Centeno conquistou Eurogrupo com o lobby francês e o charme português

Olivier Hoslet / EPA

O ministro das Finanças, Mário Centeno, com Jeroen Dijsselbloem, presidente do Eurogrupo

Mário Centeno é o mais recente português a atingir um posto de topo, em organizações internacionais, depois de ter sido eleito presidente do Eurogrupo. É do “charme português” diz-se lá fora, onde alguma imprensa nota também a força do lobby francês na sua eleição.

Mário Centeno junta-se à galeria de portugueses ilustres que alcançaram lugares de topo em organizações internacionais, como são os casos de António Guterres, secretário-geral da ONU, e de Vítor Constâncio, vice-presidente do Banco Central Europeu.

Eleito presidente do Eurogrupo, que reúne os Ministros das Finanças dos Estados-Membros da Zona Euro, Centeno é o primeiro líder da estrutura proveniente dos chamados países do Sul da Europa, “e o primeiro de um dos países forçados a um resgate pela crise do Euro”, sublinha o site Politico.

Uma circunstância histórica que evidencia o feito de Centeno que “usou o seu estilo descontraído, como ministro das Finanças de Portugal, para transformar o país atingido por golpes de crise num pupilo modelo da Zona Euro“, escreve a Reuters.

Para a agência de notícias, “Centeno leva o charme português para o lugar de topo do Eurogrupo”. A Reuters define o ministro luso como “um adepto do trabalho que raramente perde o bom humor”, lembrando ainda que os bons resultados conseguidos pelas suas políticas económicas lhe valeram o cognome de “Cristiano Ronaldo” dos ministros das Finanças da União Europeia.

Já o Finantial Times nota que Centeno era um “desconhecido”, quando foi escolhido por António Costa para o cargo, e que chegou a ser comparado ao “agitador de esquerda” Yanis Varoufakis, ex-ministro das Finanças da Grécia.

Mas se Varoufakis criou uma verdadeira horda de “inimigos em Bruxelas”, escreve o jornal norte-americano, o ministro das Finanças português conquistou os seus pares da UE.

O EUobserver repara que o governante contou, especialmente, com o lobby de França para a sua eleição, uma vez que “partilha de ideias francesas” para a Zona Euro. A publicação diz ainda que França fez pressão perante os “aliados mais próximos, especialmente a Alemanha”, para que Centeno fosse eleito.

Um “gerador de consensos”

Obviamente satisfeito com a eleição, Centeno evidencia que se trata de “uma distinção sem paralelo para o país” e que só foi possível graças à política de “credibilização” seguida pelo Governo PS, em coligação com PCP e Bloco de Esquerda.

Centeno também assegura que “nada vai mudar” na coligação de Governo, em Portugal, quando assumir as funções no Eurogrupo a 13 de Janeiro de 2018.

Quanto à sua postura no novo cargo, o ministro das Finanças sublinha que vai procurar ser um “gerador de consensos”, cita o Diário de Notícias.

“Saber ouvir e debater ideias é algo que tem feito parte da descrição das minhas tarefas, nos últimos anos, e empregarei exactamente os mesmo princípios e o mesmo esforço nesta nova fase”, salientou ainda.

“Tudo tem um preço”, avisa Marcelo

“Era um patinho feio, para muitos, muito feio, há dois anos, e agora, de repente, é um cisne resplandecente“, afiança Marcelo Rebelo de Sousa, citado pela Renascença.

O Presidente da República constata que Portugal vai, agora, ter “uma voz mais forte” na Zona Euro, mas alerta que isto também tem “um preço de exigência acrescida” em termos financeiros.

“Tudo tem um preço na vida e o preço é o seguinte: é que não se brinca em serviço”, avisa Marcelo, realçando que “a execução de 2018 e o Orçamento para 2019 têm de corresponder àquilo que é a exigência de alguém que dá o exemplo no Eurogrupo”.

Com um discurso mais optimista, António Costa diz que a eleição de Centeno é “o reconhecimento da credibilidade internacional de Portugal, numa área tão sensível por onde passámos com tantos e tantos sacrifícios”.

O primeiro-ministro aproveita também o momento para reforçar as políticas seguidas pelo seu Governo, notando que “está hoje definitivamente virada a página”. “Hoje já não discutimos mais défices excessivos, já não discutimos mais sanções”, conclui Costa.

SV, ZAP // Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. “alguma imprensa nota também a força do lobby francês na sua eleição.”
    Toda a gente sabe isso excepto o PS.

    “que só foi possível graças à política de “credibilização” seguida pelo Governo PS”
    Deve ser verdade, são é lobbies.

  2. O Centeno foi eleito porque de todos os candidatos que se apresentaram é aquele que mais se aproxima de uma marioneta. E isso dá jeito a muita gente que quer tomar decisões sem nunca dar a cara por elas.

  3. A eleição de Centeno serve para ir disfarçando os buracos das “Franças, Itálias e afins desta Europa”, e comprovar as boas relações maçónicas entre França e Portugal

RESPONDER

A supergigante Betelgeuse é mais pequena e está mais perto da Terra do que se pensava

De acordo com um novo estudo feito por uma equipa internacional de investigadores, podem ser necessários mais 100.000 anos até que a estrela gigante vermelha Betelgeuse morra numa explosão de fogo. O estudo, liderado pela Dra. …

Mulheres menos propensas à covid-19 por respeitarem mais o distanciamento social

Uma das razões pelas quais as mulheres podem ser menos vulneráveis ​​a infeção pelo novo coronavírus deve-se ao facto de serem mais propensas a aderir às políticas de distanciamento social, sugeriu uma nova pesquisa. Uma pesquisa …

Braga 3 - 0 AEK | Minhotos de gala conquistam atenienses

O Sporting de Braga iniciou a sua participação no Grupo G da Liga Europa com uma vitória. Na recepção aos gregos do AEK de Atenas, os minhotos mostraram ser muito mais equipa e ganharam por …

Capitalismo vai arruinar o planeta até 2050, alertam cientistas

Um grupo de cientistas alerta que se continuarmos com este capitalismo desenfreado, o nosso planeta vai sofrer consequências a nível climático e ambiental. Até 2050, o planeta Terra pode sofrer seriamente às mãos do capitalismo desenfreado. …

Os novos faróis inteligentes da Audi levam-no ao cinema sem sair do carro

Os novos faróis LED da Audi levam-no ao cinema sem sair do carro, já que são capazes de projetar imagens na estrada ou em paredes. A novidade é lançada na nova linha de SUVs elétricos da …

FC Porto foi "histriónico" e não se portou bem, escreve-se em Manchester

Jornal inglês alega que os elementos do FC Porto foram exagerados, turbulentos e não tiveram um comportamento adequado. Não há uma única palavra sobre o árbitro. Na manhã seguinte à derrota (3-1) do FC Porto em …

De passagem secreta a cemitério de carros. Túnel sob Nápoles "esconde" veículos enferrujados da II Guerra

No centro de Nápoles, em Itália, há veículos e motocicletas abandonados e enferrujados dos anos 1940 alinhados num túnel a mais de 30 metros abaixo dos seus pés. A Piazza del Plebiscito foi nomeada após uma …

Primeira ministra islandesa interrompida por um terramoto quando dava uma entrevista em direto

Um terramoto de magnitude 5.6 interrompeu uma entrevista em direto da primeira ministra islandesa ao The Washington Post. Mas Katrin Jakobsdottir reagiu à situação de forma tranquila: "Isto é a Islândia". Katrin Jakobsdottir estava a dar …

O voo mais longo do mundo está de volta (e agora é ainda mais longo)

O voo da Singapore Airlines que partia de Singapura com destino até Nova Iorque, foi uma das vítimas do covid-19 e ficou suspendo a 23 de março. Agora, é possível viajar nesta rota novamente, e …

Obras de cinco museus de Berlim vandalizadas no início do mês

Sarcófagos egípcios, pinturas do século XIX e esculturas em pedra de três dos principais museus de Berlim foram atacados com uma substância líquida oleosa a 3 de outubro, dia em que se festejaram os 30 …