Houve mortes por atraso no socorro em Pedrógão

Paulo Nobre / Lusa

Algumas das pessoas que acabaram por morrer devido ao incêndio de junho, em Pedrógão Grande, teriam sobrevivido se não tivesse havido atraso dos meios de socorro, revelou esta quinta-feira o investigador Xavier Viegas.

Nalguns dos casos de pessoas que perderam a vida naquele fogo, no dia 17 de junho, houve “demora no socorro e no tratamento médico”, reiterou Domingos Xavier Viegas, líder da equipa da Universidade de Coimbra (UC) que elaborou um relatório sobre a tragédia, encomendado pelo Governo.

“Creio que algumas das vítimas que acabaram por falecer talvez tivessem sobrevivido” se os meios de socorro tivessem chegado aos locais mais rapidamente, disse.

Xavier Viegas falava no auditório do Polo II da UC, durante o seminário subordinado ao tema “As lições de Pedrógão Grande”, em que participaram centenas de investigadores, autarcas, bombeiros e dirigentes da Proteção Civil, além de outros especialistas e profissionais.

O catedrático, diretor do Centro de Estudos de Incêndios Florestais, salientou que os tratamentos médicos a queimados evoluíram significativamente nas últimas décadas.

A medicina tem registado “avanços neste tipo de problemas”, o que, quando se verifica um socorro rápido das vítimas, estas têm mais possibilidades de sobreviver, defendeu.

Xavier Viegas proferiu estas afirmações enquanto relatava e comentava diversas situações de pessoas com quem falou na fase de preparação do relatório que entregou ao Governo, designadamente habitantes de Pedrógão Grande, Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos, no distrito de Leiria.

Um dos entrevistados citados na apresentação foi o adjunto de comando dos Bombeiros Voluntários de Pedrógão Grande, Sérgio Lourenço, que sobreviveu após ter percorrido diversas povoações serranas, tendo conseguido salvar alguns moradores em perigo.

Estes relatos dizem o que aquelas pessoas viveram e sentiram naquelas horas“, tendo “muitas delas” chegado a arriscar a própria vida para prestar auxílio a outras, afirmou. O incêndio provocou, de acordo com a contabilização oficial, 64 mortos e mais de 250 feridos.

Em novembro, o especialista em incêndios florestais da Universidade de Coimbra, que coordenou a equipa que produziu a pedido do Governo o relatório sobre o incêndio de Pedrógão, deu ao Executivo um mês para revelar um capítulo de 70 páginas que foi mantido em segredo.

Segundo o perito, que coordena o Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, nestas 70 páginas são apontadas falhas “arrepiantes” no socorro às vítimas.

No fim do mês, o investigador, que preparou uma nova versão deste capítulo de forma a omitir os nomes das pessoas envolvidas, e “tornando o texto impessoal e de difícil leitura mas ainda assim compreensível”, acusou a Comissão Nacional de Protecção de Dados de censura por ter vetado a publicação integral do capítulo 6 do Relatório.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Militares portugueses já salvaram mais de 14 mil migrantes no Mediterrâneo

Marinha, Polícia Marítima e Unidade de Controlo de Costa da GNR, ao serviço da agência Frontex, no sul de Espanha e de Itália, já resgataram 14.151 migrantes no Mediterrâneo desde 2014. As equipas militares portuguesas, a …

Estudantes de Medicina dizem adeus ao "terrível" Harrison

Mais de 2.700 recém-licenciados de Medicina realizaram, esta segunda-feira, a Prova Nacional de Acesso (PNA), que substitui o "terrível" Harrison. Esta segunda-feira, mais de 2.700 candidatos responderam pela primeira vez a 150 questões da Prova Nacional …

Vítimas de legionella de Vila Franca de Xira reclamam 2,6 milhões ao Estado

A Associação de Apoio às Vítimas do Surto de Legionella de Vila Franca de Xira reclama uma indemnização de 2,6 milhões de euros por falhas e omissões de entidades públicas em relação às vítimas que ficaram …

Pelo menos três mortos em tiroteio em supermercado no Oklahoma

Pelo menos três pessoas morreram, esta segunda-feira, num tiroteio num supermercado da cadeia Walmart em Duncan, cidade do Estado norte-americano Oklahoma. O responsável da polícia de Duncan, Danny Ford, citado pela televisão local TNN-ABC, indicou que …

Benfica tem 125 jogadores com contrato profissional. Sporting tem 123 e o FC Porto só 80

O Benfica tem assinado contratos profissionais com cada vez mais jogadores, ao longo dos últimos anos. Actualmente, o clube da Luz tem contrato com 125 atletas. O Sporting está lá perto, com vínculos profissionais com …

Rússia está a negociar a troca de espiões ao estilo do que acontecia na Guerra Fria

A Rússia, a Noruega e a Lituânia realizaram recentemente uma troca de espiões, garantindo o retorno de vários agentes capturados aos seus países de origem. De acordo com chefe da contrainteligência lituana, citado pelo Moscow Times, …

"Totalmente depauperado". Bruno de Carvalho pede dispensa das sessões de julgamento

O ex-presidente do Sporting, que disse ser comentador desportivo, pediu dispensa das sessões, alegando não ter meio de transporte e estar completamente "depauperado". Arrancou, esta segunda-feira, no Tribunal de Monsanto, em Lisboa, o julgamento de 44 …

Nike deixa de vender produtos através da Amazon

A marca desportiva Nike vai deixar de vender as suas peças de roupa e calçado diretamente através da Amazon, acabando com um contrato firmado em 2017, no qual concordava em vender uma variedade limitada de produtos …

Marco António Costa apoia Pinto Luz. Cavaco também era “improvável e desconhecido”

O antigo vice-presidente do PSD declarou, esta segunda-feira, o seu apoio ao candidato Miguel Pinto Luz, afirmando que, em 1985, Cavaco Silva também foi um vencedor "improvável e desconhecido". "Em maio de 1985, o Governo de …

Veneza com "centenas de milhões" de euros de prejuízo por causa das cheias

A cidade de Veneza, com inundações nos últimos dias, voltou este domingo a registar uma maré alta, mas de menor magnitude, tendo as chuvas intensas que afetam Itália levado a alertas para as cidades de …