China prepara “vingança” contra empresas americanas. Apple e Tesla na mira

Thomas Peter / EPA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, com o presidente da China, Xi Jinping

A China anunciou estar a preparar uma lista de empresas, pessoas e organizações “não confiáveis”, no que está a ser visto como uma retaliação pelas sanções impostas pelo governo de Donald Trump à Huawei.

O governo chinês anunciou esta sexta-feira que está a preparar uma lista de empresas, instituições e indivíduos “de pouca confiança – um “aviso sinistro mas vago” que pode ser visto como um sinal de retaliação pelas sanções impostas pelos EUA à gigante tecnológica chinesa Huawei, diz a Associated Press.

Os responsáveis chineses não adiantaram que entidades poderão constar da lista-negra, mas as empresas que aderiram ao boicote norte-americano à Huawei terão lugar garantido.

“As empresas não são de confiança se não cumprirem as regras de mercado, se quebrarem contratos estabelecidos e não respeitarem o espírito dos acordos em vigor com empresas chinesas por motivos não-comerciais”, especificou Gao Feng, porta-voz do Ministério do Comércio chinês.

Medidas adicionais contra os agressores serão anunciadas num futuro próximo”, acrescentou o porta-voz.

“Podemos estar a assistir ao início de um quadro retaliatório de Pequim“, disse à AP Paul Triolo, responsável da consultora de análise de risco Eurasia Group. “Isso pode incluir um conjunto de restrições à exportação de alguns minerais raros essenciais à actividade de certas empresas americanas.

As restrições poderiam afectar em particular os fabricantes norte-americanos de smartphones e veículos eléctricos, fortemente dependentes de minerais raros usados no fabrico de baterias, acrescentou Triolo. Entre as empresas afectadas encontram-se a Apple e Tesla.

Mas as opções da China são limitadas, diz o analista. “Há poucas medidas de retaliação económica que não afectem também fortemente o clima económico da própria China, líder mundial de exportações de minerais raros.

O anúncio do governo chinês surge depois de esta semana os EUA terem alargado o âmbito do cerco lançado à Huawei lançado por Donald Trump no início de maio, que nas últimas semanas escalou para uma guerra comercial entre os dois países, e que os norte-americanos querem ver alastrada aos seus aliados europeus.

Esta sexta-feira, o secretário de Estado Mike Pompeo disse-se preocupado com a capacidade de espionagem a partir de equipamentos e software 5G da Huawei, e avisou os seus aliados europeus de que “mudará o seu comportamento em relação às informações que partilha” se não tomarem medidas contra a empresa chinesa.

“Temos de mudar o nosso comportamento, porque não podemos permitir que informações de cidadãos privados dos EUA ou dados de segurança nacional cruzem redes que não consideramos confiáveis”, explicou o chefe da diplomacia norte-americana.

Os EUA e a China atravessam uma crise diplomática centrada numa guerra comercial que dura há dois anos, que levou a uma escalada de sanções e de aumentos de taxas tarifárias. Recentemente, o Governo norte-americano proibiu empresas norte-americanas de ceder tecnologia à empresa Huawei – colocando a empresa chinesa em desvantagem face aos seus concorrentes no mercado.

ZAP // Lusa / AP

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

“Mostrámos que sabemos governar”. Bloco apresenta candidata a Lisboa (e abre a porta a acordo com PS)

O Bloco de Esquerda apresentou a candidatura de Beatriz Gomes Dias à Câmara Municipal de Lisboa, pediu “mais força” para determinar a governação da cidade e abriu a porta a novos entendimentos com o PS …

Fé nos números. Foi o voto não religioso que Donald Trump perdeu em 2020 

Em novembro de 2020, Joe Biden foi eleito Presidente dos Estados Unidos da América. Uma análise revelou recentemente que a derrota de Donald Trump dependeu daqueles que não se identificam com nenhuma religião. Ryan Burge, professor …

Chega apresenta oito candidatos para o distrito do Porto. Ventura acredita que vai ter "grande resultado"

O líder do Chega anunciou este sábado oito candidatos às próximas eleições autárquicas no distrito do Porto, onde André Ventura acredita que o partido vai ter "um grande resultado". "Fizemos esta deslocação ao Porto para anunciar …

"A política ama traição, mas despreza o traidor". Sócrates acusa PS de "ataque injusto" (e diz-se alvo de "vingança" da direita)

"A política ama a traição, mas despreza o traidor". No livro "Só Agora Começou", que será publicado nos próximos dias, José Sócrates acusa a atual direção do PS de traição. De acordo com o Diário de …

"Novas dificuldades e entropias". Autarcas independentes exigem extinção imediata da CNE

Os presidentes de Câmara e representantes de movimentos independentes decidiram este sábado dar um novo prazo aos partidos para que estes possam alterar a lei eleitoral autárquica. Porém, exigem a extinção imediata da Comissão Nacional …

Estudo mostra que as ovelhas preferem acasalar com machos subordinados

Um novo estudo descobriu que, ao contrário do que se podia pensar, as ovelhas preferem acasalar com machos que estão mais abaixo na hierarquia. Atualmente, a vida sexual da maioria das ovelhas é controlada pela indústria …

“Vamos iniciar uma nova etapa". Madeira vai testar toda a população (gratuitamente)

O Governo da Madeira vai desencadear uma campanha de testagem massiva da população da região, ainda sem data, que será gratuita, para aferir da evolução da pandemia da covid-19 no arquipélago, anunciou este sábado o …

O armazenamento de energia "sem massa" está a chegar

Uma equipa de cientistas da Chalmers University of Technology, na Suécia, produziu uma bateria estrutural com um desempenho dez vezes melhor do que todas as versões anteriores. A descoberta abre caminho ao armazenamento de energia …

Ataque terrorista a cidade na Nigéria atinge organizações humanitárias e instalações da ONU

Jihadistas alegadamente ligados ao Estado Islâmico atacaram este sábado as instalações de várias organizações humanitárias e das Nações Unidas na cidade nigeriana de Damasak, e ainda estão no local, afirmaram fontes das organizações não-governamentais (ONG). O …

Os humanos foram "superpredadores" durante dois milhões de anos

Uma nova investigação revelou que os humanos foram um predador de ponta durante cerca de dois milhões de anos. Só a extinção da megafauna e o declínio das fontes de alimentos de origem animal no …