Conclusão do julgamento sobre assalto de Tancos esperada em 2021

Paulo Cunha / Lusa

Edifício no complexo militar de Tancos

O julgamento do insólito assalto aos paióis de Tancos e da alegada encenação da Polícia Judiciária Militar (PJM) na recuperação do armamento, com o suposto conhecimento do ex-ministro da Defesa, Azeredo Lopes, em 2017, deverá estar concluído no próximo ano.

O furto nas instalações militares provocou várias ondas de choque, colocou a descoberto fragilidades da segurança dos paióis e afetou gravemente a imagem da PJM, desde logo pela acusação criminal de vários dirigentes, noticiou a agência Lusa.

O julgamento dos 23 arguidos começou em 02 de novembro, no Tribunal Judicial de Santarém, e tem como protagonistas o ex-ministro da Defesa Azeredo Lopes, que se demitiu do cargo no seguimento do caso, elementos da PJM – entre os quais o seu ex-diretor -, militares da GNR de Loulé e arguidos acusados de envolvimento no furto, cometido em 29 de junho de 2017.

Pouco antes do início do julgamento, o arguido João Paulino assumiu ter sido autor do furto, disse que elementos da GNR de Loulé lhe tinham proposto um acordo para devolver o material e entregou à Polícia Judiciária (PJ) as munições e granadas que faltavam.

As investigações dirigidas pelo Ministério Público (MP) foram além do furto e debruçaram-se sobre a atuação da PJM, criando divergências entre a ex-procuradora-geral da República Joana Marques Vidal e a PJ, por um lado, e a PJM e o seu diretor, por outro.

O MP sustenta que a recuperação do material, na região da Chamusca, em outubro de 2017, foi encenada pela PJM, com a conivência do autor do furto, João Paulino, e de elementos da GNR de Loulé e que a operação era do conhecimento do então ministro da Defesa, que também estava ciente da contestação desta polícia à orientação de Joana Marques Vidal ao entregar o caso à PJ.

O inusitado furto nas instalações militares teve também implicações políticas e o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o primeiro-ministro, António Costa, foram arrolados como testemunhas.

Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que, numa visita aos paióis de Tancos em 2017, Azeredo Lopes lhe sugeriu que falasse com o diretor da PJM, que discordava das orientações da PGR, mas que isso nunca aconteceu, revelando que teve conhecimento do aparecimento do material bélico por uma notícia da Lusa.

Paulo Novais / Lusa

Presidente Marcelo Rebelo de Sousa (c), ministro da Defesa Azeredo Lopes (e) e Chefe do Estado Maior das Forças Armadas, Rovisco Duarte (d), em visita aos Paióis de Tancos

Numa recente entrevista à TVI, Marcelo Rebelo de Sousa declarou que nunca se sentiu enganado por Azeredo Lopes, porque este não lhe deu o mínimo sinal de que sabia de algo sobre o furto ou sobre a forma como foi encontrado o material, e que a conclusão do julgamento “é fundamental para a dignidade do Estado de direito democrático”.

Por sua vez, o primeiro-ministro disse acreditar que Azeredo Lopes desconhecia a alegada encenação na recuperação das armas e a investigação paralela da PJM e enalteceu a lealdade do seu ex-ministro da Defesa.

Na versão do MP, Azeredo Lopes sonegou informação à PGR e quis que Joana Marques Vidal fosse complacente com a situação, tendo aceitado a encenação em vez de se ter oposto e participado a irregularidade.

Contrariando esta suspeita, Azeredo Lopes disse, em julgamento, que ex-PGR nunca o alertou que a PJM estava a fazer uma investigação paralela ao furto, negou tê-la autorizado ao arrepio da decisão de Joana Marques Vidal e reiterou que a sua “implicação” no caso é “esmagadoramente política”.

O julgamento continua em 04 de janeiro, faltando depor dois importantes arguidos: o ex-diretor da PJM Luís Vieira e o antigo porta-voz da instituição major Vasco Brazão, tendo este último já afirmado que “a ação paralela” da PJM foi “oportunamente comunicada” ao antigo ministro da Defesa.

Dez arguidos respondem por associação criminosa, tráfico e mediação de armas e terrorismo, por envolvimento no furto do armamento e os restantes 13, entre os quais Azeredo Lopes, elementos da PJM e da GNR, sobre a encenação/encobrimento na recuperação do material.

Azeredo Lopes está acusado de denegação de justiça e prevaricação, favorecimento pessoal praticado por funcionário, abuso de poder e denegação de justiça.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Há cada vez mais cidades chinesas com cortes de energia — e isso poderá ter consequências globais

Embora o problema já se tenha começado a sentir em julho, na última semana deixou de atingir apenas as zonas industriais para se estender aos bairros residenciais. População foi desaconselhada a não usar dispositivos com …

Barack Obama: "Taxem os ricos, como eu," para financiar proposta de Biden

Apelo está relacionado com a aprovação de um grande plano legislativo proposto por Joe Biden e que deverá ser negociado nas duas câmaras do Congresso norte-americano ao longo das próximas semanas. Numa semana decisiva da governação …

As origens dos antigos Etruscos foram finalmente reveladas

Vestígios de ADN encerraram, finalmente, o debate sobre a origem dos Etruscos,  uma antiga civilização cujos restos mortais foram encontrados em Itália. De acordo com quase dois mil anos de dados genómicos, recolhidos de 12 locais …

Rússia acusa Navalny e aliados de extremismo em novo processo

A Rússia intensificou a campanha contra o opositor do governo Alexei Navalny, abrindo esta terça-feira um novo processo judicial, que poderá levá-lo a cumprir uma pena de prisão de mais uma década. Navalny cumpre dois anos …

Governo demite Chefe do Estado-Maior da Armada. Gouveia e Melo provável sucessor

O ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, vai propor ao Presidente da República a demissão do Chefe do Estado-Maior da Armada, confirmaram hoje à Lusa fontes ligadas à Defesa. O Governo propôs ao Presidente da …

Borussia Dortmund 1-0 Sporting | Um Mal(en) que veio só… e foi suficiente

O “bicho papão Haaland não jogou, mas nem assim os “leões” conseguiram contrariar o maior poderio germânico. O Sporting saiu de Dortmund com uma derrota, apesar da excelente réplica no Signal Iduna Park, e muito por …

FC Porto 1-5 Liverpool | Dragão atropelado em casa

O Liverpool é uma espécie de “besta” em tons de “red” para o FC Porto. Em nove jogos oficiais, os “azuis-e-brancos” nunca venceram, somando 3 empates e 6 derrotas, a mais recente foi pesadíssima e …

China desenvolve arma invisível capaz de destruir redes de comunicação em dez segundos

Uma equipa de cientistas chineses está a desenvolver uma arma sónica, que gera um intenso pulso eletromagnético, capaz de destruir redes de comunicação e de fornecimento de energia elétrica. A arma poderá ter um alcance …

Dezenas de mulheres abusadas por funcionários da OMS na República Democrática do Congo

Dezenas de mulheres e meninas foram abusadas sexualmente por voluntários da Organização Mundial de Saúde (OMS) destacados para enfrentar o Ébola na República Democrática do Congo (RDC), entre 2018 e 2020, concluiu um inquérito independente …

Evolução de parasita está a tornar mais difícil detetar e tratar a malária

Uma mutação do parasita que causa a malária está a "camuflar" as proteínas que são identificadas nos testes rápidos, tornando mais difícil detetar e tratar a doença. De forma semelhante aos testes à covid-19, baratos e …