Não, diz Centeno, a carga fiscal não aumentou

José Sena Goulão / Lusa

O ministro das Finanças, Mário Centeno

O ministro das Finanças, Mário Centeno, descarta a ideia de que a carga fiscal em Portugal tenha aumentado no ano passado. “A carga fiscal é um conceito que está desfasado da realidade”, aponta.

Esta semana, o Instituto Nacional de Estatística (INE) adiantou que a carga fiscal subiu para 37% do PIB no ano passado, face aos 36,6% que atingiu em 2016. Este foi o valor mais alto dos últimos 22 anos mas, ainda assim, Mário Centeno recusa a tese de que o Governo está a pedir mais às pessoas em termos contributivos.

Ao Expresso, o ministro das Finanças afirma que “a carga fiscal é um conceito muito antigo que sobrevive por ser útil, porém está desfasado da realidade. Mede o peso da receita fiscal e contributiva no PIB. Mas a base que constitui a receita fiscal e contributiva não é o PIB”.

“A massa salarial está a crescer em Portugal 7,6%, o que compara com 4,1% do PIB em termos nominais. Ou seja, sem termos aumentado a taxa contributiva, o peso da receita de contribuições no PIB aumentou porque o emprego e os salários aumentaram mais do que o PIB”, detalha Centeno em entrevista ao semanário.

O ministro vai mais longe e garante que não está a pedir mais às pessoas em termos contributivos e que, desta forma, “a carga fiscal no sentido efetivo não aumentou, mas esse indicador que mede a carga fiscal e contributiva no PIB subiu“.

Em resposta a Rui Rio, que exigiu ao Executivo que promovesse uma descida da carga fiscal, Centeno afirmou-se como “o último a dizer para não usarmos o indicador da carga fiscal, mas não podemos usá-lo como arremesso político descontextualizado“.

Em relação ao défice de 0,91% do PIB em 2017, o ministro das Finanças deixa claro que não houve sacrifícios para que este valor fosse atingido, acrescentando que os  valores finais das cativações de 2017 ficaram abaixo dos valores de 2016.

Já sobre o impacto da recapitalização da CGD, que fez disparar o défice para 3%, Mário Centeno rejeita que o Governo tenha preparado medidas para manter o défice abaixo da fasquia dos Procedimentos por Défices Excessivos. “Nunca me passaria pela cabeça que pudéssemos condicionar a condução da políticas a um evento desta natureza”, assegura.

Sobre os lucros do banco público, o ministro afirma estar “completamente satisfeito”. Já em relação ao Novo Banco, que, pelo contrário, atingiu prejuízos no valor de 1.400 milhões em 2017 que vão obrigar a um empréstimo do Estado na ordem dos 450 milhões de euros, Mário Centeno adianta que não irá comprometer as contas públicas.

ZAP //

 

PARTILHAR

13 COMENTÁRIOS

  1. Sector financeiro é a ruína deste país e ninguem faz nada. Bancos com prejuizos históricos devido a desfalques históricos, não há problema que o povo paga mais uns impostos enquanto os srs que nos roubaram a todos andam por ai tranquilamente com o aval de quem faz as leis, verdadeira mafia de fato e gravata…

  2. nunca vi ninguém tão aldrabão, basta ver os impostos da gasolina e depois obviamente que tudo aumenta pois tudo depende daí, mas se não quisermos ir por aí cada um de nós deve de ter um caso concreto, o meu por exemplo como pescador desportivo fez com que as licenças de pesca passassem de menos de 5 Euros para 20Euros mais do que quadruplicou, sabem quantos pescadores existem em Portugal? Mas isto é só um exemplo, estamos a ser comidos e bem comidos

  3. Porque é tão aldrabão este SemTino ?!
    Para ele, carga fiscal é aquilo que os cidadãos de salário mínimo, pagam de IRS !
    Esquece-se que esse mesmo cidadão quando mete gasolina no carro paga a gasolina mais cara da Europa, e 70% do valor vai direitinho para os cofres do estado.
    Em média, o português trabalha 162 dias para o fisco.
    O INE fala em 37% de carga fiscal…SemTino nega !
    A UE diz que o défice é de 3%, SemTino não aceita !
    Mas que ave rara é esta que pensa saber mais que os outros ?!
    E quando a EDP só paga 0,7% sobre lucros, de imposto, SemTino muda de conversa…

    • Ò carlitos, aguenta ai os cavalinhos…
      Primeiro tens de perceber que o indicador “carga fiscal”, diz respeito à parcela de receita de impostos no bolo do PIB.
      Quando o INE diz que a carga fiscal aumentou, o sem tino não nega! simplesmente não quer dizer que os impostos tenham aumentado, o que acontece é que a receita fiscal aumentou, o que é bem diferente!
      Acontece que os políticos e pessoas como tu gostam muito de espalhar a desinformação. O sem tino neste caso tem razão!
      Em relação ao défice, há duas contabilizações que podem ser feitas, com a recapitalização da caixa e sem a recapitalização. respectivamente ficou nos 0.9% e nos 3%.
      Em relação à EDP estas só a inventar, mas tudo bem lol

      • Ó Aninhas, aguenta também os teus cavalinhos!
        Até compreendo que queiras ver apenas uma parte da realidade e fingir que a outra não existe, provavelmente por uma qualquer afinidade partidária, mas isso não faz desaparecer os brutais AUMENTOS de impostos no IMI e nos combustíveis que o aldrabão do Centeno impôs aos portugueses (só para referir 2 exemplos bem conhecidos).
        Realmente há mesmo pessoas que gostam de desinformação. Destas, as piores são aquelas que acham que os outros não ouvem, não veem e não pensam… devem pensar que somos todos parvinhos como a Aninhas…

  4. Pois é agora negam tudo, quando eram os outros que tiveram que governar apertados a garrote devido à herança socialista era a oposição em coro a clamar por justiça, agora já todos os impostos são bons e permitidos e uma vez mais tal como no governo anterior lá fica o défice nos 3% devido aos calotes dos bancos que nunca mais têm administradores à altura para os gerir.

  5. Mentiroso! Aldrabão.
    Este e o Primeiro-Ministro são uns vigaristas. Diz-me com quem andas… e era amigo do 44. Agora até parece que já nem o conhece.

  6. Não aumentou a carga fiscal reduziu alguns impostos e cobrou outros, isso sim, mas há quem finja não perceber isso, porque assim lhe convêm. Paciência…

    • E há que não perceba mesmo, mas a esses pode dar-se um “desconto”…
      Já os outros não tem desculpa para tanta parvoíce…
      Claro que há impostos que aumentaram (impostos indirectos) mas há impostos que baixam, logo, como diz o Centeno (e bem), “a carga fiscal não aumentou”!!
      Podia era ter diminuído mais, se conseguissem pôr parasitas como a EDP, banca, etc a pagar mais!…

  7. Ò carlitos, aguenta ai os cavalinhos…
    Primeiro tens de perceber que o indicador “carga fiscal”, diz respeito à parcela de receita de impostos no bolo do PIB.
    Quando o INE diz que a carga fiscal aumentou, o sem tino não nega! simplesmente não quer dizer que os impostos tenham aumentado, o que acontece é que a receita fiscal aumentou, o que é bem diferente!
    Acontece que os políticos e pessoas como tu gostam muito de espalhar a desinformação. O sem tino neste caso tem razão!
    Em relação ao défice, há duas contabilizações que podem ser feitas, com a recapitalização da caixa e sem a recapitalização. respectivamente ficou nos 0.9% e nos 3%.
    Em relação à EDP estas só a inventar, mas tudo bem lol

Disney vai despedir 28 mil trabalhadores nos EUA devido ao "impacto prolongado da covid-19"

A Disney anunciou que vai despedir cerca de 28 mil trabalhadores dos seus parques de diversão, cruzeiros e outros eventos nos Estados Unidos devido à crise financeira causada pela pandemia de covid-19. A covid-19 chegou e …

OE2021: IVA gasto em alguns setores vai poder ser recuperado nas compras seguintes

O IVA suportado pelos consumidores em serviços ou produtos dos setores mais afetadas pelo impacto da pandemia vai poder ser recuperado nas compras seguintes realizadas nos mesmos setores, disse o ministro Pedro Siza Vieira. Em causa …

Temeu-se uma explosão em Paris. Mas foi "apenas" um caça a quebrar a barreira do som

Um avião militar que ultrapassou a barreira do som provocou esta quarta-feira o receio de que tivesse ocorrido uma explosão em Paris, já que o barulho foi ouvido em grande parte da capital francesa e …

Maduro propõe neutralizar sanções norte-americanas com Lei Antibloqueio

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, entregou na terça-feira um projeto de Lei Antibloqueio à Assembleia Constituinte (AC, composta unicamente por simpatizantes do regime) para neutralizar os efeitos das sanções impostas pelos Estados Unidos (EUA) …

Subsídio aos pobres na pandemia "não pode ser para sempre"

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse esta terça-feira que os subsídios destinados aos mais pobres pelo Congresso no âmbito da luta contra a pandemia de covid-19 “infelizmente para os demagogos e comunistas, não pode …

Reembolso do IVA do turismo e restauração pode demorar um ano se vier no IRS

A partir de 2021 os contribuintes poderão receber parte do valor do IVA de consumos no setor do turismo e restauração, medida anunciada pelo Governo na segunda-feira e que, antecipou a Deloitte, pode ser concretizada …

Novo lay-off passa a ser acessível para empresas com perdas entre 25% e 40%

As empresas com quebras de faturação homólogas entre 25% e 40% vão poder recorrer ao apoio à retoma progressiva, instrumento que passa também permitir a redução até 100% do horário quando a quebra de faturação …

Associação das Forças Armadas considera diretiva para comunicação inclusiva uma "provocação"

O presidente do Conselho Nacional da Associação de Oficiais das Forças Armadas (AOFA) afirmou que a nova diretiva do Governo que implementa uma comunicação inclusiva em todos os documentos oficiais é uma provocação aos militares …

60 milhões de infetados na Índia? Casos podem ser 10 vezes mais do que os números oficiais

Mais de 60 milhões de pessoas na Índia podem ter sido infetadas com o novo coronavírus, dez vezes mais que os números oficiais, anunciaram esta terça-feira autoridades médicas responsáveis pela pandemia, citando um estudo nacional …

Mais dois projetos do Chega "chumbados" na comissão de Assuntos Constitucionais

A comissão de Assuntos Constitucionais concluiu esta quarta-feira pela inconstitucionalidade de duas iniciativas do Chega, um projeto de lei para limitar o número de ministros e uma resolução a propor um referendo para reduzir o …