Controlinveste vai despedir 140 trabalhadores

detengase / Flickr

-

O grupo de comunicação social Controlinveste, detentor do Jornal de Notícias, Diário de Notícias, TSF e O Jogo, anunciou esta quarta-feira que vai despedir 140 trabalhadores e negociar a saída de mais 20.

“A evolução negativa do mercado do mercado dos media, tanto em Portugal como na Europa, e a acentuada quebra de receitas do setor impõem à Controinveste Conteúdos uma decisão estratégica de redução de custos para garantir a sustentabilidade do nosso negócio”, justifica ao conselho de administração do grupo.

Numa comunicação aos trabalhadores, a administração da Controlinveste Conteúdos afirma que “iniciou um processo de corte de custos com efeitos imediatos. Neste âmbito foram já identificadas algumas rubricas que permitirão uma poupança de cinco milhões e quinhentos mil euros equivalentes anuais”.

“Nos últimos três anos (2011 a 2013) apresentámos um défice de tesouraria e resultados antes de impostos negativos em montantes consideráveis. A continuação desta performance negativa colocaria em causa a viabilidade da nossa empresa, com consequências que atingiriam todos os que nela trabalham e o próprio universo dos media em Portugal, afetando negativamente a sua diversidade e pluralismo”, sustenta.

Foi aprovado pelo conselho de administração iniciar de imediato um processo de redução de efetivos no total de 160 postos de trabalho o qual inclui um despedimento coletivo que abrange 140 trabalhadores e um conjunto de negociações para rescisão amigável de contrato abrangendo cerca de 20 postos de trabalho.

No comunicado, a Controlinveste acrescenta que “em breve” está em condições de apresentar “algumas novidades” que levarão “ao início de uma nova era na imprensa escrita, no digital ou na rádio”.

A Lusa tentou obter uma reação do presidente do Sindicato dos Jornalistas, mas sem sucesso até ao momento.

Proença de Carvalho afirma que despedimentos são “indispensáveis”

O presidente do conselho de administração do grupo Controlinveste Conteúdos, Daniel Proença de Carvalho, afirmou que “as medidas agora anunciadas, embora dolorosas, são indispensáveis para que o grupo possa crescer sustentadamente no futuro próximo”.

Numa declaração escrita enviada à Lusa, Proença de Carvalho refere que “o capital que os novos acionistas investiram na empresa permitiu restaurar as suas finanças, mas a sua sustentabilidade futura e o seu crescimento exigem uma equilibrada adequação dos seus custos às realidades económicas do sector, que, como se sabe, tem vindo a conhecer uma profunda crise”.

“Esse equilíbrio impõe uma política de poupança de custos que tornou exigível a adaptação dos recursos humanos do grupo às realidades do sector e das suas empresas”, justifica.

Proença de Carvalho considera que “os media só podem cumprir o seu relevante papel nas sociedades democráticas, com independência e liberdade, se forem financeiramente sustentáveis e, por isso, é dever das administrações preservarem a independência financeira das empresas”.

O CA da Controlinveste é presidido por Daniel Proença de Carvalho desde a recente recomposição acionista que integrou no capital da empresa os empresários António Mosquito (27,5%) e Luiz Montez (15%), além dos bancos BCP e BES (ambos com 15%). O anterior proprietário, Joaquim Oliveira, passou a deter 27,5%.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Brasil é o país lusófono com mais refugiados. Já Portugal tem as maiores remessas dos emigrantes

Um relatório das Nações Unidas (ONU) revelou que o Brasil é o país lusófono que acolhe mais refugiados, Portugal é o que recebe mais remessas dos emigrantes e Moçambique teve o maior aumento de estrangeiros …

Ryanair deixa de voar entre Porto e Lisboa em outubro (mas fica com base mais reduzida em Faro)

A transportadora aérea irlandesa Ryanair vai deixar de voar entre Porto e Lisboa a partir de 25 de outubro devido a “razões comerciais”. A confirmação foi dada pela empresa ao Jornal de Notícias. Em abril, a …

Frente-a-frente entre Costa e Rio teve menos 633 mil espectadores do que o debate entre Costa e Passos em 2015

O frente-a-frente entre António Costa e Rui Rio, os líderes dos dois maiores partidos, teve menos audiência do que o confronto de há quatro anos, entre António Costa e Pedro Passos Coelho. Cerca de de …

EDP condenada a multa de 48 milhões por abuso de posição dominante na produção de energia

A Autoridade da Concorrência (AdC) condenou a EDP por abuso de posição dominante. A coima de 48 milhões de euros foi aplicada à EDP Produção por manipular a oferta de serviços de sistema que regula …

Há sete anos que a média de secundário dos colocados no Ensino Superior não era tão alta

Há sete anos que a média de secundário dos colocados no ensino superior não era tão alta. Relativamente aos alunos de cursos científico-humanísticos, a média dos colocados tem vindo a aumentar desde 2015, tendo atingido …

Futebolistas internacionais russos Kokorin e Mamayev saíram da prisão

Pavel Mamayev e Alexander Kokorin foram detidos depois de atacarem dois homens, um responsável do governo, num estacionamento de um hotel, e um outro num café. Deixam a prisão por "bom comportamento". Os futebolistas internacionais russos …

Praga de baratas fecha refeitório do hospital Amadora-Sintra

Uma praga de baratas está a afetar o Hospital Amadora-Sintra, provocando sérios transtornos às centenas de trabalhadores desta unidade de saúde. O caso foi denunciado ao Correio da Manhã por funcionários e confirmado pelo hospital. A …

Singapura é a inesperada vencedora da crise em Hong Kong

A instabilidade política está a levar uma crescente instabilidade económica em Hong Kong. Quem beneficia com isto é a Singapura, que surge como alternativa no mercado asiático. Em Hong Kong, o duelo entre os manifestantes contra …

Irão pediu vistos aos EUA para ir à Assembleia Geral da ONU "há meses", mas nenhum foi entregue

O Presidente do Irão ainda não recebeu visto de entrada nos EUA, podendo estar em risco a participação de Hassan Rohani na Assembleia Geral das Nações Unidas, noticiou esta quarta-feira a agência de notícias estatal …

Livre: Aparecer nas sondagens é sair da "invisibilidade"

"Estarmos nas sondagens significa que nós estamos com altas hipóteses de eleger [deputados]", referiu na quarta-feira Joacine Katar Moreira, em declarações à agência Lusa, no Jardim Augusto Monjardino, em frente à Maternidade Alfredo da Costa …