Governo deve rever PIB em baixa, mas não altera medidas do Orçamento

Tiago Petinga / Lusa

António Costa e Mário Centeno

Esta terça-feira, António Costa disse não estar previsto qualquer Orçamento retificativo na sequência do novo coronavírus, considerando que esta crise é “um bom exemplo” da necessidade de uma “política orçamental prudente”. 

Apesar de reconhecer que será preciso rever as previsões económicas no Programa de Estabilidade, António Costa afirmou que “não há razão nenhuma para alterar as medidas que estão previstas no Orçamento do Estado”. As declarações foram feitas aos jornalistas após a reunião do Conselho Europeu, que se realizou esta terça-feira por videoconferência.

Questionado sobre se, perante o impacto que a epidemia de coronavírus vai ter na economia mundial, os pressupostos do Orçamento do Estado para 2020 ainda fazem sentido, o primeiro-ministro declarou: “Fazem todo o sentido”.

“Não há nenhuma razão para alterar nenhuma das medidas que estão inscritas no documento”, acrescentou ainda António Costa, citado pelo ECO.

No debate quinzenal, lembrou, António Costa já tinha anunciado que iria rever as previsões económicas por altura da apresentação do Programa de Estabilidade e Crescimento. “Divulgaremos até 15 de abril as novas estimativas de crescimento para 2020 e anos seguintes, e não deixaremos de refletir este risco na projeção a apresentar”, disse na altura.

Agora, esta terça-feira, reiterou que no Programa de Estabilidade ” vamos ter ocasião para proceder à atualização das previsões de crescimento económico que serão afetadas pela situação que estamos a viver”.

As previsões não vão ficar imunes à realidade”, constatou.

No Orçamento do Estado para este ano, o Governo prevê um crescimento de 1,9%. Já no Programa de Estabilidade, apresentado em abril do ano passado, aponta para uma aceleração de 2% em 2021, mantendo essa variação em 2022. Estes valores estão agora em risco de serem revistos em baixa.

Ainda assim, o chefe do Executivo garantiu que “não está previsto nenhum Orçamento retificativo”.

PSD “disponível” para aprovar orçamento rectificativo

Apesar de o Governo descartar a possibilidade, o PSD manifesta-se “disponível” para aprovar um eventual orçamento rectificativo, conforme declarações do deputado Álvaro Almeida citadas pelo Expresso.

“O PSD está disponível para apoiar todas as medidas de combate ao Covid-19“, destaca o deputado, salientando que neste âmbito estão incluídos gastos para aquisição de bens e serviços, bem como “despesas de saúde adicionais para tratamento de outros doentes que não puderam ser tratados devido ao desvio de recursos para o combate ao Covid-19”.

Deste modo, o PSD está “disponível para viabilizar alterações orçamentais que sejam motivadas por estas despesas adicionais, desde que as alterações propostas não envolvam mais do que aquelas estritamente causadas pela crise do Covid-19”, refere Álvaro Almeida.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Mas ainda bem que se lembraram das PME….. Em 2008 só salvaram os bancos, e que grande salvamento, as PME faliram, fecharam, desempregados a passar fome, suicídios, etc, etc. …..

RESPONDER

Pedro Proença acredita que "vai ser possível jogar na presente temporada"

O Presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) admitiu, esta terça-feira, a possibilidade de realizar jogos à porta fechada e ainda esta temporada. Em entrevista à rádio TSF, Pedro Proença disse acreditar que ainda "vai …

Centeno deixa aviso à Zona Euro. Futuro da UE depende da resposta que der à pandemia

Mário Centeno escreveu aos ministros das Finanças da Zona Euro para os alertar que o futuro da União Europeia depende da forma como conseguir lidar com a crise económica devida à pandemia de Covid-19. Uma …

Governo quer desempregados e trabalhadores em lay-off a reforçar lares e hospitais

O Governo criou uma medida de Apoio ao Reforço de Emergência de Equipamentos Sociais e de Saúde com o objetivo de apoiar as entidades do setor social e solidário. De acordo com o ECO, o Governo …

Recibos verdes podem pedir apoio a partir desta quarta-feira. Será pago ainda este mês

O apoio por quebra de atividade destina-se a trabalhadores independentes que nos últimos 12 meses tenham tido obrigação contributiva em pelo menos 3 meses consecutivos. O formulário para os trabalhadores independentes pedirem apoio por redução de …

"Este mês é perigosíssimo!" Costa avisa que "não podem ir à terra e ao Algarve" na Páscoa

"As pessoas não podem ir à terra!" O alerta é de António Costa que avisa que este mês de Abril "é perigosíssimo" por causa da Páscoa. O primeiro-ministro recomenda também aos emigrantes que não venham …

13% dos casos de covid-19 em Portugal são profissionais de saúde. Há 10 médicos nos cuidados intensivos

Um em cada oito infetados com o novo coronavírus em Portugal é profissional de saúde. O número de médicos, enfermeiros, auxiliares e outros trabalhadores de hospitais e centros de saúde que estão contagiados não pára …

Curva em Itália parece estar a aplanar. Confirmado primeiro caso num campo de refugiados grego

A Itália registou mais 4.053 casos positivos e mais 837 mortes em 24 horas, valores semelhantes aos de segunda-feira e que sugerem que a curva da covid-19 parede estar a estabilizar. De acordo com o Observador, …

Há mais de 8 mil infetados e 187 mortes por covid-19 em Portugal

Há mais 27 mortes em relação a terça-feira, aumentando o número total de óbitos para 87. O número de casos confirmados em Portugal já ascende as 8 mil pessoas. O boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da …

Há falhas no sistema que regista casos de covid-19. A "esmagadora maioria" não vai ser contabilizada

O sistema que regista os casos de covid-19 em Portugal é "um pesadelo burocrático", denunciam os infecciologistas. A "esmagadora maioria" dos casos vai acabar por não ser notificada, acrescentam. O problema tornou-se público quando a Direção-Geral …

Mais de 3600 empresas já pediram acesso ao lay-off simplificado

O Governo já recebeu 3600 pedidos de empresas para aderirem ao regime lay-off lançado na semana passada, disse, esta terça-feira, a ministra do Trabalho e da Segurança Social. Ana Mendes Godinho, que falava aos jornalistas no …