Depois da Huawei, EUA pode alargar lista negra de empresas chinesas

Jim Lo Scalzo / EPA

Depois de os EUA terem colocado a gigante chinesa de telecomunicações Huawei na lista negra do país, Trump pondera agora incluir mais empresas chinesas.

A guerra comercial entre os Estados Unidos e a China agrava-se e prolonga-se. Depois de Trump ter cortado relações com a Huawei, o presidente americano pondera alargar a lista negra do país a mais empresas chinesas. A notícia foi avançada, esta quarta-feira, pela Bloomberg.

O foco de Trump está nas empresas chinesas de videovigilância, líderes mundiais de mercado, que ao integrarem a lista negra do país, ficarão impedidas de adquirir tecnologia produzida nos Estados Unidos. Em casos particulares, será necessária uma licença especial para as empresas americanas venderem-lhes produtos, explica o Jornal de Negócios.

Ao todo serão cerca de cinco empresas visadas, entre as quais a Hangzhou Hikvision Digital Technology e a Zheijang Dahua Technology. As outras três empresas não foram identificadas por nenhuma das fontes.

No entanto, esta medida não está a ser bem recebida pelos especialistas. “As relações duradouras entre as redes de fornecedores e os ecossistemas globais vão desmoronar”, disse Alex Capri, investigador da Escola de Negócios da Universidade Nacional da Singapura e ex-funcionário da alfândega dos EUA.

“Os mercados vão fragmentar-se e haverá uma dissociação da China e dos EUA em duas cadeias distintas de fornecimento de tecnologia”, acrescentou o especialista.

Para justificar a inclusão da Hangzhou Hikvision na lista negra norte-americana, Trump afastou-se das razões económicas e explicou que se prende com o papel da empresa chinesa na perseguição da minoria muçulmana Uighur na China.

Ainda no mês passado, um artigo do The Guardian, dava conta da utilização da tecnologia da empresa pelo Estado chinês. “A empresa Hikvision anunciou ferramentas que poderiam automatizar a identificação facial de Uighur baseadas em fenótipos fisiológicos”, pode ler-se no artigo.

A ameaça do uso desta tecnologia para espionagem é também uma das preocupações da administração de Donald Trump. Em resposta a estas medidas, Pequim está já a responder, obrigando empresas americanas com atividade na China a cortar planos de investimento ou a transferirem atividade para outros territórios.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Os Estados Unidos sentem-se acossados pelo avanço da tecnologia chinesa e não olham a meios para travar a sua expansão no mercado global, quando na verdade estão a cortar nos próprios dedos. A postura do Trump não é mais que uma reacção de desespero, de quem há pouco tempo defendia um comércio sem interferências governamentais. Na eminência de perder o jogo, agarram-se a todo o tipo de batota, como esta: “Trump afastou-se das razões económicas e explicou que se prende com o papel da empresa chinesa na perseguição da minoria muçulmana Uighur na China”.
    Isto seria um fartote de rir…, se não fosse patético.

  2. Sobre este tema, vejam o documentário que deu na RTP1, “o mundo segundo Xi Ji Ping”.
    Depois pensem bem se querem abraçar a nova ordem mundial preconizada pelo presidente chinês.

RESPONDER

Surtos em lar e infantário fazem 38 infetados nas Caldas da Rainha

Dois surtos de covid-19 foram detetados num lar e num infantário nas Caldas da Rainha, com um total de 38 pessoas infetadas, cinco das quais crianças, confirmou este domingo à agência Lusa o presidente da …

Mais seis mortes e 232 novos casos de covid-19 em Portugal

Portugal regista, nesta segunda-feira, mais seis mortes por covid-19 e mais 232 novos casos, dos quais 195 na região de Lisboa e Vale do Tejo. O boletim epidemiológico desta segunda-feira, divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), …

Quebras no turismo triplicam desemprego no Algarve

O desemprego no Algarve aumentou mais de 200% em maio para quase 28 mil desempregados, atingindo sobretudo o setor da hotelaria, que desespera pela chegada de turistas para atenuar o "golpe" de quase três meses …

Marques Mendes elogia "voz independente" de Medina (e diz que a TAP pode ser um crematório político)

Luís Marques Mendes elogiou neste domingo as críticas que o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, fez ao combate à pandemia, considerando ainda que a resolução da TAP, que culminou na saída de David …

O “Grenadier” já não vai ser português. Fabricante automóvel Ineos desiste de fábrica em Estarreja

A INEOS Automotive, empresa do ramo automóvel, transmitiu à Câmara de Estarreja que vai suspender o investimento de 300 milhões de euros numa fábrica no concelho, revelou este domingo fonte municipal. "A empresa transmitiu à Câmara …

Grécia e Austrália recuam na abertura de fronteiras. Marrocos isola cidade após recorde de casos

Grécia e Austrália anunciaram neste fim-de-semana um recuo na abertura das suas fronteiras, enquanto que Marrocos isolou uma cidade após um número recorde de novas infeções de covid-19 registadas em 24 horas. A Grécia anunciou …

Dinheiro dos pobres usado para "vida de luxo". Presidente, mulher e filha da Mão Amiga acusados

O presidente da Associação Mão Amiga, em Gulpilhares, Vila Nova de Gaia, a mulher e a filha foram acusados pelo Ministério Público (MP) de usarem o dinheiro da instituição para pagarem uma "vida de luxo". …

Fisco tem por cobrar 15 mil milhões de euros em impostos

O Jornal Económico escreve esta segunda-feira que a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) tem por cobrar 14.919 milhões de euros em impostos. De acordo com o diário de economia, mais de metade da dívida dos contribuintes está …

"Armada espanhola" assegura 70% do mercado das obras públicas em Portugal

As empresas espanholas estão a assegurar 70% do mercado das obras públicas em Portugal, escreve esta segunda-feira o jornal Público, citando uma análise ao Portal Base, às obras públicas acima de sete milhões de euros No …

"Oitavos" da Liga dos Campeões não vão ser jogados em Portugal

A UEFA cedeu à pressão dos clubes e decidiu que os encontros da segunda mão dos oitavos-de-final vão ser disputadas nos respetivos estádios dos clubes. Os encontros por jogar relativos aos oitavos-de-final da Liga dos Campeões …