Operação Marquês. Ex-administrador do Grupo Lena nega “luvas” a Sócrates

António Cotrim / Lusa

O ex-administrador do Grupo Lena e atual presidente da Comissão Executiva do Grupo NOV, Joaquim Paulo Conceição

O ex-administrador do Grupo Lena Joaquim da Conceição foi esta quinta-feira inquirido, como testemunha, e disse que o grupo de Leiria nunca subornou o antigo primeiro-ministro José Sócrates, o principal arguido da Operação Marquês, revelou fonte ligada ao processo à agência Lusa.

O antigo representante negou também a tese do Ministério Público, que sustenta que o Grupo Lena terá entregue seis milhões de euros ao antigo primeiro-ministro socialista. Na prática, avança a SIC Notícias, a testemunha repetiu ao juiz o que já tinha dito ao MP: do Grupo Lena nunca saíram “luvas” para José Sócrates.

Joaquim Paulo da Conceição, que chegou a ser arguido da Operação Marquês, foi chamado a depor na fase de instrução pelo advogado do ex-administrador do grupo Lena Joaquim Barroca e das empresas do grupo arguidas neste processo, que considerou essencial o seu depoimento após o antigo primeiro-ministro ter sido interrogado nessa fase.

Para o advogado Castanheira Neves, o depoimento de Joaquim Paulo era importante “para esclarecer toda a factualidade inerente às sociedades [do grupo Lena]”.

O advogado disse que chamou Joaquim Paulo a depor depois de terem sido “projetados para o processo todos os factos que estavam por esclarecer”. Joaquim Paulo da Conceição era o representante legal do grupo leiriense, mas acabou por não ser visado no processo.

Já a empresa que liderava e outras subsidiárias (Lena SGPS, Lena Engenharia e Construções SA e Lena Engenharia e Construção SGPS) são acusadas de corrupção ativa, branqueamento de capitais e fraude fiscal qualificada.

Entendeu o Ministério Público que “nunca se percebeu, a não ser para melhor assegurar a sua defesa enquanto cidadão e profissional, a razão da constituição como arguido de Joaquim Paulo da Conceição, que na altura dos pretensos factos nem sequer exercia funções na ‘holding’ do Grupo Lena”.

O ex-administrador do grupo Lena Joaquim Barroca, será o último arguido do processo a ser interrogado, a seu pedido, nesta fase, a 18 de fevereiro.

Joaquim Barroca está acusado de corrupção ativa de titular de cargo político, corrupção ativa, branqueamento de capitais, falsificação de documento e fraude fiscal qualificada consta de um despacho do juiz de instrução Ivo Rosa, que reservou também o dia seguinte, caso a diligência se prolongue.

O debate instrutório está marcado para os dias 4, 5, 6 e 9 de março, podendo prolongar-se para 11, 12 e 13 do mesmo mês. O processo Operação Marquês tem 28 arguidos – 19 pessoas e nove empresas – pela prática de 188 de crimes económico-financeiros.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Autarca de Vieira do Minho denuncia: testes estão a ser desviados para Lisboa

O Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Gerês/Cabreira, Vieira do Minho, detetou 77 infetados pelo novo coronavírus, com os autarcas da área a reclamarem contra a demora na distribuição de testes, disse esta sexta-feira à …

Trump recomenda uso de máscaras (mas recusa-se a usá-las)

Esta sexta-feira, os Estados Unidos tiveram, pelo quarto dia consecutivo, o maior número de mortes em 24 horas, num total de 1.094, e contam com quase 30 mil novos casos. No seu briefing diário, de acordo …

A Antártida já foi uma floresta tropical

A Antártida pode ter sido o lar de ecossistemas quentes e pantanosos cercados por fetos e árvores coníferas há 90 milhões de anos, altura marcada pelo auge dos dinossauros. Uma análise do solo antigo extraído da …

Algumas estrelas têm "veneno" dentro de si (e é por isso que explodem)

Algumas estrelas têm um "veneno" dentro de si: o elemento néon no núcleo das estrelas pode desencadear uma reação química que leva a uma morte definitiva e explosiva. Estrelas menos massivas, como o nosso Sol, expandem-se …

Criada tecnologia que traduz pensamentos diretamente em texto

Uma equipa de investigadores diz ter criado um sistema capaz de traduzir sinais cerebrais diretamente em texto escrito. Este é um passo promissor para que no futuro seja possível escrever num computador apenas com o …

Desaparecimentos, mistérios e lendas. O Triângulo do Alasca pode ser mais perigoso do que o das Bermudas

Milhares de pessoas desaparecem todos os anos no estado norte-americano do Alasca, fazendo lembrar as histórias do Triângulo das Bermudas, onde aviões e navios desapareceram sem deixar rastro. De acordo com a revista The Atlantic, três …

Descobertas sete novas aranhas-pavão. E uma parece um quadro de Van Gogh

Foram encontradas sete novas espécies de aranha do género Maratus. E há uma que se destaca por se parecer com "A Noite Estrelada", famoso quadro de Vincent Van Gogh. Nos últimos anos, as aranhas-pavão (do género Maratus) …

Estado de emergência no México suspende produção de cerveja Corona

Nem toda a publicidade é boa publicidade. Que o diga a cerveja mexicana Corona que, em tempos de pandemia, partilha o nome com o vírus de que já ninguém quer ouvir falar. Segundo o jornal The …

Gás natural pode transformar Moçambique no "Qatar de África" (se os jihadistas deixarem)

A descoberta de gás natural em Moçambique é vista como uma grande esperança para o país que, à boleia dos avultados investimentos que está a receber de grandes multinacionais, sonha tornar-se no "Qatar de África". …

Afinal, os 1.000 ventiladores doados por Elon Musk podem não ser completamente inúteis

Elon Musk, CEO da Tesla, doou mil ventiladores do tipo errado a hospitais da Califórnia, que enfrentam um número esmagador de casos de coronavírus. Agora, afinal, os ventiladores vão poder ser usados em casos de …