/

Comissão ao Banif arranca sem colaboração das instituições europeias

Barcex / Wikimedia

A Comissão de Inquérito ao caso Banif começa, nesta semana, as primeiras audições, mas ainda sem ter disponível todos os dados solicitados para apurar responsabilidades, nomeadamente da parte das instituições europeias.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O presidente da Comissão, António Filipe, afirma à TSF que “não tem havido vontade de colaborar por parte das instituições europeias”, e queixa-se que tanto o Banco Central Europeu (BCE), como a Direcção-Geral da Concorrência Europeia (DG Com) e a Comissão Europeia ainda não responderam aos pedidos de informação quanto às suas “responsabilidades e intervenção” no caso.

Recentemente, foi também notícia o facto de o Banco de Portugal ter recusado entregar à Comissão uma avaliação à sua supervisão no âmbito do caso BES.

Ainda assim, António Filipe refere à TSF que a Comissão ao Banif espera poder “contar com a colaboração de todas as entidades” e garante que vai continuar a tentar obter as necessárias respostas, nem que seja “por escrito”.

O deputado comunista avisa que as Comissões de Inquérito “têm poderes das autoridades judiciais e podem derrogar o segredo profissional e bancário, desde que sejam tomadas medidas para salvaguardar a confidencialidade de documentos”.

As audições começam nesta terça-feira, 29 de Março, com os depoimentos dos antigos administradores do Banif, Joaquim Marques dos Santos e Jorge Tomé. O último administrador do banco, Luís Amado, vai ser ouvido na quarta-feira.

Na quinta-feira, será a vez de o ex-administrador do Banco de Portugal, António Varela, que se demitiu do cargo no início de Março, prestar esclarecimentos.

ZAP

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.