Cristina Tavares regressa em julho à corticeira que a despediu

A operária, despedida duas vezes da corticeira onde trabalhava, em Paços de Brandão, vai regressar ao posto de trabalho no primeiro dia de julho.

De acordo com o Público, Alírio Martins, do Sindicato dos Operários Corticeiros do Norte (SOCN), confirmou que foram ultimados, na manhã desta quarta-feira, os pormenores de um acordo entre as duas partes, não sendo precisar iniciar o julgamento.

Cristina Tavares, despedida duas vezes da corticeira Fernando Couto, localizada em Paços de Brandão, Santa Maria da Feira, vai regressar ao posto de trabalho a 1 de julho. A operária sempre disse que não queria qualquer compensação monetária e que só aceitaria a reintegração no posto de trabalho, escreve o jornal.

O acordo hoje estabelecido entre as partes estipula também que a trabalhadora terá que ser indemnizada em 11 mil euros por danos morais e ressarcida dos salários que não recebeu no período em que esteve afastada da empresa devido ao despedimento ilícito.

Em comunicado, a administração da empresa explica agora a sua decisão: “Decidimos dar-nos uma nova oportunidade e virar a página negativa que se formou, criando condições para nos focarmos na nossa atividade em paz jurídica e assim construirmos o nosso futuro. O tempo encarregar-se-á de demonstrar as injustiças que nos foram feitas”.

Cristina Tavares foi despedida em janeiro de 2017, alegadamente por ter exercido os seus direitos de maternidade e de assistência à família, mas o tribunal considerou o despedimento ilegal e determinou a sua reintegração.

Em janeiro deste ano, a Fernando Couto Cortiças voltou a despedi-la, acusando-a de difamação, após ter sido multada pela Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT), que verificou no local que tinham sido atribuídas à trabalhadora tarefas improdutivas, carregando e descarregando os mesmos sacos de rolhas de cortiça, durante vários meses.

A situação da trabalhadora deu origem a três contraordenações da ACT à empresa, uma que resultou numa coima de 31.110 euros, por assédio moral, outra que levou a uma coima de 6.000 euros, por irregularidades relativas à segurança e à saúde da funcionária no local de trabalho, e uma terceira relacionada com o segundo despedimento, que a autoridade considera abusivo.

Das três multas aplicadas, escreve o jornal, a empresa aceitou pagar uma, recorreu da referente ao assédio moral, depois de ter perdido na primeira instância, e aguarda-se ainda que sejam marcadas as diligências relativas à terceira.

Hoje, à saída do Tribunal da Feira, Cristina Tavares afirmava: “Claro que isto me deixou marcas psicológicas e a nível familiar, mas vou trabalhar para lá como trabalhei sempre, como uma boa funcionária. Agora também espero da parte de lá que me respeitem, como sempre me respeitaram até haver isto tudo”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

"Indiana Jones do mundo da arte" recupera manuscrito do poeta persa Hafez

Uma das primeiras cópias do reverenciado Divan do autor do século XIV Hafez, iluminado com ouro, será leiloado no início de abril. O famoso poeta persa do século XIV, Hafez, escreveu uma coleção de versos místicos …

O palco onde os Beatles atuaram pela primeira vez está à venda

O palco de madeira onde os Beatles atuaram pela primeira vez está à venda. Agora, alguém poderá replicar o primeiro concerto da famosa banda. A 10 de abril, em comemoração dos 50 anos da separação da …

Células estaminais podem ajudar a proteger os astronautas da radiação espacial

Assim que os astronautas deixam a proteção do campo magnético da Terra, ficam automaticamente expostos a níveis elevados de radiação cósmica. A Agência Espacial Europeia (ESA) está cada vez mais focada em investigações para reduzir …

Pandemia pode trazer nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas

A pandemia de Covid-19 pode trazer uma nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas como limpeza de superfícies infetadas ou vigiar pessoas em quarentena, afirmam esta quarta-feira alguns dos principais investigadores internacionais em …

Multimilionários refugiam-se da Covid-19 a bordo de iates

Vários multimilionários têm procurado refugiar-se da pandemia de Covid-19, que nasceu em dezembro passado na China, em alto mar, a bordo de iates de luxo. Em declarações ao jornal The Telegraph, Jonathan Beckett, executivo da …

Este mamífero consegue sobreviver a quase sete mil metros de altura

Cientistas pensam ter confirmado que um pequeno rato descoberto no vulcão Llullaillaco, nos Andes, é o mamífero que consegue viver à maior altitude já conhecida (6739 metros). Segundo o IFLScience, o Phyllotis xanthopygus rupestris foi descoberto, …

O glaciar Denman recuou quase cinco quilómetros nos últimos 22 anos

O glaciar Denman, na Antártica Oriental, recuou cerca de cinco quilómetros nos últimos 22 anos. Investigadores da Universidade da Califórnia, Irvine e do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA estão preocupados coma topografia exclusiva …

Gruta em Setúbal mostra que os Neandertais também eram pescadores

Cientistas encontraram restos de alimentos numa gruta, no distrito de Setúbal, que comprovam que os Neandertais também se alimentavam de espécies marinhas. De acordo com o jornal espanhol ABC, restos encontrados por uma equipa de arqueólogos …

Associação alerta para riscos da mudança da hora em tempos de confinamento

O presidente da Associação Portuguesa de Cronobiologia e Medicina do Sono advertiu hoje que os efeitos potencialmente adversos causados pela mudança da hora podem acentuar-se devido ao confinamento obrigatório das pessoas na sequência da pandemia …

Governo português legaliza estrangeiros ilegais. "A prioridade é a defesa da saúde"

O Governo português decidiu regularizar os estrangeiros com pedidos pendentes no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, medida em vigor desde a declaração do estado de emergência, no dia 19, e que lhes garante os mesmos …