Governo tem relatório que defende “natureza pública” do SIRESP

Tiago Petinga / Lusa

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita

O Governo tem em sua posse uma “avaliação técnica” feita ao SIRESP que lhe dá argumentos para avançar para a aquisição da empresa, mas não para uma nacionalização forçada. O documento será entregue em breve no Parlamento e conclui que a rede tem de ser pública.

O Governo fez uma avaliação técnica ao sistema de comunicações de emergência SIRESP que concluiu que a rede deve ter uma “natureza pública“, anunciou o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.

Na Comissão Parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantia, Cabrita avançou que foi feita uma “avaliação técnica” ao Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP) por uma entidade independente ligada ao Instituto das Telecomunicações.

Segundo o ministro, este relatório foi entregue ao Governo há pouco dias, está numa fase de avaliação e será enviado brevemente para a Assembleia da República.

“Aquilo que esse relatório aponta é para a significativa exigência que essa resposta tenha natureza pública. Mas traremos aqui atempadamente esse tema”, disse Eduardo Cabrita, sublinhado que esta avaliação traça o “futuro da resposta de emergência a partir do final do atual contrato”. Para o governante, o SIRESP “deverá ser um tema tratado com rigor e com tempo a partir de 2020”.

Eduardo Cabrita confirmou que foram feitas comunicações que apontavam para a eventual suspensão do sinal de satélite do SIRESP, mas esta “questão está ultrapassada” e “não se coloca”.

Quanto às negociações com a entidade gestora do SIRESP, o ministro escusou-se a avançar pormenores, sublinhando que são coordenadas pelo Ministério das Finanças e que visam a aquisição das participações sociais. “Sobre a questão da entrada no capital, a competência aqui é da responsabilidade do Ministério das Finanças. Tenho aqui a inteira confiança na direção deste processo negocial por parte do Ministério das Finanças.”

O ministro adiantou que, depois dos incêndios de 2017, foi decidido “reforçar o sistema de redundância” e fazer com que “o Estado assumisse uma posição no capital da empresa”. Cabrita assegurou que “aquilo que é essencial para a segurança dos portugueses“, tendo sido instaladas 451 antenas de satélite e a empresa dotou-se de 18 unidades de redundância.

As negociações entre o Governo e a entidade gestora do SIRESP foi uma questão colocada pelos deputados do PSD, Bloco de Esquerda, CDS/PP e PCP. “Dizia o primeiro-ministro que estava por horas, já lá 359 horas, não sei quantas mais virão”, afirmou o deputado do PSD Marques Guedes, referindo-se às declarações de António Costa no parlamento a 13 de maio, que anunciou que as negociações entre o Estado e sociedade que gere a rede de comunicações SIRESP seriam concluídas nas horas seguintes.

Por sua vez, o deputado do PCP Jorge Machado defendeu que “não faz sentido a aquisição, mas sim o controlo público” do SIRESP .

A rede SIRESP é detida em 52,1% pela Altice Portugal, 33% pelo Estado e 14,9% pela Motorola Solutions. Depois dos incêndios de 2017, o Governo aprovou em Conselho de Ministros um novo contrato com a entidade gestora do SIRESP, que deveria entrar em funcionamento em 2018, mas foi chumbado duas vezes pelo Tribunal de Contas.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

CTT recuam. Não vão propor a distribuição de dividendos de 2019

O Conselho de Administração dos CTT - Correios de Portugal, SA informaram esta segunda-feira que já não vão propor à Assembleia Geral de Acionistas a distribuição de dividendos relativos ao exercício de 2019, como previsto, …

Há enfermeiros sem treino a trabalhar nos cuidados intensivos

A presidente do Sindicato de Todos os Enfermeiros Unidos (SITEU), Gorete Pimentel, denuncia que há enfermeiros sem treino a trabalhar em unidades de cuidados intensivos. "São necessários três a quatro meses para que um enfermeiro seja …

Ronaldo vai tornar-se o primeiro bilionário no mundo do futebol

Cristiano Ronaldo vai faturar cerca de 90 milhões de euros este ano. Isto faz com que o futebolista português atinja os mil milhões de euros em receitas durante a sua carreira. Embora Cristiano Ronaldo tenha sido …

Tribunais adiaram mais 50 mil diligências num mês

A pandemia de covid-19 obrigou os tribunais portugueses a adiar 2.445 diligências e a anular outras 28.957, escreve o jornal Público. Ao todo, foram desmarcadas 51.402 diligências, frisa o matutino na sua edição desta segunda-feira, …

311 mortes e uma subida de 4% nos casos confirmados em Portugal. Recuperados quase duplicaram

O número de mortes em Portugal relacionadas com a Covid-19 ultrapassou a barreira das 300, situando-se nas 311 vítimas, mais 16 do que no domingo. O número de recuperados também cresceu para 140. Os casos …

"Uma vergonha para o país". Morte de ucraniano leva a "mudanças profundas" no funcionamento do SEF

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, disse esta segunda-feira que vai haver “mudanças profundas no modelo de funcionamento do Centro de Instalação Temporária do SEF no aeroporto de Lisboa, na sequência do caso da …

City abre processo a Kyle Walker por festa com prostitutas durante quarentena

Kyle Walker, futebolista do Manchester City, viu o clube instaurar-lhe um processo disciplinar, depois de este ter, alegadamente, quebrado a obrigação de confinamento devido à COVID-19 numa festa com prostituas. “Os futebolistas são modelos a seguir …

"Digam aos accionistas que não há nada para ninguém". Marcelo apela à Banca (ou deixa que o Governo suspenda os lucros)

O Presidente da República reúne-se, nesta segunda-feira, com os cinco maiores bancos a actuar em Portugal para apelar à sua "sensatez" para agilizarem os empréstimos às empresas e às famílias depois de terem recebido milhões …

FC Porto à caça em Famalicão por Uros Racic

O FC Porto está atento à possível contratação de Uros Racic. O jogador tem-se destacado ao serviço do Famalicão e pode mudar-se para o Dragão a um preço acessível. Até à interrupção das competições, o Famalicão …

Itália com menor número diário de mortes em 15 dias. Nos EUA, a crise compara-se ao 11 de setembro

No dia em que Itália registou o menor número de óbitos por covid-19 em duas semanas, os Estados Unidos registaram 1.200 mortos. O cirurgião geral do país compara a crise a Pearl Harbor e ao 11 …