Comissão Europeia prevê que os portugueses ainda vão pagar mais pelo fim do BES

Tiago Petinga / Lusa

Um relatório da Comissão Europeia faz uma análise ao processo que determinou o fim do BES e a criação do Novo Banco, prevendo que os contribuintes serão chamados a pagar futuras perdas do chamado “banco bom”.

Neste documento elaborado por técnicos de Bruxelas frisa-se que há a possibilidade de “algumas perdas serem suportadas pelos contribuintes”.

Esta posição contraria as garantias que têm sido dadas pela ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, que tem dito que eventuais prejuízos serão suportados pelos bancos e pelas instituições financeiras.

O relatório foi publicado pela Direcção Geral de Assuntos Económicos e Financeiros (DG ECFIN) e faz uma análise a sete casos da Banca Mundial que terminaram com a resolução das entidades envolvidas.

“É importante referir que o capital do Novo Banco, que ascende a 4,9 mil milhões, foi completamente subscrito pelo Fundo de Resolução português. A questão aqui é que o Fundo foi criado recentemente (2012) e não tinha fundos suficientes para suportar os custos da operação, pelo que a maior parte do capital [3,9 mil milhões] foi financiado com um empréstimo do Estado, através do Fundo de Resolução. Este caso poderá, assim ser classificado como um bail in, mas como parte do capital foi obtido através de um empréstimo estatal, existe a possibilidade de, no futuro, algumas perdas serem suportadas pelos contribuintes“, escreve-se no documento, citado pelo Diário Económico.

No relatório frisa-se ainda que “as experiências de resgate interno ocorrem geralmente após tentativas falhadas de ajudas públicas (bail-out)” e que, “na maior dos casos, já vieram tarde e apenas sob pressão dos parceiros europeus”.

Foi precisamente isso que sucedeu com o BES com a intervenção do Banco Central Europeu junto do Banco de Portugal.

ZAP

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Há que esclarecer pois estas notícias são falsas, a saber:

    O modelo de nacionalização do BPN( vigaristas encartados do pior) usado pelo Teixeira dos Santos e Sócrates leva a que paguemos mais de 7 mil milhões de euros e serão os contribuintes a pagar…Esta decisão foi tomada no desgoverno do PS.

    O modelo estabelecido pelo actual governo aquando do colapso do BES, teve a virtualidade de separar a politica dos negócios e, por isso, o BES e seu universo colapsou pois eram empresas falidas do grupo alimentadas pelo Banco.Neste modelo, quem paga é o Fundo de Resolução( estão agregados os bancos).Quem criou a crise que pague a mesma: os bancos.
    Esperamos que o Novo Banco seja bem vendido para o ano, na sua totalidade ou parcialidade além de que existem valores arrestados à família Espírito Santo para pagar as asneiradas cometidas pela má gestão.

    Por isso, não se podem confundir os dois modelos.O Ricardo salgado pensava que o Governo do Passos iria salvar o Bes e a família mas enganou-se redondamente e acho que o actual governo fez bem pois acabou com essa dependência da família Espírito santo com o Estado onde sempre gravitou o dono disto tudo( Salgado).

    O resto, BPN e universo BES são casos de burlas monumentais e são casos de policia a tramitar pelos Tribunais.

    O resto é fumaça para os olhos das pessoas com notícias destas….

  2. Aprendam com o caso da Islândia: prisão para os culpados e não há dinheiro para salvar bancos.
    Insistem num modelo económico obsoleto e que não tem saída.

RESPONDER

Escola da Amadora queria proibir minissaias, decotes e chinelos - mas já voltou atrás

Um Agrupamento na Amadora publicou um código de vestuário que acendeu um debate nas redes sociais devido às regras que controlavam mais as raparigas. Entretanto, a escola já voltou atrás na decisão. Segundo escreve o Jornal …

Governo francês vai dar 100 euros a famílias carenciadas para pagar energia

O Governo francês vai entregar um cheque de 100 euros a 5,8 milhões de famílias de menores recursos para ajudar a pagar a fatura energética. A medida anunciada pelo executivo vai ter um custo de 580 …

Incidência e R(t) recuam em dia com mais 1.023 infetados e sete mortes

Portugal registou, esta sexta-feira, 1.023 novos casos e sete mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, Portugal …

Apoiantes de Navalny acusam Google e Apple de "censura" política

Os apoiantes de Alexei Navalny acusaram hoje as empresas Google e Apple de terem suprimido o apelo ao voto "útil" proposto pelo oposicionista através das respetivas plataformas, denunciando "censura" num processo eleitoral em que a …

Presidente da República argentino cancela viagens para impedir que vice assuma Governo

Cristina Kirchner é parceira maioritária na coligação de Governo e exige, entre outras mudanças, a substituição de ários ministros, secretários e presidentes de organismos públicos. Recentemente, tem mostrado em público o seu descontentamento face à …

"Bazuca" europeia não resolve problema da falta de habitação

De acordo com vários especialistas, as 26 mil casas identificadas como prio­ritárias pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) não chegam para as necessidades do país, que podem chegar às 46 mil. A questão da aplicação …

Peça que terá sido usada no batismo de D.Maria II está à venda. Estado não a compra por ser demasiado cara

Há uma semana que está à venda uma peça que pertenceu à coroa portuguesa. Terá pertencido à família real depois do Terramoto de 1755 e, de acordo com o antiquário que agora a comercializa, terá …

"Dupla pancada". Vítimas de violência doméstica são deixadas ao abandono sem indemnização

Mais de 80% das vítimas de violência doméstica, a maioria mulheres, não recebem indemnizações, nem dos agressores nem do Estado. Se as vítimas não tiverem sofrido uma incapacidade para o trabalho por um período igual ou …

Ministério Público declara ilegal eleição de André Ventura

Ministério Público invalidou a mudança nos estatutos do Chega, incluindo a eleição direta de André Ventura. O líder do partido admite um novo congresso. No início do mês, o Ministério Público (MP) pediu ao Tribunal Constitucional …

Ministra dos Negócios Estrangeiros dos Países Baixos demite-se por causa do Afeganistão

Sigrid Kaag demitiu-se do seu cargo de ministra dos Negócios Estrangeiros dos Países Baixos, depois de o Parlamento considerar que o Governo fez uma má gestão da retirada de cidadãos do Afeganistão. A ministra dos Negócios …