das forças armadas concluiu que lamentavelmente mísseis lançados por engano provocaram a queda do avião ucraniano e a morte de 176 inocentes”, admitiu Hassan Rohani, no Twitter.

“As investigações continuam para identificar e levar à justiça” os responsáveis, acrescentou.

Também o ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano apresentou “as desculpas” do país pela catástrofe do Boeing 737 da companhia Ukrainian Airlines, depois de as forças armadas terem igualmente reconhecido que o avião foi abatido por erro.

“Dia triste”, escreveu Mohammmad Javad Zarif no Twitter. Um “erro humano em tempos de crise causada pelo aventureirismo norte-americano levaram ao desastre”, acrescentou. “O nosso profundo arrependimento, desculpa e condolências ao nosso povo, às famílias das vítimas e às outras nações afetadas” pelo drama, disse o ministro.

https://twitter.com/JZarif/status/1215847283381755914

O Estado-maior das forças armadas do Irão garantiu à população do país que “o responsável” pela tragédia do Boeing ucraniano abatido na quinta-feira nos arredores de Teerão, vai ser imediatamente apresentado à justiça militar.

“Garantimos que ao realizar reformas fundamentais nos processos operacionais ao nível das forças armadas, vamos tornar impossível a repetição de tais erros”, acrescentou, em comunicado.

Entretanto, avança o Observador, o Presidente da Ucrânia também já reagiu através do Twitter. Volodymyr Zelenski pede ao Irão que lhes sejam devolvidos os corpos, que lhes pague uma compensação e que faça um pedido oficial de desculpas.

O avião, um Boeing 737 da companhia aérea Ukrainian International Airlines, descolou de Teerão, com destino a Kiev, despenhando-se dois minutos após a descolagem nos arredores da capital iraniana.

O acidente ocorreu horas depois do lançamento de 22 mísseis iranianos contra duas bases da coligação internacional liderada pelos Estados Unidos, em Ain Assad e Erbil, no Iraque, numa operação de vingança pela morte do general iraniano Qassem Soleimani.

O aparelho, com destino a Kiev, transportava 167 passageiros e nove tripulantes de várias nacionalidades, incluindo 82 iranianos, 11 ucranianos, dez suecos, quatro afegãos, três alemães e três britânicos.

Na sexta-feira, o ministro dos Negócios Estrangeiros canadiano reviu em baixa que o número de vítimas do país, que passou de 63 para 57, após uma “análise aos documentos de viagem das vítimas”. No entanto, o número total de passageiros que tinham como destino final o Canadá mantém-se em 138, disse François-Philippe Champagne.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

      • Por acaso é ao contrário. Como se viu há um par de anos, quando os EUA bombardearam um hospital dos MSF na Síria por engano, houve dúzias de notícias, os militares americanos reconheceram o engano, houve inquéritos, generais a assumir responsabilidades. Passado uns meses outro hospital dos mesmos MSF foi destruído. “Parece que foi” um bombardeamento russo. E nunca mais se ouviu falar do assunto.
        O famoso caso das armas de destruição massiva no Iraque é outro exemplo do “é ao contrário” do que os esquerdopatas tentam fazer passar. Os americanos entraram no Iraque para destruir as ADM. Passarm 6 meses a vasculhar o terreno, e não as encontraram, e o Rumsfeld teve que vir dizer “oops, parece que não há ADM”.
        São uns anjinhos porque se fossem os russos a andar por lá, tinham aparecido as ADM de certeza, de uma forma ou de outra. Mas essa é a diferença entre as democracias imperfeitas, com todos os seus pecados, e as neo-ditaduras que a esquerdalha tenta lavar e fazer-nos engolir como primorados da civilização.

        • está a esquecer-se da era de bill pedófilo clinton qd uma vez mais atacou deliberadamente um hospital na Sérvia.

          o seu problema é não perceber que não há nem bons nem maus, os Estados e quem neles mexe todos e mais alguns cordelinhos é que são os verdadeiros criminosos.

          mas por terem o cérebro tão lavado pelos MSM o pessoal do ocidente continua a pregar o exceptionalismo dos States/EU, qd fazem igual ou pior que os outros.

  1. Erro coisa nenhuma. Até um garoto sabe diferenciar uma aeronave civil de uma militar. O que esses islâmicos estavam fazendo era testar o alcance de seus mísseis em um alvo em movimento. Se tivessem iranianos a bordo virariam mártires.

  2. Negaram desde o inicio, tentaram não entregar as caixas negras, mas perante as provas tiveram de admitir. Um regime terrorista que tem tentáculos por todo o médio oriente. era tempo de acabar, mas todos sabemos que isso tem custos, quer económicos quer em vidas, por isso ainda assistimos à existencia de regimes deste tipo na Coreia do Norte, na Venezuela, etc. Claro que os Russos apoiam e uns idiotas nos paises democráticos que defendem a democracia onde vivem e regimes assim para os outros, em Portugal infelizmente também os temos, até no parlamento.

  3. Por engano, ou por incompetência e puro fanatismo religioso? Imagine-se uma arma nuclear nas mãos de gente desta espécie! O Médio Oriente é um mundo à parte em que só se lá deve ir buscar o petróleo que eles tanto necessitam vender para sobreviver e sabê-los manter bem à distância, mas infelizmente os políticos recusam-se a ver a realidade.

    • imagine-se uma arma nuclear nas mãos dos States…único país que a usou por duas vezes sem qualquer necessidade como n documentos demonstram .

      • Como assim “imagine-se”?? És burra ou achas que somos todos?
        Não é preciso “imaginar” armas nucleares nas mãos dos states. Eles têm o maior arsenal nuclear do mundo há 70 anos, e não andam propriamente a lançar bombas nucleares todos os dias.
        Quando às duas que lançaram, há 70 anos, “sem necessidade”.
        Mas qual “sem necessidade”?
        Havia uma guerra mundial a decorrer com um país sanguinário, o Japão, que andou a chacinar chineses, indonésios e afins, e que atacou os EUA à traição, chamando-os a uma guerra que estava a passar-lhes ao lado. Em 1945, com a guerra já perdida, o Japão ainda estava a matar e torturar gente. Rejeitaram vários ultimatos dos EUA para se renderem.
        Sabes porque foram lançadas duas bombas? Uma no dia 6 e outra no dia 9?
        Porque mesmo após a primeira bomba cair, a 6 de agosto, o Japão recusou render-se e acabar com a Guerra.
        Os japoneses só se renderam 3 dias depois de Hiroshima, a 9 de agosto, depois de ter caído a segunda bomba, em Nagasaki. Eu diria, usando a técnica iraniana de culpabilizar os outros pelos nossa atos, que os americanos lançaram uma bomba, e o Hirohito pediu-lhes a segunda.

        • mais um que esquece pormenores da história para fazer o habitual frete excepcionalista.

          meu caro o Japão entrou na guerra pq os cromos dos EUA os forçaram a isso devido ao bloqueio que lhes impuseram.
          depois cometeram as mesmas atrocidades que os outros países, ou acha que os ataques dos aliados em que destruiram completamente à bomba cidades em que os alvos eram civis qd o regime NAZI já estava destruído.

          tem aqui exemplos https://en.wikipedia.org/wiki/Allied_war_crimes_during_World_War_II

          qto ao Japão ter atacado Pearl Harbour, bom você anda um bocado atrasado na história é que hoje sabe-se que os EUA sabiam perfeitamente que ia existir um ataque e até retiraram parte dos navios importantes da zona, ou seja, deixaram morrer deliberadamente americanos por forma a convencer o resto do povinho em casa que era necessário os EUA entrarem na guerra.

          • Ui… o Japão entrou na guerra porque foi “forçado” pelos EUA??!
            Bem… espero que estejas a brincar…
            E qual é a desculpa para terem feito o que fizeram aos países vizinhos e terem invadido tudo o que conseguiram, incluindo Timor – onde mataram portugueses??
            Toda a gente informada (incluindo os japoneses!) sabe muito bem o eles que fizeram e porque levaram com duas “castanhas” atómicas em cima!!
            Não é por os EUA, depois da II GM, terem começado a fazer mer@a um pouco por todo lado (incluindo no Irão!), que agora até são culpados pelo que os loucos japoneses fizeram!!
            Convém ter o minimo de honestidade intelectual!…
            Senão daqui a pouco está tudo baralhado e a fazer como o sádico Putin, que agora até tem a lata de dizer publicamente que a culpa da invasão da Polónia é da própria Polónia!!

RESPONDER

Merkel pede paciência: situação continua "frágil"

Angela Merkel pediu paciência aos alemães e admitiu que "não será necessário" impor no país medidas mais rigorosas de confinamento. A chanceler alemã, Angela Merkel, apelou esta quinta-feira à paciência dos alemães, num momento de crescente …

Detido bilionário chinês que criticou Presidente Xi Jinping. Estava desaparecido há um mês

O bilionário chinês Ren Zhiqiang que criticou a forma como Presidente da China, Xi Jinping, lidou com a pandemia, está sob custódia das autoridades chinesas devido a uma investigação em que é o principal suspeito. …

Bloqueio dos coronabonds pela Holanda é "irresponsável"

Jean-Claude Juncker, antigo presidente da Comissão Europeia, considera que o bloqueio pela Holanda do uso do Mecanismo Europeu de Estabilidade é "irresponsável". O antigo presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, considerou esta quinta-feira “irresponsável” o bloqueio …

Creche recusou receber filho de enfermeira por falta de funcionários. Meteram baixa

A creche e pré-escolar "Voar mais alto", em Setúbal, recusou receber uma criança de três anos, filha de uma enfermeira, por falta de funcionários. A notícia é avançada esta quinta-feira pelo Observador que adianta que as …

Subsídio por assistência a filhos vai ser pago 100% em toda a função pública

O subsídio por assistência a filho sobe de 65% para 100% do salário aos funcionários públicos inscritos na Caixa Geral de Aposentações. O Governo aprovou, esta quinta-feira, um diploma que aumenta o subsídio por assistência …

Espanha avança com novo prolongamento do estado de emergência. Contágios em Itália voltam a subir

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, avançou que dentro de quinze dias terá de voltar ao parlamento para prolongar o estado de emergência por mais duas semanas. Depois de afirmar que Espanha não terá ainda "posto fim …

Boris Johnson saiu dos cuidados intensivos

O primeiro-ministro britânico saiu dos cuidados intensivos, avançou Downing Street. De acordo com o comunicado, Boris Johnson está "muito bem-disposto". Boris Johnson saiu esta tarde dos cuidados intensivos, segundo um comunicado de Downing Street. O primeiro-ministro …

SEF instaurou inspeção interna à morte de ucraniano, mas não detetou suspeitas de crime

Esta quarta-feira, o ministro da Administração Interna prestou esclarecimentos sobre a morte de um cidadão ucraniano à guarda do SEF, no aeroporto de Lisboa, na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias. Eduardo Cabrita considerou …

Colocações no ensino superior adiadas para o final de setembro

Na sequência do adiamento nos calendários dos exames nacionais do ensino secundário, o acesso às licenciaturas é também atrasado. O calendário de acesso ao ensino superior vai ser atrasado em cerca de três semanas. Os resultados …

Rangel e outros 13 eurodeputados do PPE pedem expulsão de partido húngaro

O eurodeputado do PSD Paulo Rangel e outros 13 chefes de delegação do Partido Popular Europeu (PPE) pediram na terça-feira a expulsão do partido húngaro Fidesz, exigindo ao líder parlamentar daquela família política, Manfred Weber, …