/

Governo confiante e pronto para avançar para negociações do OE2022. PCP fechado em copas

1

André Kosters / Lusa

Duarte Cordeiro, secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares

Os partidos querem garantias de execução das medidas do OE2021 e o Governo está pronto para as dar. Para o Executivo de António Costa, há condições para começar a negociar o Orçamento do Estado para 2022.

“Olhando para o grau de execução, acreditamos que vamos cumprir e que temos todas as condições de confiança para iniciar as reuniões para o OE2022″, disse esta terça-feira o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro, no final das reuniões com os partidos que viabilizaram o OE deste ano.

Cláudia Joaquim, secretária de Estado do Orçamento, avançou que, no primeiro semestre, a despesa primária aumentou 4,4%, houve 2.100 milhões de euros de apoios diretos a empresas e cerca de 300 milhões de apoio às famílias e aos trabalhadores que perderam rendimentos ou que estando desempregados tiveram prorrogação do subsídio de desemprego, detalha o Público.

Para a responsável, estas medidas têm sido “essenciais na promoção e manutenção dos postos de trabalho” e permitiram que a receita contributiva tenha crescido 4,4%, revelando a “resiliência do mercado de trabalho, também por força dos apoios ao emprego”.

Em declarações aos jornalistas, os partidos deram alguns sinais de insatisfação, apesar de reconhecerem avanços.

Inês Sousa Real, porta-voz do PAN, referiu que, “apesar dos avanços, ainda é muito curto para o que ficou no Orçamento”. “O PAN só pode ir para uma mesa de diálogo no OE2022 com a garantia de execução plena das medidas que inscritas no OE.”

Já o PEV saiu da reunião com um “otimismo moderado” e admitindo que se a execução deste ano for boa, a “disposição” para negociar o OE2022 será “facilitada”.

José Luís Ferreira disse que esperava ver concretizada pelo menos metade das medidas que o partido acertou com o executivo, mas afinal haverá 40% executadas e 60% em andamento. Ainda assim, mantém “esperança que o resto seja executado até ao fim do ano”.

O PCP foi o único partido a fechar-se em copas. Fonte oficial recusou fazer declarações sobre a reunião ao Observador.

O Bloco de Esquerda ficou de fora porque os encontros se centraram no balanço de execução do primeiro trimestre, mas o Governo comprometeu-se a realizar uma reunião sobre o documento de 2022 ainda em julho, para a qual já convocou também o BE.

A esperança do Governo de António Costa é que o balanço desta terça-feira tenha deixado os partidos dispostos a negociar o próximo Orçamento do Estado.

No mesmo dia, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, insistiu na necessidade de o documento ser aprovado para não perturbar a execução do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

  Liliana Malainho, ZAP //

1 Comment

  1. Lá vem a altura anual de oferta de rebuçados, por parte do governo. Com bolos lá se vão engando os tolos. E não passamos disto.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE