/

Justiça ordena compensação a habitantes de Fukushima

1

A justiça japonesa ordenou o pagamento de uma indemnização equivalente a 3,4 milhões de euros a residentes forçados a abandonar as suas casas no nordeste do Japão após o acidente nuclear de Fukushima, em 2011.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O Governo e a companhia de eletricidade Tokyo Electric Power (Tepco) deverão pagar um total de 419,6 milhões de ienes a 152 residentes, disse à agência France-Press (AFP) um porta-voz do tribunal distrital de Yokohama, nos subúrbios de Tóquio.

É já a quinta vez que uma decisão judicial atribui ao Governo japonês parte da responsabilidade pelo desastre nuclear.

De acordo com o canal público NHK, o juiz Ken Nakadaira considerou que o acidente poderia ter sido evitado se o Governo e a Tepco tivessem “tomado medidas” em resposta à ameaça de um tsunami.

Em 11 de março de 2011, um terramoto de magnitude 9 na escala aberta de Ritcher e o posterior tsunami arrasaram a região de Tohoku e causaram na central de Fukushima Daiichi o pior acidente nuclear desde Chernobyl, na Ucrânia, em 1986.

A central de Tokai Daini sofreu um apagão automático de emergência depois do tsunami que causou mais de 18 mil mortos e desaparecidos.

Mais de 10 mil pessoas que fugiram da região devido aos riscos de radiação interpuseram vários processos conjuntos contra o Governo e a operadora Tokyo Electric Power Co (TEPCO).

Apenas 13% dos habitantes das cinco localidades de Fukushima, que tiveram ordens para sair das suas casas por causa do acidente nuclear de 2011, regressaram após o levantamento da proibição e de os municípios terem sido declarados novamente habitáveis.

As autoridades locais consideram que grande parte dos habitantes que decidiu não voltar são pessoas com filhos que temem expor os menores a altos níveis de radiação.

  ZAP // Lusa

1 Comment

  1. Quando são dólares (cujo taxa de cambio é relativamente parecido com o Euro), falam em Euros, agora que são Ienes, não fazem a conversão!…
    Pelo que consegui perceber, são pouco mais de 3 milhões de euros…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.